Adolescentes: vício em videogames

23 de junho de 2019
Entre os maiores problemas que os adolescentes podem ter, está o vício em videogames durante esse estágio de suas vidas. O fato de passar muitas horas jogando no videogame ou no computador pode trazer riscos significativos para sua saúde física e mental. O que os pais podem fazer para prevenir ou tratar esse vício?

Um dos maiores problemas que a sociedade atual enfrenta é o vício em videogames dos adolescentes. O fato de passar muitas horas por dia em frente a um console de videogame ou computador pode ser mais prejudicial do que muitas pessoas imaginam.

Para evitar essa dependência, obviamente negativa para nossos filhos, é importante reconhecer os sintomas do vício em videogames e tomar as medidas adequadas.

Adolescentes: tecnologia e vício em videogames

As novas tecnologias trouxeram vantagens em todas as áreas da vida, incluindo o entretenimento. Os videogames estão incluídos nisso, e podem até ser positivos em vários aspectos do desenvolvimento da criança.

No entanto, quando deixam de ser um hobby para se tornar um vício, os problemas começam.

É necessário identificar o momento em que o hobby se torna um vício. Esse é o segredo para poder agir rapidamente.

Nesse sentido, recomenda-se que os pais limitem e controlem o tempo que seus filhos passam em frente ao console de videogame ou ao computador.

Sintomas do vício em videogames

Tempo

O tempo é um dos maiores indicadores de que algo está errado com os videogames. Os pais devem prestar atenção se o tempo de jogo vai aumentando pouco a pouco até ao ponto de o adolescente passar muitas horas por dia em frente ao console.

O adolescente apresentará um comportamento no qual cada vez mais precisará dedicar mais tempo aos videogames.

Idades

Embora esse vício possa surgir a qualquer momento desde o início da atividade, também é verdade que existe uma faixa etária em que a pessoa tem maior probabilidade de ficar viciada. Nesse sentido, os adolescentes são mais vulneráveis entre 12 e 20 anos.

vício em videogames

Isolamento

Outro dos sintomas mais comuns do vício é a falta de socialização e o isolamento do adolescente. Nesses casos, todos os dias a pessoa prefere passar horas em frente ao computador ou ao console do que de sair para fazer alguma atividade ao ar livre, sair com amigos ou simplesmente fazer outro tipo de atividade.

Baixo desempenho escolar

O baixo desempenho escolar é um dos sintomas mais frequentes. Quando os adolescentes perdem o controle, começam a passar horas jogando. Inclusive ficam até altas horas da madrugada.

Como resultado disso, ficam sonolentos durante o horário escolar, acabam dormindo e não fazem seus deveres. Distúrbios do sono e alterações nos padrões de sono também são sintomas desse problema.

Sintomas de abstinência

Sintomas de abstinência também aparecem quando o adolescente não pode jogar por um determinado período de tempo. As consequências podem ser: falta de vontade, tristeza, agressividade, mudanças radicais de humor e uma atitude defensiva.

Perda de relacionamentos

Adolescentes com problemas de dependência também têm dificuldade em manter relações pessoais ou amizades estáveis. As razões para isso são muito simples: relutância em compartilhar e socializar e mudanças de humor drásticas.

“Quando os videogames deixam de ser um hobby e se tornam um vício, os problemas começam”

Tratamento para o vício em videogames em adolescentes

Limitar as horas de jogo

Recomenda-se que os pais estabeleçam limites e controlem as horas de jogo de seus filhos. Inclusive, em alguns casos, o uso de consoles deve ser limitado a um ou dois dias por semana.

O tempo é o segredo para evitar que as crianças se tornem dependentes. Além disso, também pode ser a base para ajudá-las a superar essa situação.

Ajuda psicológica

Se os pais considerarem que seu filho tem um problema de dependência, devem procurar a ajuda de um psicólogo para que o oriente e ajude a superar esse problema.

Em casos extremos, existem centros de reabilitação. No entanto, apenas uma porcentagem entre 7% e 13% apresentam problemas em níveis tão preocupantes.

vício em videogames

Estimular outras atividades

Os pais podem encorajar e incentivar seus filhos a realizar outros tipos de atividades que não estejam relacionadas à tecnologia. Matricular o jovem em esportes, pintura ou música são boas opções para ajudá-lo a sair do isolamento social em que se encontra.

O vício em videogames em adolescentes é uma realidade que a sociedade moderna enfrenta. Para evitar essa situação, os pais devem assumir o controle da criação de seus filhos. Dessa forma, é preciso estabelecer limites claros em relação aos jogos digitais.

  • Alcántara Garrido, Mº. C. (2008). Los videojuegos y los efectos psicológicos en los adolescentes. Los videojuegos en la docencia. Innovación y experiencias educativas, Nº 4.
  • Fernández, L. C. (2011). Ocio Digital Activo. Beneficios y perjuicios a nivel social y psicológico. Lecturas: Educación física y deportes, (161), 9. https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4189899
  • Rodríguez, E. (2002). Jóvenes y videojuegos: espacio, significación y conflictos. Instituto de la juventud.
  • Salguero, R. T. (2001). La adicción a los videojuegos. Una revisión. Adicciones, 13(4), 407-413.