Probleminhas diários de toda grávida

12 de maio de 2017

Indício dos primeiros probleminhas diários de toda grávidas… Acordei com vontade de comer bolo de chocolate no café da manhã para me animar. Sim, eu sei que eu deveria dar prioridade às proteínas nas primeiras horas do dia. Mas uma grávida pode se permitir esses pequenos pecados. Pronto, me sinto feliz e satisfeita! Tanto que… Espere um pouquinho, preciso ir ao banheiro.

Vejamos, quantas de nós já comeram um delicioso pedaço de bolo cujo prazer não durou nem cinco minutos? É horrível. Vamos admitir, não ter controle do que comemos e muito menos daquilo que podemos digerir nos deixa desesperadas. Ficamos desejando que os nove meses passem rápido, antes que fiquemos destruídas.

O que ninguém conta é que as náuseas e os enjoos típicos do primeiro trimestre de gravidez ficam no passado para dar lugar a outros mal-estares característicos da gravidez.  Assim, o mais sensato é respirar fundo e enfrentar a gravidez com uma atitude positiva.

Esses probleminhas diários que devemos enfrentar acabam tirando o protagonismo do romantismo da doce espera. Uma espera que parece ser mais amarga do que nós pensávamos. Vamos ver os motivos.

Os 10 probleminhas diários das grávidas que não esperávamos

pppp

1.- O medo

Não é segredo que o desconhecido causa medo. Isso é o que sentimos, na sua expressão máxima, quando estamos grávidas. Não importa o quanto planejamos, sonhamos e esperamos o bebê. A incerteza e a iminente mudança de vida sempre vão causar pânico em nós.

2.- As náuseas

Algumas vezes vamos sentir vontade “de devolver” a comida. Outras vezes simplesmente faremos isso sem nenhum sintoma que nos avise de que precisamos ir ao banheiro. O melhor a fazer é tentar não se sentir uma extraterrestre quando acabamos debruçadas sobre um vaso ou uma lata de lixo. Isso não é uma exceção, mas praticamente uma regra.

3.- Os desmaios

Pequenos desmaios não são cenas exclusivas de novela. A fraqueza que caracteriza o primeiro trimestre de gravidez se transforma em desmaios, mas sem príncipe encantado.

4.- O sono

Aquela reunião importante com seu chefe ou aquela aula superinteressante na faculdade não serão obstáculos para você deixar escapar um bocejo e começar a cochilar devido ao sono exagerado. Parece que o corpo está exigindo o repouso que o médico não receitou.

5.- Meu corpo

Quando a barriga começa a crescer nós nos sentimos bem pouco atrativas. Confundimos estar grávida com estar gorda e achamos que não despertamos mais o desejo do nosso companheiro. Assim começamos a chorar, nos sentindo a pessoa mais feia do mundo. A boa notícia é que essa sensação passa rápido.

6.- Os desejos

Não há nada mais irracional que um desejo. É nessa fase que podemos sentir vontade de combinações de alimentos que jamais pensaríamos em comer em qualquer outro momento da vida. Como sorvete com mostarda, pipoca com ketchup e outras loucuras mais.

7.- Festival de hormônios

Durante a gravidez nós nos transformamos em um carrossel de hormônios. Algumas vezes com o ânimo para cima, outras vezes para baixo.

8.- Os chutes

Sempre sonhamos em sentir os famosos chutes do bebê na nossa barriga. O que não imaginamos é que essa sensação pode ser desagradável. Quem gostaria de se sentir um pouco sem ar ou de levar um chute nas costelas? Não reclamar disso poderia ser considerado masoquismo.

9.- O desespero

Perto do oitavo mês estaremos pedindo aos gritos: “Tirem essa barriga de mim!”. O desespero toma conta de nós. Vamos dizer que queremos fazer uma cesárea porque não estamos mais dispostas a esperar pelo parto. Não falaremos mais do bebê, somente do incômodo barrigão. Até percebermos que falta pouco para o grande dia. Então o medo vai nos deixar mais calmas e vamos assumir “esse fardo” com mais disposição.

probleminhas

10.- Bem-vindo ao novo mundo

O dia em que nosso bebê chega ao mundo não é somente o dia do nascimento dele. É também o dia do nascimento de uma mãe, que irá enxergar tudo ao seu redor a partir de outra perspectiva. Essa nova realidade vai nos surpreender e nos afligir um pouco, sobretudo nos primeiros meses do bebê. O mais provável é que vamos acabar lamentando não ter aproveitado mais a “pausa” que representava a gravidez.

Depois de ler o que ninguém nos conta, não podemos perder de vista o fato de que a gravidez é uma fase difícil, mas única e diferente. Assim, mesmo se você tiver cinco filhos, cada gravidez será sem igual.

Dessa forma, entender os probleminhas diários de todas as grávidas tornará mais fácil passar por esse processo sem ficar deprimida e desesperada. Devemos nos concentrar na bênção que significa dar vida a um ser humano.