A chegada do bebê fortalece o amor entre os pais

· 31 de outubro de 2016

A chegada do bebê não tem porque ser sinônimo de crise no relacionamento. Pelo contrário, este episódio tão definitivo no relacionamento e que marca sua evolução e transcendência, fortalece o amor entre os pais e fortifica os laços familiares.

Porém, tudo depende da atitude que o pais adotem, da maturidade emocional de cada um e assumir a mudança como parte da vida, sem traumas e com uma grande responsabilidade.

O nascimento de um bebê é uma bênção. Mas, sua chegada transforma os hábitos, rotinas e faz com que a atenção gire ao redor dele, deixando os assuntos do casal em segundo plano. Se esta situação, somada ao estresse dos primeiros meses e com a tarefa de aprender a ser pai e mãe, não for compreendida rapidamente, pode acontecer uma cisma no relacionamento que levará à ruptura e ao desencanto. Leia esta guia para superar os primeiros dias.

Como não queremos que nenhuma relação fracasse por conta de um evento que pode ser maravilhoso, aqui estão alguns conselhos:

Conselhos para que a chegada do bebê fortaleça o relacionamento

Engravidar para superar uma crise no relacionamento absolutamente não é uma boa ideia

Em primeiro lugar ambos devem ter bem claro que a decisão de ter filhos além de ser algo muito planejado e consensual, deve ser um aspecto natural na evolução do casal, um desejo que nasça da vontade de compartilhar, materializar o amor que cada um sente e o compromisso de permanecerem em um ser humano. Do contrário, as coisas começaram muito mal.

Tomar a decisão de uma gestação como alternativa ou escape para crises no relacionamento ou à derrocada da relação é um erro terrível. Tenham consciência!

Trabalho em equipe

A concepção do bebê foi um trabalho em equipe e os nove meses prévios ao nascimento também deve ser assim. Ter um filho precisa ser um tema que envolve os dois. Portanto, a mãe deve incluir o pai em todo o processo, torná-lo participante. Desta maneira, ambos assumirão seus papéis sem problemas e com bastante maturidade na hora que o bebê chegar. O pai, por sua vez, deve estar consciente que principalmente nas primeiras semanas a mãe e o bebê são prioridade e seu apoio e companhia são mais importante do que nunca.

shutterstock_152025251

Romantismo e sexualidade

As fraldas e mamadeiras não têm porque tirar da jogada o erotismo e as ceias à luz de velas. Ao contrário, depois de estabelecida a rotina e o bebê ter um horário regular de sono, os pais podem aproveitar este tempo a sós para se reconectarem um com o outro, preparando um delicioso jantar em casa, compartilhando um filme ou simplesmente conversando como nos velhos tempos.

Se cuidar e manter a atração

A mãe passou por toda essa montanha russa hormonal e talvez se encontre em um estado de vulnerabilidade. Porém, deve também fazer esforços para não se esquecer dela mesma. Se atender, se cuidar, se presentear com mimos e não descuidar da aparência é importante nesta etapa. É mãe, mas antes de tudo é mulher e deve tomar tempo para cuidar de seu bem estar.

Passear juntos

Não há a necessidade de que os pais se trancafiem em casa até o bebê alcançar um ano ou mais. Muito pelo contrário, é recomendável sair e fazer passeios em família no parque ou na praia. Isso estimulará a criança e será um momento só para os três.

shutterstock_63826192-500x334

Comunicação

O diálogo sincero é o mais importante para fortalecer a relação entre os pais. Comunicar as emoções com assertividade, sem medos e nem segredos ajudará a superar crises que possam ocorrer nesse período. Deve-se ter em conta que os pais não são adivinhos, se não comunicarem com clareza o que os inquieta e preocupa, um jamais saberá sobre o que se passa com o outro. Outro aspecto fundamental é o humor, um casal que ri junto tem sucesso garantido!