Os perigos da criação permissiva

· 21 de agosto de 2018
É muito difícil saber se estamos fazendo a coisa certa ou não, e o cansaço muitas vezes desempenha um papel importante na educação permissiva.

A maioria dos pais odeia a ideia de que as crianças os perturbem. Por isso, às vezes tentam evitar as birras ou as chateações. Mas não podemos nos esquecer de que estabelecer limites é uma parte importante para uma boa criação.

Os bebês, as crianças e os adolescentes precisam de limites e regras para se sentirem seguros. Assim, se você tiver uma criação permissiva com seus filhos agora, é essencial pensar sobre o que eles realmente precisam (e não você) para se desenvolverem corretamente e se tornarem adultos bem-sucedidos.

As crianças mudam. Consequentemente, seus desejos mudam, e elas passam a ter outras necessidades de desenvolvimento. Mas o que não muda é que sempre precisam de segurança. Quando os pais não fazem esse salto evolutivo e aprendem a estabelecer limites, as crianças não desenvolvem a capacidade de tolerância à frustração.

Essas crianças frequentemente são conhecidas como crianças malcriadas ou que não sabem como se comportar. Quando os pais não estabelecem limites, as crianças têm menos oportunidades para desenvolver a autodisciplina.

As crianças precisam de limites para um desenvolvimento emocional saudável. Nesse sentido, os limites razoáveis e os limites empáticos vão contribuir para que os laços entre pais e filhos se tornem mais fortes. Dessa forma, são necessários limites apropriados. Quando os pais não colocam limites, existem perigos potenciais que se deve conhecer.

criação permissiva

Os perigos de uma criação permissiva

Os pais concedem qualquer desejo

Há desejos que podem ser prejudiciais para as crianças, como dormir pouco por assistir televisão até tarde… algo que irá resultar em uma criança cansada e irritada que não entenderá as regras, os limites ou as figuras de autoridade. As crianças precisam seguir atividades que sejam adequadas à sua idade. autoestima da criança também pode ser prejudicada porque ela pode não aprender a lidar com determinadas situações como as outras crianças fazem.

A criança aprende que a decepção e a tristeza são intoleráveis

Quando uma criança aprende que a tristeza e a decepção são duas coisas intoleráveis, fará quase qualquer coisa para não sentir a frustração em seu interior. Elas passará o resto de sua vida fazendo o que for necessário para evitar sentir o que teme que será insuportável. Dessa, forma, defender-se da decepção irá exigir fazer coisas que podem acabar sendo destrutivas para si mesma – como evitar riscos, fazer trapaças, enganar, mentir, etc. Como a criança nunca aprenderá a se sentir confortável com os seus sentimentos difíceis, certamente irá precisar trabalhar sua inteligência emocional quando adulta.

Não terá amor próprio

Saber impor limites a si mesmo é uma habilidade crucial para o autocontrole na idade adulta e até mesmo na adolescência. Com uma criação permissiva, a criança nunca desenvolverá a autodisciplina. Portanto, não será capaz de estabelecer metas, algo realmente necessário para ter uma vida plena e feliz. A educação permissiva sabota a capacidade de conquistar coisas na vida.

criação permissiva

A criança nunca aprende que a felicidade não é derivada da satisfação dos desejos

As crianças sentirão que têm desejos que os outros devem cumprir por e para elas. É possível que passem a vida perseguindo algo porque pensam que com isso serão felizes. Isso ocorre porque não entendem que a felicidade não é um fim em si, mas um caminho. Viver o presente e desfrutar do que se tem sem desejar nada mais.

Além disso, esse estilo de criação permissiva vai educar crianças inseguras e com baixa autoestima, que não saberão organizar sua vida, nem conquistar metas… E o pior é que a relação entre pais e filhos também será gravemente afetada. Porque essas crianças terão sentido sempre um abandono emocional por parte de seus pais.