A gravidez empática ou síndrome de couvade

03 Julho, 2018
Você sabe o que é a gravidez empática ou síndrome de couvade? Descubra agora neste artigo!

A palavra couvade tem como origem o verbo couver, que faz alusão a um estranho e antigo costume em virtude de quando uma mulher dava à luz, o marido se deitava com o bebê nos braços e recebia os cumprimentos de seus parentes e amigos.

 

Ou seja, é como se o pai ocupasse o lugar da mãe. Era um costume bastante comum entre os povos antigos europeus, assim como nas aldeias dos índios americanos. Acredita-se que esse costume era uma maneira de proteger a mãe e o filho.

Atualmente, o termo de síndrome de couvade está reservado ao conjunto de manifestações psicossomáticas que afetam os homens durante a gravidez da mulher ou no momento do pós-parto. Ela também é conhecida como gravidez empática.

A sintomatologia da gravidez empática

A  sintomatologia própria da gravidez empática depende de cada homem. Contudo, geralmente os pais que passam pela síndrome de couvade parecem apresentar os seguintes sinais e sintomas:

  • Ansiedade
  • Irritabilidade
  • Transtornos do sono
  • Tensão
  • Dores de cabeça
  • Aumento de peso
  • Dificuldade de concentração
  • Aumento de apetite
  • Náuseas
  • Cãibras
  • Dor abdominal
síndrome de couvade

Embora a síndrome de couvade ou a gravidez empática seja uma condição particular, é mais frequente do que pensamos. No entanto, apesar de que ainda que não tenhamos encontrado estudos que deixem claro sua incidência, estima-se que pelo menos 40% dos homens sofram dela em algum momento. Ou ainda segundo outros dados, a porcentagem pode chegar a 80%.

Esses sintomas podem aparecer durante o terceiro mês de gravidez, tornando se muito mais claros durante o terceiro trimestre. Os sintomas costumam acabar quando chega a hora do parto. No entanto, podem continuar ou aparecer no pós-parto.

Parece que a incidência desta curiosa condição é muito mais elevada nos casais com antecedentes de infertilidade, assim como em pais que foram adotados. É importante que se compreenda e apoie as pessoas nesta condição, porque os homens que sofrem dessa síndrome realmente se sentem “grávidos”.

Devemos entender que, as mudanças hormonais durante a gravidez não só se produzem na mulher, como também nos homens. Sem duvida, isso pode propiciar o desenvolvimento da síndrome de couvade ou gravidez empática.

O organismo do pai está em sintonia com o de sua esposa. Isso faz com que seu corpo e seus níveis hormonais se preparem para a paternidade também, favorecendo que seu comportamento seja menos sexual e mais compreensivo, protetor e carinhoso com a mãe.

Os hormônios responsáveis por isso são a testosterona, a prolactina e o estradiol. A testosterona diminui, dando lugar a um aumento da prolactina e do estradiol. Essa mudança acalma o temperamento e facilita uma atitude afetuosa e empática com a mãe.

 

síndrome de couvade

O que se presume sobre a “gravidez” do pai

Apesar de ser uma situação “estranha”, é importante que a mulher se dedique em fazer com que o homem se sinta compreendido. Assim, os sentimentos de ansiedade vão diminuir.

A gravidez será nestes casos ainda mais colaborativa. Para favorecer a sintonia, o pai pode frequentar aulas de preparação ao parto junto com a mãe, assim como falar e expressar seus sentimentos a respeito.

No caso de que os sintomas da síndrome de couvade não regridam depois do parto ou após algum tempo depois do pós-parto, é preciso consultar um especialista. Da mesma forma, a consulta também é aconselhável naqueles casos em que interfere na vida cotidiana ou que sente uma ansiedade ou um mal-estar excessivo.