Dicas para ajudar crianças com dificuldades para se comunicar

27 de janeiro de 2018

A comunicação é uma característica tão distintiva quanto elementar para as pessoas. A impossibilidade de se comunicar pode trazer prejuízos muito grandes. Deixamos aqui alguns conselhos para ajudar crianças com dificuldades para se comunicar.

A maioria das crianças fala, grita, pede e chora. Mas algumas delas têm dificuldades na hora de expressar seus sentimentos e isso pode ser realmente limitante. As crianças que têm dificuldades para se comunicar podem sofrer muito se não receberem a ajuda adequada.

Ter problemas de linguagem ou de fala também acarreta inconvenientes de aprendizagem, psicológicos e de socialização que podem afetar qualquer criança. Os problemas de saúde mais simples podem se tornar perigosos porque temos dificuldade para entender a magnitude da dor e de outros sintomas.

Disfonia, dislalia, gagueira e mutismo seletivo são alguns distúrbios da fala. Outros atrasos simples da linguagem e a afasia são problemas que têm relação com a linguagem, apesar de não serem especificamente da linguagem. Cada um desses quadros têm diferentes origens e, por isso, diferentes formas de tratamento.

Identificando o problema

São muitos os problemas na fala, na voz e na linguagem que uma criança pode ter. Às vezes, pode se tratar de um problema associado à saúde física e outras vezes podem envolver mais uma questão psicológica. Há tratamentos focalizados e outros que são efeitos secundários de condições mais graves, como o autismo.

Os pais devem ser muito observadores e prestar atenção ao comportamento dos filhos. Se os padrões se repetirem, é hora de consultar um profissional especializado no assunto. As observações de familiares e educadores têm bastante influência.

crianças com dificuldades para se comunicar

O período entre dois e três anos de idade é fundamental para identificar deficiências no desenvolvimento da linguagem. Uma visita inicial ao psicólogo pode indicar problemas como mutismo seletivo e gagueira. No entanto, o fonoaudiólogo é o especialista responsável por trata crianças com dificuldades para se comunicar.

No caso de perceber alguma deficiência no desenvolvimento de uma criança, o ideal é buscar ajuda especializada o mais rápido possível.

“O mais importante na comunicação é ouvir o que não se diz”
–Peter Drucker–

O que o fonoaudiólogo infantil vai fazer?

A fonoaudiologia é a disciplina responsável pelo estudo dos problemas de linguagem e fala. Nesse sentido, um fonoaudiólogo vai analisar, diagnosticar e propor um tratamento para crianças que têm problemas relacionados com a comunicação.

Esse especialista trabalha o aspecto cognitivo, e também as deficiências físicas que os transtornos de comunicação geram. O procedimento sempre estará em conformidade com as características específicas das crianças e do meio social.

O fonoaudiólogo pode, inclusive, tratar problemas relacionados com a pronúncia errada das palavras. Eles também tem o poder de interferir na leitura e na escrita. Por isso são os especialistas ideais para tratar casos de dislexia.

Quatro anos de idade: o momento decisivo

Aos quatro anos, a construção das palavras, dos diálogos e das expressões já é bastante elaborada. Durante essa fase, os pais podem notar a repetição de erros que evidenciam um problema de fala das crianças. Os próprios professores podem alertar os pais também.

Aos cinco anos, a linguagem de uma criança já costuma ser bastante complexa e definida. A acentuação, a pronúncia, os movimentos da boca e a voz vão permitir perceber se alguma coisa não estiver bem.

crianças com dificuldades para se comunicar

Por esses motivos, nessa idade o ideal é agir, e não esperar o problema se resolver sozinho. Pelo contrário, com o passar do tempo vai ficar mais difícil fazer as correções, pois a linguagem se internaliza cada vez mais.

Não se deve pressionar crianças com dificuldades para se comunicar

Não ter um diagnóstico correto pode nos levar a assumir posturas pouco compreensivas que podem fazer mal às crianças. Os pais de primeira viagem devem prestar muita atenção nesse aspecto, já que não têm experiências anteriores. Não saber lidar bem com a situação pode desencadear problemas psicológicos de alto impacto.

É muito fácil confundir um problema de concentração no aprendizado com uma incapacidade na execução da fala. Dessa maneira, antes de emitir um julgamento descabido, o ideal é observar e ter moderação. O objetivo dessa postura é evitar qualquer possibilidade de trauma.

O que muitas pessoas ignoram é que crianças com dificuldades para se comunicar muitas vezes são vítimas constante de bullying e maus-tratos. Os pacientes infantis experimentam sentimentos como ansiedade, introversão, baixa autoestima, baixa sociabilidade e sentimentos de raiva. Tudo isso pode acompanhar a pessoa até a vida adulta.

Para concluir, as crianças que têm problemas para se comunicar devem ser diagnosticadas, protegidas e tratadas em prol de seu desenvolvimento pessoal. Poucas condições são insuperáveis e todas podem apresentar grandes melhorias com um bom tratamento.