Como ajudar uma criança a lidar com a ansiedade?

· 17 de novembro de 2017

Os sintomas da ansiedade são muito comuns entre crianças e adolescentes. Entre 10 e 20% de meninos e meninas em idade escolar têm sinais de algum tipo de estresse e ansiedade em algum momento dessa fase. 

Junto à ansiedade, atualmente as crianças passam por episódios de estresse desde cedo. Com os conselhos a seguir, você vai poder ajudar seus filhos a combater efetivamente essas duas condições que podem afetar durante toda a vida se não forem tomadas medidas a tempo.

Dicas para ajudar seus filhos a lidar com a ansiedade

Hoje em dia, a ansiedade não é uma condição apenas dos adultos. O ambiente enche nossos filhos com informação em excesso, que às vezes eles não podem processar, terminando por reprimi-los de muitas maneiras. Fique atento a essas observações para ajudar seus filhos nas situações de estresse e ansiedade nas suas vidas.

  1. Motive seus filhos a enfrentar seus medos e não a fugir deles

Mesmo na fase adulta temos problemas ao enfrentar nossos medos, mas essa fuga faz com que a ansiedade persista. Se quisermos que as crianças e adolescentes aprendam a enfrentar seus medos, veremos que a ansiedade diminui e desaparece no seu próprio tempo. Biologicamente, os sistemas do nosso corpo não permanecem ansiosos por períodos maiores que 40 minutos.

  1. Mostre a eles que é normal “ser imperfeito”

Como pais, queremos que os filhos tenham sucesso em todas as suas atividades. Mas às vezes nos esquecemos de que as crianças precisam ser crianças. Devemos encontrar o limite saudável entre motivá-los a se esforçar em tudo o que fazem e pressioná-los excessivamente para que façam o que queremos. Aceite e apoie seus filhos quando cometerem erros ou quando as coisas não saírem como esperado.

  1. Foque nos pontos positivos

Em muitos casos, as crianças que sofrem de estresse e ansiedade podem se afundar em pensamentos negativos e se tornar autocríticas e pouco compassivas. Dê a elas exemplos para focar nos pontos positivos das situações para que aprendam a ser assim em todos os momentos de suas vidas. 

estresse e ansiedade

  1. Planeje atividades relaxantes

Tanto sd crianças quanto os adultos precisam de tempo para relaxar e fazer atividades que estimulem e tenham apenas o propósito de divertir. Convide seu filho todos os dias a praticar um esporte, brincar, pintar, dar um passeio ou qualquer atividade que não seja competitiva, mas puramente recreativa.

  1. Incentive o cuidado consigo mesmo e os pensamentos otimistas

As crianças fazem o que você faz. Então, se você evita situações que desencadeiem a ansiedade, eles também o farão. Se você as enfrenta, o efeito será o mesmo. Pense no seu bem estar emocional e no do seu filho antes de reagir às situações. Lembre-se de que você é um modelo de comportamento para eles.

  1. Recompense os comportamentos corajosos

Se seus filhos enfrentam seus medos com coragem, recompense e estimule com palavras de afeto, um abraço ou com um pequeno detalhe, como um adesivo ou um doce que ele goste. Se você reconhece que seu filho fez uma boa ação, ele vai se empenhar mais frequentemente nisso.

  1. Estabeleça rotinas saudáveis para eles e para você

Na rotina diária, os horários para ir para a cama e para se levantar devem estar muito claros. Devem ser respeitados inclusive nos finais de semana. Estabeleça um pequeno ritual antes de ir para a cama para que seus filhos tenham tempo de fazer uma saudável transição entre as atividades que realizaram durante o dia e o momento de dormir

estresse e ansiedade

  1. Dê a eles confiança suficiente para expressar sua ansiedade

Se seu filho lhe diz que está preocupado ou assustado com algo, não ignore suas palavras. Isso não os ajuda. Pelo contrário, os fará pensar que você não se importa com os sentimentos e emoções deles. Pergunte o que é que os preocupa e tenha uma conversa com eles para dar confiança suficiente para controlar seus medos.

  1. Ajude-os a resolver os problemas

Depois de ter expressado sua ansiedade, ajude a entender que tudo tem uma solução. Mas não solucione os problemas para eles, somente o apoie no caminho para encontrá-las por si mesmo. Logo, logo eles aprenderão a a resolvê-los, inclusive quando você não estiver por perto para indicar o que é mais adequado.