Doenças que seu filho pode pegar em creches

· 7 de maio de 2018
As doenças contagiosas que as crianças podem pegar, por exemplo, em creches são muito conhecidas. Portanto, algo que tira a tranquilidade de muitas mães durante esta etapa é a exposição e a vulnerabilidade do pequeno a qualquer vírus.

É normal que quando as crianças começam a frequentar a creche tenham resfriado, bronquite, otite ou laringite. Fique tranquila, pois isso não é motivo de preocupação. É um processo natural para que o corpo da criança desenvolva seu sistema imunológico.

O sistema imunológico da criança é ativado diante dos estímulos de agentes infecciosos como as bactérias e os vírus. Isso faz com que as suas defesas se tornem mais fortes. Se posteriormente acontecer de o corpo ter contato com o mesmo agente patogênico, a “memória” imunológica é despertada.

Assim sendo, apesar de ser muito normal que a criança fique mais doente na creche, isso fará com que o seu corpo tenha um melhor desempenho contra vírus e bactérias no futuro. Se a criança tiver primeiro um resfriado e depois uma laringite, significa que o seu sistema imunológico está funcionando como deveria.

Existem vários tipos de doenças que as crianças podem pegar em creches. Por isso devemos nos informar sobre cada uma delas e ficar muito atentas aos sintomas.

As crianças que frequentam a creche sofrem de gastroenterite antes daquelas que ficam em casa, mas desenvolvem menos este tipo de infecção durante o período de educação infantil.

6 doenças que as crianças podem pegar em creches

Roséola ou sexta doença

Descoberta depois das cinco doenças exantemáticas (sarampo, escarlatina, rubéola, catapora e eitema infeccioso), a roséola ou exantema súbito também é conhecida como “a sexta doença”. Essa doença começa com uma febre muito alta, por volta de 40,5°C. A fase de febre é seguida por erupções cutâneas que aparecem no tronco da criança e depois se expande para as extremidades.

Estas pequenas manchas cor-de-rosa não coçam e permanecem na pele por 3 a 7 dias enquanto a febre diminui gradativamente. Esses sintomas são acompanhados por muco nasal, dor de garganta e vermelhidão dos olhos. Geralmente essa infecção termina sem complicações.

Infecções de ouvido

Entre as doenças que se espalham em creches se destaca a otite. A otite é inflamação do ouvido médio. Geralmente é causada devido ao acúmulo de muco provocado por uma infecção respiratória prévia. É natural que as crianças sejam mais vulneráveis ​​às infecções nos ouvidos comparado aos adultos porque suas trompas de Eustáquio são mais curtas, horizontais e largas.

bebê com otitis, uma das doenças que se pode contrair em creche

Se uma criança tiver essa infecção ela fará barulhos com a garganta e apresentará tosse, dor de ouvido e nariz escorrendo. Às vezes, a criança também pode apresentar febre.

Gastroenterite

Ocorre principalmente em crianças pequenas e os tipos causados pelo rotavírus são as mais comuns. Os principais sintomas são: diarreia, vômito, dor abdominal, febre e em alguns casos, presença de sangue e catarro.

Essa inflamação pode ser facilmente espalhada por meio da troca de fralda ou quando as crianças se limpam. Por isso é muito importante que a higiene seja impecável. Uma boa hidratação e uma dieta adstringente poderão melhorar significativamente o seu estado de saúde. Os antibióticos são recomendados apenas se as crianças não melhorarem naturalmente. Mas lembre-se: sempre com a supervisão de um médico.

Herpangina e a doença “mão-pé-boca”

Essas duas doenças são muito comum em bebês. A herpangina se apresenta como pontos vermelhos na parte de trás da boca que parecem pequenas aftas. Por sua vez, a doença “mão-pé-boca” se manifesta da mesma forma, mas com vermelhidão também nas mãos e nos pés.

Entre os principais sintomas estão a febre, a dor de garganta e um mal-estar geral que podem surgir mesmo antes do aparecimento das úlceras. As úlceras desaparecem por conta própria após 10 dias. O contágio dessa doença pode se dar tanto por contato ou pelo ar. Manter uma boa hidratação e higiene reduzirá o risco de infecção.

Conjuntivite

Esta é uma das doenças que se espalha mais rapidamente em creches. Ela ocorre devido à inflamação da conjuntiva, isto é, a membrana que envolve o olho e reveste a área interna da pálpebra e se prolonga até a parte de trás do globo ocular.

A conjuntivite é bastante comum em crianças e pode ser causada por irritação, alergia ou infecção. O olho começa a ficar vermelho por causa da irritação e produz mais lágrimas. As lágrimas por sua vez se infectam produzindo mais remela, aumentando a sensação de grãos de areia no olho e de dor com coceira.

Resfriado e faringite

Entre os sintomas mais comuns destes distúrbios estão a febre, o catarro e a congestão nasal. Não são doenças graves, mas aumentam a sensação de dificuldade respiratória na criança e, portanto, podem causar muito desconforto. Também pode provocar perda de apetite e aparecimento de vômito.

Criança com faringite, uma das doenças que se pode contrair em creche

A faringite costuma ser acompanhada por dor de garganta e tosse com catarro ou fleuma. Essas doenças geralmente desaparecem naturalmente após alguns dias, mas pode-se usar antipiréticos ​para controlar a febre e reduzir o mal-estar. Os mucolíticos e os expectorantes não são recomendados nesses casos, exceto se forem recomendados por um médico.

Os vírus imunizam até os 6 anos de idade

Os bebês que frequentam creches têm mais infecções do que as crianças que ficam em casa. Isso ocorre porque têm maior proximidade com outras crianças, como mencionamos.

Um estudo recente descobriu que crianças entre 3 e 6 anos de idade são protegidas contra esses germes devido à exposição precoce ao vírus.

A autora deste estudo, Marieke de Hoog, explicou que “a creche antecipa o momento em que a criança sofre de gastroenterite (antes dos dois anos de idade), mas não aumenta a sua incidência uma vez que a imuniza no estágio pré-escolar, antes do ensino obrigatório”. Além disso, ela afirma que “é possível que o efeito protetor perdure além dos 6 anos, embora sejam necessários mais estudos para fundamentar essa hipótese”.

Esta pesquisa, publicada pela revista Prediatrics, foi realizada com mais de 2.200 crianças com menos de 6 anos. Neste estudo foi observado que 83% das crianças haviam frequentado creches antes do primeiro ano de vida e que há uma taxa 13% maior de casos de gastroenterite aguda ou gripe intestinal em crianças que frequentaram creches nos primeiros dois anos de idade.

Muitas das doenças que podem ser contraídas nas creches são muito difíceis de evitar, principalmente quando há muitas crianças. No entanto, é possível tentar evitá-las com uma boa higiene e acompanhamento. Lembre-se de se manter sempre informada e levar seu filho ao médico se ele apresentar qualquer um dos sintomas mencionados nesse artigo.

  • Hullegie S, Bruijning-Verhagen P, Uiterwaal CS, et al. First-year Daycare and Incidence of Acute Gastroenteritis. Pediatrics. 2016; 137 (5): e20153356.
  • Mainou, C; Mainou, A; Arrufat, J. Conjuntivitis en la infancia. Farmacia profesional. 2006; 20 (3): 9-77.
  • Palacios-López CG, Durán-Mckinster C, OrozcoCovarrubias L, Saéz-de-Ocariz M, García-Romero MT, Ruiz-Maldonado R. Exantemas en pediatría. Acta Pediatr Mex 2015;36:412-423.