7 dicas para economizar com a chegada de seu primeiro bebê

8 de janeiro de 2017

Quando estamos planejando ter um bebê nós nos preocupamos em compreender todos os detalhes da concepção, a saúde, o parto, e todos os aspectos físicos e emocionais desta etapa. Porém, comprar as coisinhas para das as boas vindas ao nosso filho é uma das maiores preocupações dos pais.


Adquirir os utensílios para o cuidado diário dos bebês na sua primeira fase, assim como roupas, brinquedos e móveis para seu quarto representam um gasto que pode ser muito alto. Por isso deve-se considerar a situação de nossas finanças quando preparamos a chegada do bebê.

Neste sentido, para evitar cair em gastos excessivos que podem afetar consideravelmente suas economias, é preciso fazer contas que nos permitam adequar nosso orçamento, desde o primeiro dia como pais.

Em que gastamos com o bebê?

Se considerarmos apenas que o bebê é um novo membro da família podemos perceber que os gastos podem subir. Desde antes de nascer o bebê pode ocasionar gastos não previstos que devido às características especiais dos pequenos, geralmente são mais elevados.

Se você é um dos que pensam que regulando a quantidade de roupa que compra ou que optando por comprar em brechós, é o suficiente para economizar, deve-se lembrar que quase metade dos custos nesta fase, são imprevistos.

A este respeito, quando se vai ter o primeiro bebê, não se estima com precisão a quantidade e variedade de coisas que deve-se adquirir. Antes de planejar o primogênito lembre-se que você irá gastar com:

  • Atenção médica pré-natal e pós-natal. A gravidez deve ser monitorizada regularmente em uma consulta. Com o avanço da gravidez aumenta a frequência aumenta e os gastos incluem exames especializados e medicamentos.
  • O momento do nascimento requer intervenção clínica especializada e reclusão clínica, quer parto normal ou cirúrgico.
  • Alguns bebês nascem com necessidades especiais primárias que podem ocasionar custos adicionais. Também pode haver complicações na mãe, tudo isso com um custo maior.
  • A alimentação do bebê em seus primeiros meses é feita exclusivamente através da amamentação, mas em alguns casos se faz obrigatório o uso de leite formulados.
  • A mãe também deve melhorar sua alimentação e quase todo o tempo deve adequar suas roupas e sapatos nesta fase.
  • Devemos ter um estoque de roupas e produtos de bebês para estar prontos no momento do nascimento.

7  Dicas para economizar antes da chegada do primeiro bebê

Como já sabemos, as coisas em que gastar são muitas, por isso queremos lhe dar estas dicas para melhorar suas finanças nesta importante etapa.

  • É muito importante ter um plano de saúde que cubra as consultas, o parto ou a cesárea. Se você vai planejar com tempo suficiente também pode procurar a melhor alternativa quanto ao preço do plano.
  • Localize um hospital que ofereça pacotes especializados para nascimentos, estes não são muito comuns, mas existem. Incluem todas as despesas desde a assistência pré-natal. As unidades médicas perinatais algumas vezes oferecem essa atenção após uma avaliação socioeconômica da família.
  • Evite fazer gastos compulsivos, pois que quando se é pai pela primeira vez é muito comum querer comprar mais do que o necessário. Isso acontece porque tudo que nós vemos gostamos, mas nem sempre é essencial.
  • Não há necessidade de comprar roupas de marca que, embora sejam nossas favoritas, podem ser muito caras e a qualidade destas sobre as outras não varia muito. Considere também que os bebês crescem muito rápido, portanto eles tendem a perder as roupas de recém-nascidos em pouco tempo.
  • É possível usar roupas, sapatos ou acessórios, que outras crianças de nossa família usaram pouco; estes  itens geralmente estão em perfeito estado e sua aquisição nos permitem economizar muito dinheiro.
  • Não exagere na quantidade de roupas que compra e também não inclua muitas roupas de recém-nascidos, porque geralmente são pequenas e deixam de servir logo.
  • Itens como berços, portadores de bebê, carros ou cadeiras são caros quando comprados novos, por isso o melhor é encontrar de outras pessoas que não usam mais; é claro, tendo certeza de que estão em boas condições.