Meu bebê é assim… Só dorme nos meus braços!

5 de agosto de 2018
Muitos bebês só conseguem dormir nos braços da mãe. Descubra neste artigo se isso é positivo (ou não) para você e seu filho.

Muitos bebês associam o colo da mamãe com a tranquilidade e o momento de relaxar, fechar os olhos e dormir. Segundos depois, quando tentamos levar aquele pequeno ser para o berço, ele acorda como se estivesse em um lugar estranho e incômodo. Mais uma vez ele procura nosso contato. Isso é negativo?

De acordo com a opinião de muitos pediatras, sim, pode ser pouco adequado que um bebê associe o momento de descaso exclusivamente com o colo do papai ou da mamãe. No entanto, existem muitas nuances que é conveniente conhecer para chegar a uma conclusão clara e objetiva. Especialmente porque, no que se refere ao sono de uma criança, as únicas coisas que precisamos ter é tempo, paciência e muito carinho.

Convidamos você a descobrir conosco.

Meu bebê só dorme nos meus braços: isso é um problema?

Vamos começar esclarecendo uma coisa importante: não, não é um problema o fato de o seu bebê somente dormir nos seus braços se ele tem menos de seis meses de idade. A partir dessa idade, os rituais e os costumes adquirem uma importância essencial. Esse é o momento de estabelecer pequenas características no comportamento.

Se não nos acostumamos a dormir com o bebê na cama, seria adequado que com 6 meses ele já fosse capaz de dormir no berço e de associar esse lugar com um espaço cômodo para acordar e conciliar o sono todos os dias. Entretanto, isso não quer dizer, de forma alguma, que quando ele precisar nós devemos deixar de pegá-lo no colo, dar segurança e voltar a colocá-lo no berço.

A seguir, vamos mostrar mais alguns dados importantes.

meus braços

Até os 6 meses o bebê precisa apenas sentir segurança

Precisamos estar conscientes de que o cérebro de uma criança ainda não está amadurecido até aproximadamente os 7 anos de idade. No entanto, poderíamos dizer que o primeiro salto de amadurecimento acontece já aos três anos, idade na qual muitas das redes neurais estão cobertas de mielina e o padrão elétrico permite a regulação dos ciclos de sono.

Dessa forma, temos que entender que o fato de uma criança acordar várias vezes à noite é algo normal. No entanto, o ideal é tentar integrar aos poucos as rotinas e os hábitos fixos o mais cedo possível.

  • Até os 6 meses, a única coisa que um bebê necessita é se sentir seguro. A única maneira que ele pode conseguir isso é sentindo o seu calor, sentindo os braços do papai e da mamãe.
  • Nosso bebê passou 9 meses na nossa barriga, protegido, e isolado do mundo exterior que parece ser tão ameaçador. Deixar o pequeno no berço é interpretado por ele como se fosse um abandono.
  • É necessário saber também que cada criança possui determinadas necessidades. Certamente, há bebês que se adaptam ao berço com facilidade e outros que são mais dependentes, que sentem mais necessidade de contato físico.

Desse modo, não se preocupe se seu bebê só dorme nos seus braços. Isso não quer dizer que no futuro ele vai ter mais problemas em relação à autonomia. Não tem nada a ver uma coisa com a outra. Até os 6 meses de idade, basta que você espere que ele esteja dormindo profundamente para, depois, colocá-lo no berço.

Estratégias para que nosso bebê durma no berço

Assim como já dissemos anteriormente, o mais importante é estabelecer alguns hábitos o mais cedo possível. Para isso, é conveniente levar em consideração os seguintes conselhos:

Ensinar a dormir no berço não significa renunciar o afeto

Se decidimos não nos acostumamos a dormir com o bebê na cama, devemos colocá-lo no berço. Será bom para nós e será adequado para ele ir se acostumando com alguns hábitos e rotinas. Não hesite em estabelecer os comportamentos de sempre:

  • Um bom banho antes de dormir.
  • Dar comida sem forçar demais. Não é necessário brigar com o bebê nesses momentos se vemos que ele não quer.
  • Deixar no berço enquanto faz carinhos com muito amor durante o tempo que for necessário para ele fechar os olhinhos e dormir.

Faça seu bebê perceber que você está do lado dele.

meus braços

Deixar algum objeto que tenha nosso cheiro

  • Uma técnica muito adequada para que o bebê se adapte ao berço sem traumas e consiga conciliar o sono é deixar ao lado dele algum pano que tenha nosso cheiro, nosso perfume.
  • Desse modo, proporcionamos segurança. Basta deixar o pequeno no berço e fazer carinho para que ele saiba que estamos com ele. Deixe esse pano embaixo da cabecinha dele e tenha paciência até o sono vencer.
  • O olfato é um dos sentidos mais desenvolvidos dos bebês menores de 6 meses. Dessa forma, temos essa magnífica oportunidade que vale a pena aproveitar.

Não force nenhum comportamento, o segredo está na paciência e no afeto

Há pais e mães que chegam a se desesperar ao ver que seus bebês dormem apenas no colo. Pois, quando eles levam o bebê para o berço, o pequeno não consegue conciliar o sono. Essa ansiedade acaba sendo projetada na criança.

meus braços

  • Acreditemos ou não, o sono não é um comportamento que pode ser ensinado, assim como quando se ensina uma criança a lerO sono é um comportamento instintivo e, durante os primeiros meses, um bebê vai dormir somente quando se sentir seguro, quando não sentir medo.
  • Semana a semana, esses métodos vão naturalmente desaparecer porque o bebê vai amadurecendo. Pouco a pouco, a necessidade de apego vai se tornando menos íntima. Dessa forma, não há com o que se preocupar. Não há problemas se você tirar sonecas com ele ou se uma noite ou outra ele dormir com você na cama.

Com o tempo, o bebê vai exigir o próprio espaço e regular seu próprio sono.