Como agem os pais tóxicos?

· 11 de julho de 2018
Hoje pretendemos falar sobre essa realidade que não é debatida muitas vezes: os pais tóxicos e seu comportamento.

Os pais tóxicos estabelecem relações problemáticas com seus filhos. Filhos que, se não desenvolverem inteligência emocional o suficiente por si mesmo e se desprenderem do amor doentio dos pais, se tornarão dependentes, infelizes e vulneráveis ao extremo.

Os pais tóxicos e seu comportamento

Apesar do comportamento dos pais tóxicos ser evidente, nem sempre são identificados pelos seus filhos. Na verdade, isso é muito difícil de acontecer. Geralmente, e infelizmente, os filhos só se dão conta de que têm pais tóxicos tardiamente. Na juventude, na vida adulta, na velhice. Pode ser ainda que nunca percebam.

O comportamento dos pais tóxicos é variado. Dentre muitos, podemos citar:

Autoritários
Princípio: Você deve fazer isso, ser assim, sentir e pensar dessa forma porque eu estou dizendo.

Consequência: Filhos submissos, dependentes, complacentes e com baixa autoestima. Pouca confiança em si mesmos.

pais tóxicos

Superprotetores
Princípio: Não faça, sinta ou pense nada antes que eu verifique primeiro. Você deve estar sempre sob minha supervisão para não sofrer nem cometer erros ou ser prejudicado.

Consequência: Filhos incapazes, receoso de tudo e de todos. Falta de iniciativa.

Bisbilhoteiro
Princípio: Tenho o direito de me meter na sua vida, perseguir você e saber de tudo porque eu dei a vida e criei você.

Consequências: Filhos mentirosos, rebeldes, submissos…, de acordo com cada indivíduo.

No entanto, existe um tipo de “toxicidade”, por assim dizer, que prevalece nas pessoas do sexo feminino. As mães tóxicas do tipo “sofridas” são letais; fatais à independência e ao desenvolvimento emocional dos seus filhos. A seguir, falaremos sobre elas.

Uma mãe tóxica, muito tóxica

Uma mãe tóxica que se especializa no sofrimento é sacrificada em excesso, ou pelo menos, isso é o que demonstra ao filho desde pequeno.

Ela age mediante chantagem emocional. À medida que a criança cresce, ela se encarrega de deixar claro tudo o que ela precisou adiar e sacrificar em prol da criação do filho.

É importante enfatizar que a mãe tóxica “sofrida” não age com maldade. Ela acredita firmemente que amor de mãe é sacrifício, sofrimento; um sofrimento tão grande que chega a ser doloroso.

Apesar de não existir um motivo específico que motive seu comportamento, seu modo de agir se deve a medos reais de que a criança em questão cresça e saia de casa, ame alguém mais ou se dê conta de que não precisa dela. A distância do filho, para ela, significa a morte.

A mãe tóxica “sofrida” manipula o filho de tal forma que o faz acreditar que ela é e sempre deve ser a protagonista da vida dele.

Transforma-o em uma marionete e manipula os fios com o objetivo claro de fazer com que o filho se mantenha à espera do que ela precisa ou pode precisar. Ela ensina ao filho que, mesmo depois de crescido, a relação deles deve ser a principal.

Uma mãe tóxica “sofrida” educa seu filho de forma a fazê-lo acreditar que é dever dele cuidar da mãe. E mesmo depois que o filho crescer, casar e ter filhos, ela deve ser prioridade na vida dele.

pais tóxicos

O filho de uma mãe tóxica “sofrida”

O filho de uma mãe tóxica “sofrida” que não consegue se desprender da “doença” que contraiu ao nascer (sua própria mãe) jamais vai perder o cordão umbilical que o prende.

À medida que for crescendo e sua progenitora envelhecendo, a relação de “amor sofrido-estou unido a você” vai se transformar no “amor com pena-devo a você por todo seu sacrifício” e, ao final, continua ficando à mercê dela.

Uma criança que tem uma mãe desse tipo é educada, submissa, complacente em excesso, estudiosa…uma criança modelo.

Qualquer erro cometido a faz se sentir extremamente culpada pela dor que sua mãe pode sentir. Mesmo quando o erro for tão banal quanto quebrar um prato.

Consequências do comportamento dos pais tóxicos

Os filhos que têm pais tóxicos se transformam em crianças e adultos amargurados, pessimistas e com uma grande baixa autoestima. Por outro lado, eles também podem ficar rebeldes e chegar até a praticar o vandalismo.

Qualquer que seja o caso, os filhos de pais tóxicos apresentam dificuldades de estabelecer relações saudáveis com seus semelhantes e podem se tornar instáveis no nível emocional.