Segundo estudo ter filhos prolonga a vida

· 1 de outubro de 2017

Uma pesquisa realizada por cientistas do Instituto de Karolinska estudou a esperança de vida de 1.4 milhões de suecos e comprovou que ter filhos prolonga a quantidade de anos que você pode viver, especialmente se você é homem.

Os especialistas estudaram 704.481 homens e 725.290 mulheres, de 60 anos em diante, nascidos entre 1911 e 1925, de quem também recolheram dados como o estado civil das pessoas estudadas, número de filhos e seu sexo.

Depois de analisar os resultados de suas pesquisas concluíram que a paternidade diminui o risco de morte na terceira idade se comparada com as pessoas que não foram pais. Assim, quem tem filhos aos 60 anos possui uma esperança de vida de quase dois anos a mais do que quem não possui descendência.

A expectativa de vida das mães é de 24,6 anos dos 60 anos em diante, frente a 20,2 anos para os pais. Para as mulheres sem filhos é de 23,1, e para os homens de 18,4 anos; o que indicou o estudo publicado na revista média Journal of Epidemiology e Community Health.

Aos 80 anos os pais possuem uma esperança de vida de 7,7 anos (frente a 7 anos para quem não tem filhos); e as mães de 9,5 anos (8,9 anos).

Mãe e filho deitados na cama sorrindo

Sua vida é mais saudável quando tem filhos

Geralmente as pessoas que possuem filhos adotam costumes mais saudáveis do que quando eram solteiros e essa é uma das causas que poderia explicar o motivo que ajuda os pais a viverem mais anos.

No entanto, o estudo também afirma que os homens que convivem com uma parceira vivem mais tempo do que os solteiros. “Provavelmente porque os homens casados possuem o apoio e os cuidados do seu cônjuge, enquanto os que não estão casados e os viúvos são mais dependentes dos seus filhos”, explicam os pesquisadores.

O estudo é um trabalho observacional, ou seja, não é possível tirar nenhum tipo de conclusão firme sobre a causa e o efeito dessas conexões. Para os autores, “os resultados apontam que essa conexão é maior quando os pais envelhecem, em consonância com outros artigos que sugerem que as pessoas sem filhos enfrentam mais necessidades e falta de apoio no final da vida”.

“Uma família feliz não é nada mais do que um paraíso antecipado”. – Sir John Bowring-

Criar filhos prolonga a sua vida

Pai abraçando seu filho no colo

Ao estudar fatores como o nível de educação, os cientistas detectaram que o risco de morte era menor naquelas pessoas que tinham ao menos um filho. E surpreendentemente o fato de serem mães não supõe uma diferença tão grande em relação às mulheres que não possuem filhos. No entanto, em idades avançadas é possível detectar uma diferença importante entre os homens que foram pais e os que não.

“Não sabemos exatamente o motivo dessa situação, mas pode ser que os homens estejam mais protegidos que as mulheres ao se casarem, talvez porque a mulher geralmente é mais jovem que o homem nessas gerações. Outro fator pode ser que as mulheres solteiras geralmente possuem uma educação superior em comparação com as mulheres casadas, e no caso dos homens ocorre o contrário”, afirma Modig.

A longevidade e a família andam juntos

Ter uma boa alimentação, ser ativo fisicamente, e realizar exercícios de maneira moderada figuram entre os hábitos mais recomendados pelos médicos para manter uma vida saudável e longa. Mas além disso, ter filhos, ao contrário do que pensamos, não desgasta nossa vida, mas sim a prolonga.

Na verdade, cinco das seis pessoas mais velhas do mundo tiveram filhos e viveram dentro de uma família numerosa. Atualmente a esperança de vida no mundo é de 68 anos para os homens e 72 anos para as mulheres. Essa média vai aumentando à medida que a ciência avança e a qualidade de vida das pessoas melhora.

Os cientistas descobriram também que ter filhos retarda o processo de envelhecimento biológico das mulheres. Trata-se de uma investigação canadense feita por integrantes da Universidade Simon Fraser em Burnaby, que afirma que o estrogênio, um hormônio produzido em grandes quantidades durante a gravidez, contribui para retardar o envelhecimento.

Isso reafirma os resultados do estudo publicado no  Journal of Epidemiology and Comunity Health, em que participaram 21.256 casais da Dinamarca. Essa pesquisa também conclui que ter filhos é sinônimo de uma maior longevidade, e que a taxa de mortalidade é de dois a quatro vezes mais alta nas pessoas que não tiveram filhos.