10 regras de comportamento para crianças

· 29 de janeiro de 2018

Para que as crianças se desenvolvam e se integrem adequadamente na sociedade, é necessário estabelecer algumas regras de comportamento. Neste artigo vamos propor algumas normas e explicar por que é tão importante estabelecer limites.

Ser pai ou mãe não se limita a trazer uma criança ao mundo e somente dar os cuidados físicos que ela precisa. O ser humano precisa de uma sociedade para se integrar e que o ajude e a se desenvolver e evoluir. Isso significa certa harmonia na convivência. Para isso é necessário estabelecer algumas regras de comportamento que devem ser aprendidas desde a primeira infância.

Para que os pequenos se tornem responsáveis, sociáveis, tolerantes e saibam como se desenvolver em seu ambiente, é essencial estabelecer certos limites. Essas referências vão guiar o comportamento das crianças durante o crescimento e o desenvolvimento.

A importância das regras de comportamento

Ter normas e limites na infância ajuda a enfrentar novas situações e a desenvolver uma série de valores

Estabelecer diretrizes no comportamento traz benefícios tanto em curto prazo quanto em longo prazo. Além de ajudar as crianças na evolução como pessoas e a se integrar ao ambiente, as regras proporcionam uma sensação de segurança. Saber os limites, o que podem e o que não podem fazer vai dar mais tranquilidade na hora de agir, principalmente se for combinado com uma rotina.

os pais são o primeiro exemplo para ensinar regras de comportamento

Essas diretrizes de comportamento também vão permitir que as crianças diferenciem o que é certo ou errado. Elas desenvolverão os seus próprios valores e, consequentemente, tenderão a manter distância do mau comportamento. Isso vai fazer com que elas se adaptem melhor a novas situações, uma vez que possuem referências básicas claras. Os pequenos aprenderão a se comportar em ambientes diferentes sem maiores dificuldades, sempre com base no respeito e na tolerância.

Como as regras de comportamento devem ser

As orientações que sugerimos devem ser sempre adaptadas às habilidades e ao desenvolvimento de cada criança

A educação das crianças demora muito tempo, então quaisquer regras que forem estabelecidas não vão mudar o comportamento delas de um dia para o outro. Por isso, a primeira coisa é ter paciência. Não seja muito rígido e nem fique bravo se no início não funcionar. Ao orientar as crianças pouco a pouco, elas vão saber o que fazer e o que não fazer. Isso vai proporcionar tranquilidade e segurança em si mesmas.

A seguir vamos listar uma série de sugestões para as regras de comportamento:

  • Não há necessidade de colocar regras em tudo. As crianças têm que ter limites, mas também precisam de espaço para explorar, experimentar e se desenvolver.
  • Os limites devem ser adaptados a cada criança, garantindo que ela compreenda para atender e respeitar.
  • É necessário regras justas e coerentes, de acordo com as necessidades da criança. Além disso, é essencial que as regras estejam em harmonia com o comportamento dos pais. Se houver contradições entre a atitude dos pais e as regras que são impostas, as crianças vão ficar confusas.
  • Além de claras, as regras devem ser sempre positivas. Dizer “não” a tudo pode prejudicar ambas as partes. É preciso enfatizar a parte positiva dos limites.
  • Tanto o bom quanto o mau comportamento têm consequências. Os tipo de comportamento e as recompensas ou punições que eles causam devem ser sempre claros e objetivos.

10 regras de comportamento em casa

É possível estabelecer grande quantidade e variedade de regras de comportamento para as crianças. No entanto, as diretrizes a serem escolhidas dependerão, acima de tudo, das próprias crianças. Não se esqueça de que as normas devem sempre se adaptar às habilidades dos filhos.

as regras de comportamento sao importantes para estabelecer limites

Os limites também serão condicionados pelo ambiente em que as crianças estão. Assim, é possível estabelecer regras relacionadas ao comportamento em sala de aula, nas atividades extracurriculares, na rua, ou em casa, por exemplo. Essas regras vão ter como objetivo facilitar a adaptação e a integração da criança ao novo ambiente.

Aqui estão algumas regras de comportamento que você pode estabelecer:

  1. Cumprimentar e se despedir. É importante avisar as pessoas com quem convivemos, tanto na hora de chegar em casa como na hora de sair.
  2. Falar sempre com respeito e prestando atenção. Para que exista comunicação é preciso se expressar adequadamente, assim como saber ouvir a outra parte. Compreender esse processo é a base para uma boa comunicação.
  3. Evite os palavrões. Os pais devem ser os primeiros a cumprir essas regra. Os pequenos aprendem imediatamente os xingamentos e os palavrões.
  4. Comer educadamente e sem resmungar. Não só é uma questão de manter certa compostura na mesa, também é preciso evitar que a criança rejeite ou brinque com a comida. Esta norma é muito geral e pode ser complementada com diretrizes mais específicas.
  5. Arrumar e guardar os brinquedos depois de brincar. Cada um deve ser responsável pelas suas coisas. As crianças têm que estar cientes de que não podem deixar os brinquedos espalhados pela casa pois pode ser perigoso.
  6. Ajudar com as tarefas domésticas. Sempre de acordo com as capacidades da criança. Você pode separar esta regra em tarefas específicas, ou ainda transformar em uma atividade lúdica.
  7. Evitar o desperdício. Aproveitar os materiais, fechar a torneira, apagar as luzes quando sair ou desligar a televisão quando não tiver ninguém assistindo são pequenas orientações que ajudam a cuidar do meio ambiente.
  8. Fechar as portas com cuidado. Além de ser barulhento, bater as portas pode fazer com que elas quebrem.
  9. Sempre dizer “por favor” ao pedir as coisas. Quando querem alguma coisa, as crianças têm que aprender a pedir com educação, sem tentar impor sua vontade.
  10. Aprender a pedir desculpas. Se sabemos que fizemos algo de errado, devemos reconhecer e pedir desculpas por isso. Uma boa maneira de ensinar é diminuir a punição se a criança reconhecer o erro e compreender as consequências.

O importante é que, pouco a pouco, as crianças compreendam que as regras de comportamento não são imposições caprichosas dos pais, mas são criadas para o seu próprio bem.