Adolescentes e dependência digital

6 de setembro de 2019
A era da tecnologia e das redes de informação nos trouxe muitas vantagens. O acesso a todos os tipos de cultura e conteúdo agora é rápido e fácil. No entanto, não devemos deixar de lado alguns riscos causados pelo uso excessivo de aparelhos tecnológicos.

Na era da comunicação e dos avanços tecnológicos, surgem novos problemas relacionados a essas inovações. Um dos mais comuns é a relação entre adolescentes e dependência digital. Afinal, quais problemas isso implica?


Embora seja um problema generalizado para todas as idades, as consequências são mais visíveis na fase da adolescência. A dependência digital representa um paradoxo interessante. Em princípio, é algo muito benéfico e útil, mas que pode se tornar um problema de saúde, afetando o âmbito familiar, pessoal ou, até mesmo, profissional.

O conceito de dependência digital

Para alguns especialistas, a dependência digital é um dos transtornos mais recentes da era tecnológica e da internet em que vivemos. Para outros, se trata do uso descontrolado da tecnologia, derivado dos inconvenientes do excesso.

A Organização Mundial de Saúde afirma que os vícios são uma doença mental. Então, de acordo com esses parâmetros, os critérios psicológicos devem ser levados em consideração quando se trata de dependência digital.

Quando existe um uso excessivo e problemático da tecnologia, seja de internet, telefones celulares ou videogames, gera-se uma dependência e, em alguns casos, uma obsessão. Essa dependência resulta em um vício que traz problemas em todas as áreas.

Como conceito, entende-se por dependência digital aquelas interações entre homem e máquina que causam sintomas como impotência, incapacidade de controle, dependência psicológica entre outros problemas. Todos eles se desenvolvem tanto de forma interna quanto de forma externa ao adolescente que sofre com esse vício.

Adolescentes e dependência digital: sintomas

Muitos pais se perguntam como é possível determinar se um adolescente sofre de dependência digital. A resposta pode parecer difícil, já que o uso da tecnologia é bastante comum hoje em dia.

No entanto, existem alguns sintomas de dependência digital que podem realmente indicar a existência do distúrbio.

Perda de capacidade de controle

Um dos principais sintomas da dependência digital é quando o jovem apresenta uma incapacidade de controlar o uso de tecnologia, internet, telefones celulares, videogames ou televisão. Isso faz com que a frequência de uso seja ainda maior e o tempo que ele dedica às tecnologias aumente cada vez mais.

Muitos pais se perguntam como evitar problemas de adolescentes e dependência digital.

Mal-estar clínico

O excesso e abuso do uso das tecnologias trazem desconfortos clínicos significativos. Eles são fáceis de identificar, uma vez que todos se refletem no humor do adolescente.

Diante da impossibilidade de usar a tecnologia, o jovem sente desconforto intenso, irritabilidade e angústia. Além disso, pode apresentar outros problemas de saúde como exaustão da vista e problemas relacionados com a postura.

Abandono de atividades

Outro sintoma comum nesse tipo de patologia, fundamentalmente presente nos adolescentes, é o abandono das atividades habituais.

Quando o adolescente deixar de dedicar tempo a atividades sociais, de lazer, familiares, de estudos, etc., é um sintoma claro da presença de um possível vício digital.

“O uso das tecnologias representa um paradoxo interessante. Em princípio é algo muito benéfico e útil. Porém, pode se tornar um problema de saúde, afetando o âmbito familiar, pessoal ou profissional.”

Prevenção da dependência digital em adolescentes

Existem muitas maneiras de abordar a prevenção da dependência digital em adolescentes. Uma das mais eficazes deve ser aplicada em casa. O papel dos pais diante do uso indevido de tecnologias pelos adolescentes é extremamente importante.

Os adultos devem ser responsáveis por supervisionar e estabelecer limites e normas para o uso de tecnologias por seus filhos. Ou seja, os pais devem estar presentes e atentos ao comportamento dos filhos adolescentes. Dessa forma, podem identificar a tempo possíveis problemas futuros.

A questão envolvendo adolescentes e dependência digital é muito discutida hoje em dia.

Embora o papel dos pais seja fundamental, é importante ter em mente que conversar com adolescentes sobre a dependência digital será inútil se os próprios pais forem viciados em tecnologia.

Portanto, o hábito de educar pelo exemplo é a melhor maneira de ajudar para que nossos filhos não sofram de transtornos relacionados à tecnologia.

A questão envolvendo adolescentes e dependência digital é bastante complexa, um problema moderno que dá lugar a muitas posições, questões e discussões. No entanto, também é um problema que propõe uma reflexão sobre a função educativa da família.

Nessa nova era em que o desenvolvimento tecnológico avança um pouco mais a cada dia, o papel da família é fundamental. O desafio dos pais e professores é acompanhar os adolescentes de forma saudável, estando cientes da influência das tecnologias de informação e comunicação.

  • Alonso-Fernández, F. (1996). Las otras drogas. Madrid: Temas de Hoy.
  • Becoña, E. (2006). Adicción a nuevas tecnologías. Vigo: Nova Galicia Edicións.
  • Echeburúa, E., & De Corral, P. (2010). Adicción a las nuevas tecnologías ya las redes sociales en jóvenes: un nuevo reto. Adicciones, 22(2), 91-96. http://m.adicciones.es/index.php/adicciones/article/view/196
  • Fundación Pfizer. (2009). La juventud y las redes sociales en Internet. Madrid: Fundación Pfizer.
  • Greenfield, D.N. (2009). Tratamiento psicológico de la adicción a Internet y a las nuevas tecnologías. En E. Echeburúa, F.J.
  • Labrador Encinas, F. J., & Villadangos González, S. M. (2010). Menores y nuevas tecnologías: conductas indicadoras de posible problema de adicción. Psicothema, 22(2). https://www.redalyc.org/html/727/72712496002/