Quando a criança quer dormir na cama dos pais

28 de novembro de 2016

O que acontece quando a criança quer dormir na cama com os pais? A primeira coisa a verificar objetivamente é o motivo; se a criança tem medo ou se ela só gosta de dormir acompanhada. Para resolver esse assunto é apenas uma questão de tempo.

Permita-me explicar: Possivelmente  teu filho já dormia em seu quarto sozinho e você já tinha recuperado a sua privacidade e mais espaço na cama, mas o seu pequeno está de volta e novamente e quer dormir com os pais.

Ok! A primeira coisa a fazer é avaliar a situação, pergunte ao seu filho por que ele quer dormir com vocês novamente e tente resolver o problema sem pressioná-lo, dê tempo a ele.

Dê razões lógicas para ele derrubar e enfrentar seus medos, pois ele vai superá-los com a sua ajuda. Eu acho que a melhor coisa a fazer é não pressionar, afinal de contas ele não está cometendo crime algum.

0a91db9e70c5ca00a97fe627b62c48f3-500x262

Tempo ao tempo

Vamos lá, de acordo com Rosa Jove, autora de vários livros especializados sobre crianças com apego e psicologia, 87% das crianças no mundo de hoje dormem com seus pais. Há até países como o Japão, Noruega, Suécia… onde as taxas superam os 90%, diz a autora.

Talvez no Sul da Europa, juntamente com os Estados Unidos e partes do Canadá são as áreas onde esta prática é menos comum, expõe a Jove, que diz que, mesmo assim, presume-se que 54% dos norte-americanos e europeus dorme com seus filhos; “O que acontece é que, como é um tabu, ninguém fala sobre isso e assim acreditamos que ninguém faz.”

Há argumentos mais científicos diz Jove: Os seres humanos são mamíferos e além de tomar o leite materno, são caracterizados por viverem e dormirem juntos, em bandos.

“Todas as crianças, um dia ou outro são separadas voluntariamente da companhia dos seus pais e acabam dormindo sozinhas mesmo.” Seja paciente, com o seu apoio, eles se tornarão independentes.

Tente não forçar a mudança para que as emoções não joguem contra você e assim tenha o efeito oposto ao que quer.

É importante que o quarto seja um lugar tranquilo e acolhedor, onde seja possível e desejável descansar a noite toda. Manter o quarto escuro e com temperatura adequada (17-20ºC) favorece muito o sono dos pequeninos.

Sempre tentamos olhar na criança o homem que será, mas agora é criança  e devemos avaliá-lo como tal e dar-lhe tempo para crescer.

-Rosa Jove, psicóloga e autora de vários livros sobre criação  e maternidade-

9f213aee771df5cd38dd27187c35371c

Dormir Sozinho

Segundo a autora de A Criação Feliz entre os 3 e 5 anos, percebemos a necessidade de mais horas de atividade durante o dia, por exemplo, devido à entrada na escola, o sono é reduzido (geralmente tiram-se espontaneamente as sestas) e há apenas uma deitada noturna, de umas dez ou doze horas.

Em cada período de nossas vidas o sono se adapta às nossas necessidades. Isso faz com que o sono adulto seja diferente daquele de um recém-nascido e também a de um homem idoso (que quase não tem sono profundo e, em vez disso, tende a ter mais períodos de sono leve e necessidade de dormir sestas curtas durante o dia) .

O sono é um processo evolutivo: nascemos sabendo dormir e desenvolvemos e adaptamos essa atividade segundo a idade. “Queremos que as crianças durmam tanto quanto os adultos, mais esquecemos que para dormir como um adulto, elas precisam ser adultos!”, diz.

Estas explicações são dirigidas principalmente às horas de sono, mas também servem como recomendações para entender como podemos tratar o processo para que os filhos saiam da cama dos pais, sem traumas.

Insisto na necessidade de descobrir por que seu filho faz isso, por que quer dormir na cama com os pais e derrubar as barreiras de forma gradual. Se o seu filho tem medo e você não pode resolver esse problema, acho que é necessário recorrer a um especialista.