Os estilos de criação ao longo do tempo

· 22 de fevereiro de 2017

Os pais de hoje em dia parecem assustados com a tarefa de educar os filhos. Os estilos de criação evoluíram. Nos anos 60 e 70, a paternidade autoritária era amplamente utilizada. A geração seguinte se decidiu pelo oposto: a paternidade permissiva.

Atualmente alguns pais nem sequer sabem como agir com os próprios filhos. Os pais que aplicam a paternidade democrática são poucos e, geralmente, o fazem sem saber.  Existem muitos estudos que tentam relacionar esses diferentes estilos de educar os filhos. No entanto, na prática é difícil aplicar um método rigoroso que permita que as crianças se desenvolvam adequadamente.

É importante que, como pais, vocês identifiquem o tipo de paternidade que melhor se adapta à sua família. Neste artigo vamos abordar algumas opções.

Paternidade autoritária

Se você é um pai autoritário, sua característica principal é impor obediência e respeito. Nesse primeiro estilo de criação, a relação que você estabelece com seu filho, o afeto, a reciprocidade e o equilíbrio não estão presentes. Portanto, você deve saber que o desenvolvimento do seu filho está sendo prejudicado.

Levar ao extremo esse tipo de paternidade compromete as relações posteriores que seu filho vai estabelecer com outras pessoas. Os pais que exercem a paternidade autoritária se caracterizam por:

  • Ser uma pessoa exigente
  • Ser pouco tolerante
  • Ser pouco compreensivo
  • Aplicar castigos físicos constantemente
  • Aplicar castigos emocionais e repreender

O resultado desse tipo de paternidade é um filho conformado e com personalidade submissa. O ambiente emocional criado e caracterizado pela violência reduz a troca de afeto e não é favorável ao desenvolvimento da autoestima do seu filho.

Além disso, a autonomia que é necessária para a tomada de decisões nem sempre tem espaço para se desenvolver. Seu filho vai desenvolver uma dependência física e emocional com os pais. Definitivamente, esse não é um tipo de paternidade que recomendamos.

Paternidade permissiva

estilos

Se o estilo que você usa é a paternidade permissiva, você é tolerante e afetuoso. As características desse segundo estilo de criação são:

  • Não utiliza nenhum tipo de castigo
  • Evita ser autoritário
  • A imposição de regras e restrições é mínima
  • Não estabelece limites
  • Permite que os filhos tenham comportamentos inadequados que causam problemas.

É importante que você leve em consideração o fato de que os filhos que são criados sob o ponto de vista de uma paternidade permissiva excessiva não desenvolvem um comportamento maduro. Eles não praticam a boa educação e têm problemas para se adaptar às regras.

Pense que se você sempre permitir que seu filho regule o próprio comportamento e se não estabelecer regras, nunca conseguirá moldar ou direcionar o comportamento dele. Ele vai crescer imaginando que não existem regras na sociedade, assim como em sua casa. Nem vai entender que existem consequências quando nos comportamos de maneira errada.

Buscando o equilíbrio com a paternidade democrática

Há dados que sugerem que uma educação em um ambiente familiar sem tensões e com indivíduos que exercem a paternidade democrática pode educar pessoas mais relaxadas. Quem cresce sob esse terceiro estilo de criação tem mais capacidade para lidar com os problemas de forma otimista, para dessa forma, conseguir sobreviver socialmente.

Os pais democráticos se caracterizam por serem bastante tolerantes e, ao mesmo tempo, exigentes quanto à educação dos seus filhos. Ou seja, existe um equilíbrio entre a paternidade autoritária e a paternidade permissiva.

Nessa modalidade, os filhos devem responder às exigências dos pais. Mas estes também aceitam a responsabilidade de respeitar, dentro do possível, os pontos de vista e as ideias dos seus filhos.

Tanto a mãe como o pai chegam a um acordo comum para impor a disciplina de forma indutiva. A comunicação com os filhos é sempre clara e aberta, baseada no respeito mútuo. Se você é esse tipo de pai e mãe, garantimos que seu filho vai crescer com um nível de maturidade social correto, um comportamento independente e um alto nível de competência psicológica e comportamental.

Analise os estilos de criação e escolha o seu

estilos

Pais e filhos perfeitos só existem nos filmes. Não existem na vida real. Os extremos nunca são bons e não ajudam em nada. Alguns pais conseguem atingir o equilíbrio proposto na paternidade democrática, outros nem sequer a consideram como uma opção. Analise os estilos de criação que existem.

Somente lembre-se de que o comportamento dos adultos exerce influência direta na maneira de ser dos filhos. Os limites e a permissividade são necessários na vida das crianças. Mas é fundamental saber impor essas características com equilíbrio durante a criação.