Como calcular os dias férteis se sou irregular

31 de outubro de 2016

Honestamente calcular os dias férteis se você for irregular é mais complicado, mas não impossível de conseguir. Mais do que necessário, é imprescindível que você vá à uma consulta com um ginecologista, porque o médico, além de diagnosticar algum problema de saúde, a ajudará a ter em conta os dias férteis.

Primeiro é preciso saber que se considere que você tem ciclos irregulares; se sua menstruação não vem sempre depois do mesmo número de dias, por exemplo, às vezes vem a cada 30 dias, às vezes a cada 24 dias, às vezes a cada 32 e assim por diante.

E seguindo esta tendência de honestidade e responsabilidade… se você é irregular e está tentando engravidar é essencial, em primeiro lugar, que você vá ao ginecologista para descartar que essa irregularidade tenha uma causa médica que precisa ser controlada.

Algumas das possíveis causas da irregularidade é estar sofrendo de alta prolactina, síndrome do ovário policístico, cistos nos ovários ou problemas na tireoide.

Em certos casos não há uma causa específica para ter ciclos irregulares, mas é muito importante que o médico o diagnostique porque, caso contrário, você estaria desperdiçando um tempo precioso para engravidar.

As irregularidades menstruais são a manifestação de algum transtorno na ovulação, o que é a causa de 21% dos casos de infertilidade feminina.

– Sociedade Espanhola da Fertilidade-

Algumas dicas

Uma das dicas práticas para conceber se você tem um ciclo menstrual irregular é contar os dias entre um período e outro, não se guie pelas datas, por exemplo, não é correto dizer, a minha menstruação vem dia 17 de cada mês. Você deve levar em conta que todos os meses não têm a mesma duração.

  • Tenha um calendário de ovulação durante pelo menos seis meses. Neste calendário você deve marcar o primeiro dia de cada menstruação e contar quantos dias tem entre uma menstruação e outra, esta é a duração do ciclo menstrual.
  • Este calendário de ovulação é muito útil, porque vai ajudar a orientar o médico quando você for para suas consultas.
  • Suponhamos que dê como resultados que seus ciclos de ovulação tenham duração de 24, 27, 32, 24, 33 e 35 dias.
  • Pegue o ciclo mais curto e o mais longo, neste caso 24 dias e 35 dias.
  • No ciclo mais curto restam 18 dias, neste caso 24-18 = 6. Se Restam 18 dias partindo do ponto em que ovula, 10 dias após a ovulação você está fértil.
  • No maior ciclo restam 11 dias, neste caso 35-11 = 24. Restam 11 dias, partindo do ponto em ovula. 14 dias após a ovulação você está fértil, o que ocorre 3 dias mais tarde.
  • Neste exemplo, a ovulação pode ocorrer a qualquer momento entre os 6 e 24 dias após chegar a menstruação.
  • Você também pode usar a calculadora de ovulação, tirar o cálculo para o mais curto e o mais longo e juntar os 2 períodos que der como resultado e tomar os dias como período fértil entre a menor e maior data.

Alterações na menstruação

Se uma mulher tem um ciclo menstrual que ocorre em intervalos regulares a cada 21-35 dias, com uma hemorragia normal (20 a 60 mililitros), com uma duração entre dois e cinco dias, pode considerar que sua menstruação está dentro da “regularidade, explica a Sociedade Espanhola de Ginecologia e Obstetrícia (SEGO).

Mas alterações na menstruação são muito comuns e são uma das razões mais frequentes de visita ao ginecologista. Algumas delas são:

  • Intervalos irregulares. Fala-se de irregularidade quando os intervalos entre a menstruação diferem muito de um ciclo a outro. Ocorre quando em um mês o ciclo menstrual tem duração de 27 dias, e no próximo, 35.
  • Ciclos muito curtos ou muito longos. Também se considera fora da normalidade a menstruação que se produz de forma regular, porém em intervalos muito curtos, de 21 dias ou menos (polimenorreia), ou muito longos, superior a 35 dias (oligomenorreia). De acordo com o SEGO, uma em cada três mulheres têm estas menstruações irregulares.
  • Sangramento anormal. Algumas mulheres podem ter menstruações com sangramento excessivo, com uma  duração maior que cinco dias (menorragia) ou, por outro lado, uma menstruação com sangramento muito fraco (hipomenorragia). Outras com ciclos e sangramentos normais podem sofrer também uma hemorragia intermenstrual, um pequeno sangramento entre os ciclos normais.
  • Ausência de menstruação. O diagnóstico da amenorreia é estabelecido quando a menstruação da mulher se interrompe por período superior a três meses sem causa aparente (lactação ou gravidez).