3 coisas que poderiam causar um aborto espontâneo

3 coisas que poderiam causar um aborto espontâneo

Última atualização: 22 dezembro, 2017

Embora o aborto espontâneo seja uma questão um tanto incômoda é necessário conhecer sobre o assunto se você estiver grávida ou planeja engravidar. Embora saibamos que alguns fatores podem nos expor mais a isso, é um risco que corremos sem saber.

O aborto espontâneo é conhecido como o processo que termina a gravidez de maneira violenta, antes das vinte primeiras semanas da concepção. Oito em cada dez abortos naturais correm nas primeiras semanas e antes de completar o terceiro trimestre, e pelo menos 20% das diagnosticadas termina deste modo.

A definição de aborto natural também inclui a interrupção do processo no caso dos óvulos fertilizados se encontrarem fora do útero. Nesses casos, a perda pode ocorrer sem que a mulher se dê conta de que isso aconteceu, pois é caracterizado somente por um sangramento mais abundante do que em outras ocasiões.

aborto espontâneo

O que poderia causar um aborto espontâneo?

As causas são variadas e podem haver muitas. Porém existem alguns fatores que tornam as mulheres mais propensas a sofrer um aborto deste tipo. Há também coisas que fazemos com muita frequência que podem ter algum impacto negativo sobre a nossa gravidez, embora sejam um pouco difícil de identificar.

No entanto, há três coisas em nossas vidas que podem nos colocar em risco de perder o nosso filho. Estas incluem:

A herança genética

Para os especialistas um aborto natural que ocorre pela primeira vez é principalmente atribuído a causas genéticas, esta é a principal razão pela qual poderia haver falhas cromossômicas. Em geral, pode-se dizer que as alterações a nível genético são responsáveis por grande parte deste tipo de abortos.

Os principais erros no genoma estão relacionados ao número de cromossomos, razão pela qual impede que o feto se desenvolva normalmente e, consequentemente morre. A anomalia estrutural dos cromossomos conhecida como translocação se deve basicamente a um problema a nível genético dos pais.

Neste caso, a genética dos pais faz com que não se produza os genes necessários para que o feto possa se desenvolver ao longo da gestação. Isto é, a translocação ocorre uma vez que ocorre a fertilização, de modo que a gravidez avança somente até certo ponto.

O que pode causar aborto espontâneo

Problemas de saúde em geral

Quando os problemas estão relacionados com a saúde da mãe, os inconvenientes podem ser maiores. Nos referimos a qualquer tipo de anomalia, alteração ou processo patogênico que afeta o nosso corpo antes e durante a gravidez. Os principais problemas são:

  • Infecções como a hepatite, toxoplasmose ou rubéola, para mencionar as mais letais.
  • Miomas ou tumores no útero, especialmente aqueles que estão grandes ou estão em uma área de risco.
  • Desenvolvimento de complicações relacionadas à hipertensão, especialmente em casos de pré-eclâmpsia
  • Alterações hormonais associadas a distúrbios da tiroide
  • Má formações no útero ou colo do útero do tipo congênito
  • Crescimento anormal do óvulo fertilizado, melhor conhecido como gravidez molar.

Estilo de vida

O processo de gravidez também é condicionado por uma série de fatores externos que podem influenciar diretamente o seu desenvolvimento normal, por isso o cuidado de mulheres grávidas deve ser integral. Apesar de se acreditar que é suficiente estar saudável, a nível médico, existem hábitos que se não mudarmos podem prejudicar a saúde de qualquer gravidez.

Entre os fatores relacionados ao estilo de vida da mãe estão principalmente aqueles que ameaçam a saúde da mãe e do feto. De acordo com estudos é muito arriscado para a gravidez o consumo de altos níveis de cafeína, assim como o uso de drogas, álcool e cigarro. Esses fatores podem causar o aborto espontâneo.

Em relação à alteração natural do estilo de vida também é considerado arriscado estar exposta a alto nível de estresse. Neste sentido, o estresse aumenta a liberação de hormônios como a corticotrofina, que é liberado no útero para estimular as contrações necessárias para o trabalho de parto.

No entanto, o estresse em si não tende a ser entendido como uma causa de aborto, mas a forma como a mãe lida com as situações estressantes. Por exemplo, quando a mãe assume um comportamento negativo ou toma atitudes pouco saudáveis para uma gravidez diante uma determinada situação estressante.



  • Bouquet de Durán R. Aborto espontáneo. Liberabit. 2012; 18(1): 53-58.
  • López D, Morales M, Ramos G. Factores epidemiológicos de riesgo asociados al aborto espontáneo. Rev Int Salud Matern Fetal. 2020 dic; 5(4).
  • Rodríguez C, De los Ríos P, González A, Quintana D, et al. Estudio sobre aspectos epidemiológicos que influyen en el aborto espontáneo. Multimed. 2020;  24(6): 1349-1365.
  • Rodrigues MM, Hoga LA. Aborto espontâneo e provocado: sentimentos vivenciados pelos homens. Rev Bras Enferm. 2006 Jan-Feb;59(1):14-9.
  • Fikri Benbrahim O, García Agudo R, Cazalla Cadenas F, Martínez Calero A, et al. Diagnóstico de una hipertensión arterial secundaria en una gestante en el primer trimestre como causa de un aborto espontáneo. Nefrologia. 2011;31(2):229-31.
  • Alonso López AG, Bermejo Huerta S, Hernández Galván R, Ayala Posadas R, et al. Diagnóstico citogenético en aborto espontáneo del primer trimestre. Ginecol Obstet Mex. 2011 Dec;79(12):779-84