Proteção solar para pintas e sardas

5 de fevereiro de 2020
Para evitar o aparecimento de pintas e sardas ou para impedir que elas se acentuem, é necessário utilizar protetores solares. A seguir, vamos comentar mais sobre esse assunto.

Quando chega o verão, é indispensável utilizar protetor solar, já que a incidência do sol é ainda mais direta. Naqueles casos nos quais a pele é propensa a ter pintas e sardas, isso é mais do que obrigatório. De fato, os dermatologistas recomendam aumentar o fator de proteção 2 meses antes das férias, de modo a realizar uma prevenção.

A proteção solar é mais um benefício do que uma “tarefa” a mais a ser realizada. Por isso, é importante dar a ela a prioridade que merece. A pele é o órgão mais extenso do corpo e cuidar dela traz não apenas saúde mas também bem-estar para o dia a dia, esteja você na praia, na montanha ou até mesmo na piscina.

As sardas e as pintas

Proteção solar para pintas e sardas

Quando os melanócitos são danificados, aparecem as sardas e as pintas. Essas manchas podem ser benignas ou malignas e a sua extensão pode variar. Em geral, elas têm uma pigmentação mais escura que o tom da própria pele e, por isso, são fáceis de serem notadas. Por exemplo, em pessoas de pele branca, têm uma cor marrom.

Agora, existem certas diferenças entre sardas e pintas que vale a pena rever:

  • As pintas podem apresentar saliência e crescimento de pelo.
  • As sardas não têm nenhum tipo de saliência e também não têm pelo.
  • O tamanho das pintas pode aumentar com o passar do tempo.
  • As sardas são mais proeminentes durante o verão, já que a exposição solar é maior. Por outro lado, no inverno, elas costumam se atenuar ou, até mesmo, desaparecer, de acordo com cada caso.

Tanto as sardas quanto as pintas podem aparecer por falta de proteção solar e por exposições prolongadas. Além disso, também podem aparecer por fatores genéticos. É importante, quando houver alguma variação significativa em uma pinta ou nas sardas, consultar o dermatologista para avaliar o que pode estar acontecendo e como se pode cuidar disso.

A importância da proteção solar

O uso de proteção solar diária é uma das melhores medidas que podem ser tomadas na hora de evitar que o sol deixe rastros indesejados sobre a pele. Contudo, vamos nos lembrar de que estamos expostos aos raios ultravioletas durante todo o ano, não apenas durante uma época determinada.

Por outro lado, os dermatologistas recomendam expor a pele ao sol de forma progressiva durante o verão. Em outras palavras, não é recomendável tentar pegar um bronzeado em um dia, e sim se expor várias vezes ao sol, por curtos períodos de tempo, até alcançar o tom desejado.

Certamente, é importante sempre utilizar um fator de proteção solar apropriado, e o resto das vestimentas apropriadas (chapéus e óculos escuros).

Outros produtos para pintas e sardas

Proteção solar para pintas e sardas

O dermatologista é a pessoa mais indicada para recomendar o uso de outros produtosvoltados ao cuidado das pintas e das sardas, de acordo com cada caso. No entanto, é conveniente utilizar cremes hidratantes neutros e evitar certos produtos que possam levar à produção de manchas.

Cabe destacar que, ainda que muitos remédios caseiros prometam a eliminação de qualquer tipo manchas (incluindo as sardas), devemos ter muito cuidado com eles, já que costumam ter um efeito “colateral” com consequências graves para a pele.

Por exemplo, os remédios que têm suco de limão conseguem clarear a pele, mas ela deve ser muito bem lavada e, sob nenhuma circunstância, pode ser exposta ao sol de forma direta. Caso contrário, a mancha vai se acentuar mais ainda e pode até mesmo ficar com um aspecto pior.

Em relação aos cosméticos, muitos já têm fatores de proteção incorporados,assim, vale a pena incluí-los entre os nossos produtos. Certamente, isso não deve excluir o uso do protetor solar diário.

As pintas e as sardas nas crianças

A pele das crianças precisa ser muito bem protegida dos raios do sol para evitar o aparecimento de pintas e sardas, sobretudo de pintas, já que muitas podem aumentar progressivamente de tamanho até se transformarem em um verdadeiro problema em idades mais avançadas. Quando uma pinta aparece e começa a crescer, devemos consultar um dermatologista.

Nos casos em que elas representarem um risco para a saúde, o dermatologista vai indicar a eliminação das pintas mediante diversos tipos de tecnologia. A alternativa mais popular é o laser, já que a sua ação é indolor, imediata e, além disso, extremamente eficaz.

Devemos evitar a exposição exagerada ao sol e estar cientes de retocar o protetor solar das crianças a cada certo tempo, sobretudo se elas forem entrar em contato com algum meio aquático, como o mar, o rio, o lago ou a piscina. E, ainda que o produto indique que é a prova d’água, não devemos confiar nisso e retocar a aplicação a cada 2-3 horas.