Desmame noturno: truques para ensinar o seu bebê a dormir à noite

· 4 de abril de 2019
Vamos resolver algumas dúvidas sobre o desmame noturno, que geralmente começa quando o bebê tem entre 4 e 6 meses.

O momento em que uma mãe decide tirar o peito do bebê muitas vezes é tratado como um tabu ou como um mar de dúvidas. No entanto, tenha em mente que não é necessário fazer isso “porque é o que deve ser feito” ou porque “a criança já está muito grande”.

De qualquer forma, o que fica claro é que, quando se decide proceder ao desmame noturno, geralmente surgem muitas dúvidas sobre como realizá-lo. Por isso, neste artigo, vamos resolvê-las.

Se você gosta de dar o peito ou a mamadeira para o seu bebê à noite, não há nenhuma razão para parar. Com o tempo, o bebê vai abandonar esse hábito. Por outro lado, se você se sente cansada ou de mau humor e percebe que o seu bebê já está fisicamente preparado para essa mudança, é hora de proceder ao desmame noturno.

A mãe é quem decide quando vai fazer o desmame e por quais motivos. Cada criança é um caso. Muito bem, agora que chegou a hora de fazer o desmame, é óbvio que você quer fazer da melhor e mais respeitosa maneira possível.

Perguntas que surgem diante do desmame noturno

A seguir, vamos expor algumas das perguntas que toda mãe costuma pensar na hora de iniciar o processo de desmame noturno.

Quando sei que o meu bebê está preparado?

Calma, mamães! Tudo depende de cada caso. Se o seu bebê tiver entre 4 e 6 meses de idade, certamente é hora de começar a caminhada em direção ao desmame noturno. A maioria dos bebês nesse período já consome calorias suficientes durante o dia para poder dormir cinco ou seis horas seguidas.

Geralmente, os bebês frequentemente acordam pedindo o peito. Então, como estão muito acostumados a isso, você vai precisar de um pouco de tempo para mudar essa rotina.

 Perguntas que surgem diante do desmame noturno

Além disso, você deve se perguntar se o que o bebê quer é estabelecer um vínculo com você. Algumas mães passam pouco tempo com os filhos durante o dia, então talvez o seu bebê esteja tentando compensar essa carência durante as horas de sono.

Outra razão pela qual o seu bebê acorda com frequência é porque os dentes estão começando a nascer ou porque está com algum tipo de doença, como, por exemplo, um resfriado, ou ainda pode se dever a uma possível mudança no seu desenvolvimento.

Por todas essas razões, é de vital importância proceder ao desmame noturno sem fazer mudanças repentinas, já que é um momento no qual o seu bebê precisa de você para se sentir protegido. Acima de tudo, se você tiver dúvidas em algum momento, fale com o seu pediatra.

Quais passos devo seguir?

Agora, vamos prosseguir com alguns passos simples que podemos seguir para fazer o desmame noturno.

  • Sempre ter em mente os sentimentos do seu bebê. Você escolheu o momento para o desmame do seu filho e, portanto, deve compreender os momentos de frustração que possam surgir no processo.
  • Não ignorar os nossos próprios sentimentos como mãe. O normal é sentir tanto culpa quanto alívio, em partes iguais. Por isso, não seja tão dura consigo mesma.
  • Analisar o momento em que o desmame vai acontecer. Nem todo momento é bom para iniciar essa mudança. Por exemplo, uma mudança de casa, a chegada de um irmão ou uma irmã, o início da creche, etc. Recomenda-se não iniciar esse processo delicado em qualquer momento crucial da vida familiar.
  • Seu bebê vai precisar de mais carinho para compensar essa ausência.
  • Oferecer líquidos ou alimentos. Na hora que o seu filho acordar e procurar o peito, ofereça alternativas como água ou leite, por exemplo.
  • Mudar o bebê de cama. A emoção de ficar mais velho e começar a dormir com o irmão ou em um outro quarto pode facilitar a mudança. No entanto, isso só é aconselhável se não implicar obrigar ou ter que forçar a criança.
  • Envolver o pai no desmame. Geralmente, é eficaz para que o pai se conscientize do que essa mudança significa para o bebê. Isso significa pegá-lo no colo quando ele acordar, entretê-lo e mostrar o seu carinho e apoio.
  • Voltar atrás e parar quando necessário. Não é preciso ser intransigente e acreditar que, após começar, você não pode mais voltar atrás.
Seu bebê vai precisar de mais carinho

A opinião dos especialistas

Existem muitos especialistas que já opinaram sobre esse assunto. Primeiramente, a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda o aleitamento materno exclusivo durante os primeiros seis meses do bebê, sendo que deve ser mantido pelo menos até os dois anos de vida.

Em segundo lugar, o pediatra Richard Ferber explica no seu livro “Bom Sono” que as mamadas noturnas desnecessárias podem causar distorções no sono. Segundo a teoria de Ferber, se um bebê acorda várias vezes para comer ou por problemas digestivos, isso pode levá-lo a querer comer mais, criando assim um círculo vicioso.

Por sua vez, o pediatra William Sears enfatiza os benefícios das mamadas noturnas para fortalecer o vínculo entre pais e filhos. Ele encoraja os pais a não fazerem o desmame noturno e a adiá-lo o máximo possível, desde que isso não seja um impedimento para a família.

Em seu livro The Baby Sleep Book (O Livro do Sono do Bebê, em tradução livre), Sears mostra estratégias de como dormir com o seu filho ou como amamentá-lo na cama, para que, dessa forma, as mamadas noturnas sejam mais fáceis para os pais.

Como conclusão, diante dessas dicas e opiniões, assim como em todas as outras decisões que os pais precisam tomar durante a vida em relação ao seu filho ou à sua filha, você deve fazer aquilo que acredita que seja o melhor, tanto para a sua saúde quanto para a do bebê.