Sexo durante a gravidez: pratique e aproveite!

Sexo durante a gravidez: pratique e aproveite!

Última atualização: 05 Agosto, 2018

Estar grávida não significa que você deve deixar de lado sua vida e, sobretudo, os prazeres dela. Fazer sexo durante a gravidez é recomendado. Pratique e aproveite!

Apesar dos mitos sobre se é ou não recomendável fazer sexo e das mudanças físicas e hormonais que acontecem durante a gravidez, especialistas e médicos recomendam a prática. Eles afirmam, porém, que é necessário considerar alguns cuidados extras caso a gravidez seja de risco ou um dos envolvidos possua alguma condição médica importante que restrinja a intimidade do casal.

Fazer amor com seu companheiro permitirá a liberação de ocitocina, “o hormônio do amor”, que aumenta seu nível de relaxamento e de bom humor. As vantagens do sexo durante a gravidez também incluem melhorias na autoestima. A mulher se sentirá desejada e, portanto, mais segura. Um sentimento importante em um momento de grandes mudanças corporais.

Durante o sexo, o bebê não é incomodado. O colo do útero está coberto por uma membrana grossa e, mesmo que o orgasmo produza pequenas contrações no útero, o neném não é afetado. Além disso, o amor que o casal transmite ao bebê nesse momento é positivo ao desenvolvimento do feto.

Desejo sexual durante a gravidez

sexo2

Nos primeiros meses devido às náuseas e aos incômodos típicos desse período, geralmente o desejo sexual da mulher diminui. É recomendado, portanto, conversar sobre isso com o companheiro para que ele tenha consciência dos seus sentimentos e o motivo da ausência de desejo. Cuide do afeto.

Nos últimos meses, de novo o desejo pode sofrer influências negativos devido ao cansaço, à ansiedade com a proximidade do parto e aos quilos a mais.

Há mulheres que, ao contrário, relatam um aumento do desejo sexual. Elas sentem vontade de ter relações sexuais com mais intensidade e frequência, além de sentir mais prazer e chegar mais facilmente ao orgasmo.

Cuidado com as infecções sexuais

Durante a gravidez, a mulher tende a apresentar maior facilidade de se contaminar, adquirindo infecções urinárias e alguns incômodos vaginais. Para evitar qualquer tipo de contaminação é preciso prestar mais atenção às suas práticas de higiene e pedir o mesmo ao seu parceiro. Se, por alguma razão, você sentir qualquer incômodo, consulte um médico.

Da mesma forma, se não possui um parceiro estável ou não conhece o estado de saúde de um possível parceiro, a melhor decisão é se abster. Você pode colocar em risco não só a sua saúde como a do bebê também.

sexo3

Posturas que você pode fazer

Durante a gravidez, algumas posturas podem ser incômodas. O tamanho da barriga impede que a posição do missionário, por exemplo, seja uma opção.

O ideal é usar a criatividade para encontrar novas maneiras de amar. Jogos sexuais, sexo oral, aumentar a duração das preliminares e incorporar novas posturas são algumas dicas.

  • Assuma o controle ficando por cima do seu parceiro, assim você irá controlar o ritmo. Essa é uma postura que permite apoiar a barriga sobre o abdômen do seu parceiro e, assim, se movimentar com mais facilidade.
  • De lado é outra forma de sentir prazer. Coloque-se deitada de lado, de costas para seu parceiro. Nessa postura não há qualquer risco de incômodo com a barriga. Uma variação dessa postura é ficar de “quatro”, com as mãos e joelhos apoiados na cama, ou de pé, com as mãos apoiadas na parede.
  • Não se esqueça de sentir prazer com o sexo nem perca sua sensualidade. Utilize brinquedos sexuais, vista lingeries ou qualquer outra coisa que torne a intimidade com seu parceiro mais agradável e prazerosa.


  • Arbués, E. R., & León, M. R. (2013). Características y evolución del patrón sexual de la mujer embarazada. Enfermería Global, 12(4), 362-370. https://revistas.um.es/eglobal/article/view/eglobal.12.4.181521
  • Byrd JE, Hyde JS, DeLamater JD, Plant EA. (1998). Sexuality during pregnancy and the year postpartum. J Fam Pract. 1998 Oct; 47(4):305-8.
  • González Labrador, I., & Miyar Pieiga, E. (2001). Sexualidad femenina durante la gestación. Revista cubana de medicina general integral, 17(5), 497-501. http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0864-21252001000500015
  • Richard P. (1984). Sexualidad durante el embarazo. Clin Obstet Ginecol Norteam 1984;3:904-16.