Uma mãe que se ama, vacina seus filos contra a baixa autoestima

· 10 de outubro de 2018
Cuidamos e costuramos com fios de seda os pedaços quebrados do coração para abrigar todo um palácio de coragens, alegrias e esperanças para dar o melhor a quem mais merece.

Uma mãe que se ama vacina seus filhos contra a baixa autoestima. Porque poucos processos interiores são tão necessários quanto essa força.

Algo que não podemos esquecer é que a saúde psicológica dos pais é determinante para garantir um bom desenvolvimento emocional dos filhos.

E mais, a dimensão que mais reverte no legado pessoal de uma criança para que possa crescer com segurança, independência e felicidade é, sem dúvida, a boa autoestima de uma mãe.

Hoje, em “Sou Mamãe”, te contamos como você pode cuidar no dia a dia desse fator essencial de sua saúde psicológica.

Assim, você poderá ter uma melhor qualidade de vida. Assim, você poderá aos seus filhos esse alimento que não se vê nem se toca, mas que se sente: o amor incondicional de uma mãe que se ama para amar ainda mais seu filho.

Meu passado fica para trás, meu presente está em meus braços

que se ama

A boa autoestima adquire sua função no momento presente. Sua finalidade é essencial: demonstrar que merecemos tudo aquilo que temos e que estamos capacitadas para assumir qualquer desafio.

Além disso, nos mostra que não somente temos direito a ser felizes, mas também que somos arquitetas, magas e artífices na hora de dar felicidade aos outros.

  • Tudo o que você viveu no passado faz parte de você, mas não te define.
  • Os erros, as possíveis decepções vividas, as perdas ou os fracassos ficam nesse ontem. Com o qual temos que aprender, mas não ser cativas nem prisioneiras.
  • Seu presente é o que importa. E, principalmente, essa criança que você carrega nos braços, essa criatura que espera tudo de você.

Aprenda com o ontem para ser mais forte, para ser uma alma resiliente que vê o presente e o futuro com esperança.

Meu coração é um palácio de afetos e minha mente abriga um grande guerreiro

que se ama

Uma alta autoestima é o resultado de um íntimo processo de sobrevivência, aprendizagens, perigos variados e batalhas vencidas. Além dessa sabedoria que se adquire através do autocuidado, da intuição e da dignidade pessoal.

  • Só você sabe tudo pelo que passou. Só você sabe como superou seus medos e tudo o que deixou para trás para desfrutar da felicidade que tem agora.
  • Sua identidade está ligada à sua autoestima e a esse autoconceito que você foi construindo dia a dia, escolhendo teu próprio caminho. Você sabe o que quer, sabe o que é importante e não hesita em lutar por isso.

Uma boa autoestima não tem nada a ver com o egoísmo, com priorizar as próprias necessidades frente a dos demais.

Na verdade, tem a ver com esse autorrespeito, com o qual entendemos que todos merecemos ser respeitados.

Por isso, você ensinará aos seus filhos esse mesmo valor para ser uma pessoa melhor a cada dia.

Eu me curei como mulher para dar o melhor aos meus filhos

que se ama

Curar-se como mulher implica trabalhar uma série de passos que nos levarão a alcançar essa autoestima forte e saudável que você merece. Seu filho, por sua vez, agradecerá por crescer em felicidade.

  • O que devemos fazer, em primeiro lugar, é encontrar a ferida. Talvez tenha sido deixada pela nossa linhagem familiar ou por algum relacionamento anterior, um fracasso ou uma perda.
  • O segundo passo é ser consciente do quanto dói essa ferida e de como afeta o nosso dia a dia.
  • O terceiro passo faz referência a esse processo de gerenciar a dor. Aceitar, perdoar e seguir em frente sendo capazes de resolver esse passado com dignidade para adquirir novas habilidades. Por exemplo, a coragem, a não rendição, o amor-próprio, etc.
  • O quarto passo é a liberdade pessoal. Uma vez que curamos a ferida, devemos nos sentir livres dela para dedicar todo nosso amor ao que de verdade importa: os seres que amamos.

Eu te ensinarei a se amar, a aumentar sua autoestima

A única coisa que quem não ama a si mesmo pode transmitir é medo e insegurança.

Nenhuma criança merece isso. Nenhum pequeno deve crescer em um ambiente onde um dos pais não é capaz de cuidar de si mesmo como pessoa.

Por isso, devemos ser muito conscientes deste aspecto: uma boa autoestima é a raiz das relações afetivas felizes e da criação respeitosa.

Uma criação que é capaz de dar ao mundo crianças fortes, livres, felizes e seguras de si mesmas.

Por isso, como mãe, você sabe bem o que deve fazer. Você sabe que deve lembrar todo dia ao seu filho o quanto ele vale e tudo o que merece. Além de como é importante confiar em si mesmo.

que se ama

Ensine-o a ser humilde, a ser respeitoso e a cultivar essas emoções. Nelas, certamente, não cabem o “eu não mereço” ou “eu não posso”.

Convença-o de que o mais importante nesta vida não é ser o mais esperto, nem o mais bonito, nem o mais rico. O mais importante é ser feliz.