Proibir as crianças: erros dos pais

27 Agosto, 2020
Proibir os filhos de fazerem certas coisas é algo que todos os pais fazem, pois é uma maneira de proteger e controlar os pequenos. Mas, às vezes, dependendo da situação, não deveríamos proibir, pois é importante que ocorram para a correta evolução da criança.

Todos nós, como pais, queremos educar os nossos filhos da melhor maneira possível. Mas, às vezes, proibir as crianças de fazerem certas coisas só serve para prejudicá-las. Sem querer, é claro, e de forma inconsciente.

Os pais têm a tendência de proibir os filhos de fazerem certas coisas como uma maneira de protegê-los, educá-los e corrigi-los. Mas, às vezes, essas proibições restringem sua liberdade como indivíduo e prejudicam o desenvolvimento da personalidade, o autoconhecimento, a confiança e até mesmo a autonomia dos pequenos.

Se você quer saber quais são as coisas que, como pais, proibimos, mas não deveríamos, continue lendo.

Proibir as crianças: limites e regras x proibições excessivas

Todos concordamos que regras e limites são muito necessários para a educação das crianças. Isso contribui para que elas se relacionem com os outros e com o ambiente ao seu redor de uma maneira saudável. E, além disso, também é algo importante para sua segurança e seu bem-estar pessoal.

No entanto, há certas coisas que nunca deveríamos proibir as crianças de fazerem, mas que a maioria de nós proíbe. Proibimos gritar, correr, pular, perguntar, chorar e, às vezes, até mesmo se sujar! A seguir, vamos mostrar uma lista de coisas que não devemos proibir as crianças de fazerem.

Coisas nas quais os pais se equivocam ao proibir para os filhos

Coisas que não devemos proibir as crianças de fazerem

Brincar como uma criança

Se você parar para pensar em alguns momentos da sua infância, certamente muitos deles têm a ver com brincar com barro, pular em uma poça d’água, explorar em busca de tesouros…

Então, por que não permitir que o seu filho pule em poças, fique sujo de lama e explore? Podemos cuidar da sujeira depois, quando for o momento de se limpar, e uma calça rasgada com certeza pode ser costurada.

A única coisa que precisamos garantir é que as brincadeiras aconteçam em um ambiente seguro. E, se você quiser se divertir também, por que não brincar com as crianças, mesmo que você saia suja no fim? Deixe aflorar o seu lado mais infantil com elas.

Perguntar é uma das coisas que não precisamos proibir as crianças de fazerem

Às vezes, as perguntas contínuas dos pequenos acabam nos sobrecarregando. Mas eles não fazem isso para nos irritar, e sim para terem respostas para suas inquietações. Nessa fase, eles precisam entender o mundo.

Portanto, em vez de dizer “pare de perguntar” ou “não pergunte tanto”, você pode propor procurarem a resposta juntos em um livro, em um atlas ou através de qualquer outro meio que possa ajudar a responder as perguntas dos seus filhos.

“A Educação não é a resposta à pergunta. A Educação é o meio para encontrar todas as respostas”.

– William Allin-

Expressar-se

Não devemos proibir que as crianças se expressem, nem em casa nem fora dela. Muitos de nós já vimos os nossos pequenos dizendo algo inconveniente na frente de parentes ou conhecidos e, por isso, proibimos categoricamente que eles falem algumas coisas na frente dos mais velhos.

Mas, se você tirar da criança o direito de se expressar desde a infância, no futuro ela será uma pessoa que não vai expressar seus pensamentos,suas  emoções ou suas ideias.

O indicado é ensinar valores como o respeito e a consideração pelos outros e mostrar que, às vezes, podemos prejudicar as outras pessoas com as nossas frases. Sempre aceite as opiniões das crianças como as de qualquer outra pessoa.

Coisas nas quais os pais se equivocam ao proibir para os filhos

Chorar

Se você proíbe o seu filho de chorar, você está proibindo que ele expresse suas emoções. Assim como ele ri quando está feliz, é totalmente normal que chore quando estiver triste. Não use frases como “pare de chorar” ou “chorar é coisa de…”.

Em vez disso, pergunte qual é o problema, para que seu filho possa expressar os próprios sentimentos e desenvolver a tão necessária inteligência emocional.

Ser possessivo com as coisas

Por que precisamos forçar as crianças a compartilhar tudo, a qualquer hora e em qualquer lugar? Essas coisas pertencem a elas. Temos que ensinar o valor de serem generosos e a importância de compartilhar, mas nunca obrigá-las.

Quando seu filho não quiser compartilhar um brinquedo, por exemplo, não tire dele para dar a outra criança. Se agir assim, você não estará ensinando seu pequeno a compartilhar. Pelo contrário, com isso você vai mostrar que, quando a criança quiser alguma coisa, pode tomá-la de alguém.

Ser criança

As crianças correm, gritam, pulam e riem alto. Sim, elas fazem muito barulho! Fazem birra, desobedecem e fazem travessuras. Em resumo, elas têm muita energia e curiosidade, exploram, descobrem, cometem erros, ficam sujas… É claro, porque elas são crianças, não plantas!

Portanto, não podemos obrigá-las a ficarem caladas, quietas e sem se mexer durante uma hora em algum lugar qualquer, sem que tenham nada para fazer. Essa é a natureza das crianças: a vitalidade e o movimento.

Neste espaço, mostramos algumas das coisas que os pais erram ao proibir as crianças de fazerem. Crianças são crianças, e não podemos proibi-las de serem do jeito que são porque também já passamos por isso.

Essas proibições acabam repercutindo no comportamento, na liberdade, na confiança, na personalidade e na autonomia dos pequenos. Então, vamos tentar evitá-las?