Medidas para bebês com coronavírus

20 de maio de 2020
O coronavírus continua mantendo todos os alertas ativados. Aqui, mostramos as medidas que devem ser tomadas no caso de bebês com coronavírus.

O COVID-19 é o vírus que tem mantido todos os alarmes ativados e interrompeu a vida normal de alguns países. São milhares de casos confirmados no mundo todo. Neste artigo, vamos apresentar algumas informações gerais e as medidas que devem ser tomadas no caso de bebês com coronavírus.

O que é o coronavírus?

Os coronavírus são uma família de vírus que costumam afetar os animais. Dentro dessa família, existem muitos tipos diferentes. E alguns deles podem sofrer mutações e acabar infectando pessoas.

Esse é o caso da cepa SARS-CoV-2. Essa cepa foi detectada pela primeira vez na cidade chinesa de Wuhan em dezembro de 2019. Desde então, sua facilidade de propagação fez com que o número de casos no mundo aumentasse de forma drástica.

Você também pode se interessar: Coronavírus: o que fazer com as crianças em casa?

Quais são os sintomas?

Para a maioria das pessoas infectadas, o coronavírus passa como uma infecção assintomática, ou seja, a pessoa não apresenta nenhum sintoma que permita perceber que ela está doente. O mais comum, especialmente em crianças e bebês, é que produza sintomas leves e não específicos, como um resfriado qualquer.

Medidas de prevenção contra o coronavírus

Fonte: Governo das Ilhas Canárias

Quando provoca sintomas, geralmente são: tosse seca, febre e sensação de falta de ar. Também pode causar dor muscular, cansaço e mal-estar geral.

No entanto, não é sempre assim que o vírus se desenvolve. Em uma minoria dos casos, esse vírus pode causar pneumonia ou até a morte por insuficiência respiratória. Esses casos ocorrem, sobretudo, na população suscetível, como os idosos ou as pessoas que têm o sistema imunológico deprimido.

Como o COVID-19 é transmitido?

A transmissão do vírus entre as pessoas ocorre por pequenas partículas que circulam pelo ar. Quando uma pessoa infectada tosse ou espirra, essas partículas são expelidas e podem percorrer uma distância de 1 a 2 metros. O vírus pode ser transmitido até mesmo quando a pessoa infectada não apresenta sintomas.

Essas partículas podem permanecer em objetos de uso cotidiano, como mesas, maçanetas, talheres, etc…  Ou cair diretamente em alguém. Quando uma pessoa que não está infectada toca em um objeto infectado e, depois, passa a mão nos olhos, no nariz ou na boca, o vírus pode entrar nessa pessoa.

Você também pode se interessar: Recomendações de saúde contra o coronavírus para crianças

Bebês com coronavírus: o que fazer?

Os bebês pequenos ainda não têm um sistema imunológico completamente maduro. É por isso que devemos ter um cuidado e um acompanhamento especiais com eles.

Como o coronavírus é diagnosticado em bebês?

Assim como acontece com os adultos, os bebês com suspeita de infecção por coronavírus terão as secreções do nariz e da garganta testados. É o especialista responsável pelo bebê que vai decidir se o teste precisa ser realizado ou se o caso não atende aos critérios.

Bebê com sintomas de coronavírus

O que acontece se o resultado do teste der positivo?

Depois de o caso ser confirmado como positivo, pode haver duas situações:

  1. Bebê positivo, mas assintomático. Nesse tipo de caso, o bebê será internado no hospital e ficará em uma sala isolada, sob vigilância contínua. A amamentação será interrompida, caso estivesse sendo oferecida. As visitas serão limitadas a um membro da família saudável que deverá receber a proteção necessária para evitar o contágio.
    • O bebê deverá ter os sinais vitais continuamente monitorados e as radiografias necessárias realizadas para verificar sua evolução. Assim, todas as possíveis complicações serão monitoradas.
  2. Bebê positivo e com sintomas. Nesses casos, além de todas as medidas anteriores, os sintomas devem ser tratados. Esse procedimento deve ser realizado da mesma forma que nos adultos. Serão utilizados antipiréticos (medicamentos para a febre) e medidas de suporte, como a hidratação, de acordo com as doses estipuladas para a idade e o peso do bebê. Além disso, no caso de bebês pequenos, devem ser medidas as funções hepáticas, renais e cardíacas.

Por quanto tempo um bebê com coronavírus deve ficar internado?

Os bebês que evoluírem bem poderão ir para casa depois que dois exames para identificar a presença do vírus forem realizados em um intervalo maior que 24 horas e derem negativos. Além disso, é necessário que tenham passado 3 ou mais dias sem apresentar febre. E também os bebês precisam ter apresentado melhoras nas radiografias de tórax.

Portanto, no que diz respeito às medidas para bebês com coronavírus…

Devemos ter consciência de que os dados que temos até agora sobre o vírus mostram que a infecção é mais leve em bebês e crianças pequenas do que na população mais velha. Portanto, o fundamental é manter a calma.

Então, caso o bebê apresente algum sintoma compatível com a infecção por coronavírus, esse é o procedimento que deverá ser realizado. O mais importante, como sempre, é seguir as instruções e respeitar as recomendações fornecidas pelos especialistas.