É possível emagrecer durante a lactação?

· 22 de janeiro de 2017

Há estudos que indicam que o fato de produzir leite é um dos elementos a seu favor para perder peso durante a lactação. Portanto, não há nenhuma razão para que este processo impeça que percamos os quilos extras que ganhamos naturalmente durante a gravidez.

Algumas mulheres afirmam ter emagrecido de maneira precipitada durante sua fase de amamentação; é possível que isso se deva a certos hábitos particulares delas ou às suas características funcionais.

Porém, é possível atingir um equilíbrio de maneira consciente em prol dos resultados desejados a este respeito.

No entanto, mesmo quando somos do tipo de mulheres para quem custa um pouco mais para perder peso é totalmente possível que através do planejamento adequado da nossa rotina consigamos alcançar o sucesso. A seguir nós mostramos que perder peso durante a lactação é possível e como fazer para conseguir.

O que fazem as mães para emagrecer durante a amamentação?

Ser capaz de perder peso enquanto estamos amamentando é possível, mas sua velocidade depende de cada mulher.

Algumas mães optam por usar pílulas para emagrecer, mas esta não é a medida mais recomendada pelos especialistas porque essas substâncias químicas passam para o bebê através da mãe.

Uma dieta para a amamentação geralmente é o método mais usado pelas mães para alcançar o seu objetivo de perda de peso.

Embora não haja muitos alimentos contraindicados durante este processo, as vezes o tipo de alimentação pode causar problemas para o bebê e a mãe, por isso não é recomendado fazer dietas rigorosas.

Por outro lado, é um fato que durante esta fase a mãe sente mais fome e mais particularmente atraída pelos alimentos do tipo calórico, o que poderia ter como consequência um aumento de peso indesejável.

Neste sentido, se não estabelecermos uma meta a tempo, as necessidades nutricionais da amamentação podem jogar contra nós.

O exercício é sempre uma ferramenta de grande utilidade para a perda de peso, mas como sabemos depois do parto é recomendado fazê-lo com moderação até certo momento.

Mas para fazer qualquer atividade física é preciso ter a energia necessária, que talvez com o simples fato de estar amamentando estamos perdemos.

Desta maneira, a receita certa envolve equilibrar o consumo de alimentos que nos forneçam a energia que vamos perder na amamentação e no exercício. Pode se perder peso apenas por amamentar? Os especialistas acreditam que podem se perder cerca de 600 calorias para produzir leite diariamente, mas fará falta complementar com exercício e uma dieta adequada.

Como se pode emagrecer durante a lactação?

Como dissemos anteriormente o gasto calórico gerado durante a amamentação é equivalente ao exercício aeróbio por um par de horas por dia. É por isso que a prolongação do período de amamentação poderia levar a um processo de emagrecimento muito forte.

Segundo os especialistas, esta é a principal razão pela qual algumas mulheres atribuem sua intensa perda de peso à amamentação, mas tudo vai depender de cada pessoa.

Por outro lado, não é aconselhável descuidar do aspecto nutricional pois perder essa quantidade de calorias, gera fraqueza, fadiga, deficiência de vitaminas e minerais, assim como a diminuição da massa muscular.

No entanto, não há dúvidas de que o processo em si tem suas vantagens para a perda de peso. De fato, alguns estudos indicam que os efeitos podem se prolongar pois as mães que amamentam têm menor risco de obesidade nos próximos trinta anos.

Vamos ser claras, o resultado dos estudos indica que uma mulher em processo de amamentação segundo sua morfologia, perde pelo menos um quilo a cada seis meses. Sabemos que parece pouco, mas é constante e ajuda a prevenir o aparecimento de outros problemas de saúde, começando pela obesidade.

Para complementar o apoio na tarefa de perder peso durante a lactação, podemos estabelecer o seguinte programa.

  • Realizar atividade física diária por períodos de 45 a 60 minutos. Atividades como dançar, caminhar, pular corda ou andar de bicicleta, pode nos ajudar a gastar entre 300 e 500 calorias
  • Aumentar o consumo de líquidos, sempre e desde que não se exagere em produtos açucarados
  • Consumir frutas e verduras de preferência cruas, se pudermos comer com casca é muito melhor
  • Priorizar o consumo de carnes magras como peru e frango. Em troca recomenda-se que o pescado seja gorduroso, onde se destacam a truta, sardinhas, salmão e atum.
  • Introduzir na dieta laticínios com baixo teor de gordura, mas ricos em cálcio
  • Preferir os cereais integrais