O transtorno disfórico pré-menstrual

15 de fevereiro de 2017

O transtorno disfórico pré-menstrual (também conhecido por sua abreviação TDPM) é uma patologia que ocorre entre uma e duas semanas antes do início da menstruação e termina geralmente quando a mulher começa a sangrar. O TDPM é caracterizado como um transtorno psiquiátrico que afeta uma pequena porcentagem de mulheres. Alguns estudos asseguram que as pacientes que o sofrem também apresentam outra patologia da psique.

Os sintomas do transtorno disfórico pré-menstrual

O transtorno disfórico pré-menstrual é um distúrbio psicológico caracterizado por uma persistente depressão.

As mulheres diagnosticadas com esta condição são irritáveis e agressivas durante a etapa que antecede à regra. Elas apresentam crises de choro, se sentem com decaimento, fadiga, apatia por tudo e todos.

São mulheres que permanecem triste e angustiadas sem motivo algum.

Quem tem o TDPM a maior parte do tempo está tomada pela ansiedade o que provoca uma grande dificuldade para ter calma e manter a concentração.

Elas se sentem incapazes de dedicar tempo e ter ânimo para executar qualquer das suas tarefas diárias, além de ter muita dificuldade em conciliar o sono durante o tempo de descanso.

Também podem sofrer de enxaquecas e dores de cabeça persistentes, dores nas glândulas mamárias, na região abdominal e da pelve, músculos e articulações.

Muitas dessas mulheres sentem um apetite voraz e aumentam a quantidade e a frequência das refeições. Comer muito e em diferentes horários lhes provoca um aumento do peso corporal.

No pior dos casos aquelas que são diagnosticadas com o transtorno disfórico pré-menstrual desenvolvem um transtorno de personalidade, têm ataques de pânico e são tomadas por pensamentos suicidas.

depressao-2-500x258

O que devem fazer as mulheres diagnosticadas com esta patologia?

São elas mesmas quem devem escrever sobre seus estados emocional e tomar um estrito controle sobre os desconfortos e sensações.

O monitoramento constante dos sintomas que provocam o transtorno é o principal material que utilizara o médico para diagnosticar e dar um tratamento adequado.

Mas, como se deve estabelecer uma perfeita coordenação entre o médico e o paciente, as vezes o diagnóstico do transtorno disfórico pré-menstrual torna-se difícil.

Quando o TDPM é diagnosticado e tratado se pode conseguir uma melhora física e psicológica das mulheres que o sofrem.

As mulheres com este transtorno devem seguir corretamente todas as indicações médicas. No entanto, para contribuir com sua saúde e para voltar a ter uma melhor qualidade de vida neste post vamos te dar alguns conselhos.

Se você sofre de TDPM lhe recomendamos:

  • Comer de forma saudável, mas principalmente incluir muitas frutas e legumes na dieta para não causar um aumento em seu peso corporal.
  • Tente envolver-se em tarefas que lhe gerem prazer. Em seu tempo livre em casa não fique deitada na cama ou pensando sobre a sua depressão. Se você gosta de visitar museus, fazer uma caminhada, ir à praia, bordar, dançar… faça isso, você deve ocupar seu tempo em atividades que realmente goste.
  • Tente ter algum elemento para se distrair quando estiver com estados de depressão, ansiedade, tristeza, ou tendo pensamentos negativos e até mesmo suicidas. Isto pode ser conseguido tendo à mão sempre, por exemplo, um vídeo com momentos felizes de sua vida, rostos felizes, um livro de auto ajuda, uma gravação na qual você mesma se dê animo e que lhe lembre o quão importante e fabulosa você é… em fim , o que você acha que pode lhe ajudar em seus momentos mais sombrios.
  • Pratique exercícios físicos para manter o peso e reduzir a ansiedade. Além dos benefícios que o exercício traz para os músculos e articulações do corpo ele vai ajudar você a se sentir com mais energia para começar o dia.
atividade-fisica1-500x307

  • Procure apoio na sua família e amigos mais próximos. Peça para eles compreensão em todas as vezes que você tenha raiva e mau humor.
  • Não abuse de antidepressivos, analgésicos ou qualquer outro medicamento.
  • Evite se vestir com roupa de ficar em casa. Opte por utilizar maquiagem, pentear seu cabelo, usar roupas bonitas ou sexys que realcem sua beleza. A sensação de estar bonita certamente irá elevar sua autoestima e vai fazer você se sentir melhor
  • Fique longe de hábitos nocivos, como álcool, cigarros e qualquer outra droga. O desespero do momento e a baixa autoestima podem significar o início de um vício que não vai ajudar nem neste nem em qualquer outro período de sua vida.