O que é pólipo endometrial?

21 Setembro, 2018
Neste artigo, vamos explicar o que é o pólipo endometrial, por que aparece e outras informações interessantes sobre esse assunto.

No útero da mulher, pode ocorrer uma inflamação dos tecidos que pode levar a uma formação anormal conhecida como pólipo endometrial. Ele cresce no endométrio, onde vasos sanguíneos e glândulas podem ser acumulados e chegar a se conectarem com certa função hormonal. Ou seja, essa protuberância estranha pode responder a estímulos que levam ao aborto e à infertilidade da mulher.

Tal crescimento anormal pode chegar ao ponto de atingir o tamanho de uma bola de golfe. Como estão localizados no tecido do útero, são classificados como tumores. A maioria dos pólipos endometriais são de origem benigna, inclusive a maioria dos casos não geram problemas sérios.

A incidência do pólipo endometrial é entre 1% e 3% das mulheres, aumentando consideravelmente quando ficam mais velhas. Embora estima-se que não seja uma condição séria, quando ocorre durante a menopausa, é um caso mais complexo. Acredita-se que as mulheres com pólipo endometrial durante o climatério têm um risco maior de desenvolver câncer endometrial.

Formação do pólipo endometrial

Até agora, não se sabe qual é a causa da formação do pólipo endometrial, mas essa condição tem sido especificamente relacionada com a estimulação hormonal dos ovários. Nestes tumores, várias glândulas e vasos sanguíneos se agrupam e respondem naturalmente aos hormônios produzidos pelas mulheres.

pólipo endometrial

Aparentemente, os pólipos aparecem quando a camada basal localizada no endométrio se prolifera. Em alguns casos, essa camada basal não é alterada por mudanças naturais, como, por exemplo, durante a menstruação. No entanto, mesmo que seja alterada ou desprendida, pode crescer independentemente no tecido exterior do endométrio, dando lugar ao pólipo.

Ocasionalmente, a formação de pólipos do endométrio se deve a fatores tais como a idade. É mais comum em mulheres com mais de 40 anos do que em outras idades. É também comum nos casos de anovulação, obesidade e hipertensão.

Sintomas e diagnóstico

Quando o tumor é muito pequeno, pode não causar quaisquer sintomas. À medida que seu tamanho aumenta, começam a aparecer outros sintomas, como a presença de hipermenorreia que se apresenta como um forte sangramento que ocorre durante a menstruação.

A hemorragia intensa durante a menstruação é um sintoma característico dessa condição. No entanto, pode haver um sangramento irregular entre cada período. De acordo com os especialistas, 25% de casos de hemorragia entre os períodos menstruais estão relacionados com a presença de pólipo endometrial.

Os ginecologistas utilizam ultrassom vaginal para fazer o diagnóstico. Esse método é usado para localizar tumores e identificar o problema de forma mais clara. Às vezes, também é necessário a ultrassonografia tridimensional ou hidrossonografia.

A ultrassonografia tridimensional permite observar uma imagem de alta qualidade em diferentes planos do útero. Por outro lado, a hidrossonografía torna possível distinguir os pólipos por causa da injeção de uma solução especial.

Pólipo endometrial e infertilidade

Às vezes, a dificuldade de engravidar é um dos sinais de que podem existir pólipos endometriais. Portanto, pode ser considerada uma condição diretamente relacionada à infertilidade. Esse crescimento ou espessamento do endométrio impede a passagem adequada dos espermatozoides em direção ao útero.

pólipo endometrial

O pólipo também pode impedir que o embrião se implante adequadamente no útero e, por isso, está associado com a incapacidade de engravidar ou manter a gravidez. Por essa razão, também pode ser visto como a causa da ocorrência de abortos espontâneos.  O tamanho dos pólipos e o espaço que ocupam no útero podem ser a causa de todo o desenvolvimento de problemas relacionados à infertilidade.

Os problemas de fertilidade apresentados por mulheres devido aos pólipos começam quando eles excedem 2 cm de diâmetro. Abaixo dessa medida, não se acredita que haja qualquer efeito. No entanto, apesar de não evitar a gravidez, pode causar o aborto.

Os especialistas concordam que é necessária a remoção dos pólipos devido ao risco de desenvolvimento de câncer. A cirurgia para removê-los, muitas vezes, é ambulatorial porque é feita por meio de histeroscopia. Outros médicos optam por fazer uma raspagem da cavidade uterina, que também é realizada em ambulatório.

O ginecologista pode decidir remover o pólipo para eliminar o risco de câncer. Ao mesmo tempo, a intervenção é necessária para melhorar os ciclos das mulheres. Uma vez que são removidos, alguns exames são necessários para descartar a possibilidade de tumores malignos.