Você quer que seus filhos sejam mais inteligentes? O Efeito Bola de Neve

23 de novembro de 2016

Se você quer que os seus filhos sejam mais inteligentes, é preciso apoiá-los e dar-lhes ferramentas necessárias para conseguir isso. Para isso, você deve levar em consideração o Efeito Bola de Neve; conhece esse efeito? Se você continuar lendo este artigo poderá saber um pouco sobre ele.

A metáfora da bola de neve se utiliza em psicologia do desenvolvimento para esclarecer que se for aproveitada cada oportunidade de aprimoramento das capacidades da criança será possível obter um maior rendimento, conseguindo um desenvolvimento ótimo.

Todas as oportunidades de aprendizagem e de crescimento oferecidas às crianças devem ser aproveitadas; os primeiros passos no caminho da educação são os mais importantes.

Para entender um pouco mais a respeito disso, consideremos a bola de neve em si mesma. A princípio é só um floco de neve, mas à medida que vai rolando pela colina, ela vai crescendo. Talvez, você antes pudesse segurá-la com a palma da sua mão, mas logo ao crescer tanto acaba ficando maior que você.

O que temos que resgatar é isso que cada passo que dá essa pequena bola de neve equivale a cada passo que seu filho dá, e cada passo seu é um novo conhecimento, uma nova experiência.

Quando seu filho é pequeno, você vai ensinando a ele pouco a pouco e vai adquirindo conhecimento e compreensão das situações. Incorpora o conhecimento em casa, logo no jardim ou na escola. Também em qualquer outro ambiente que ele compartilhe e através de qualquer outra pessoa que interaja com ele.

Cada conhecimento que adquire fará seu filho crescer, assim como cada passo que dava a bola de neve juntava mais e mais neve até ficar grande.

Então, como faço para que ele seja mais inteligente?

A inteligência não é apenas questão de incorporar conhecimento. O conhecimento nos torna mais sábios, mas a inteligência se desenvolve.

De acordo com o psicólogo Feuerstein, o organismo humano tem a capacidade de mudar sua estrutura de funcionamento. Isso se deve ao fato de que a inteligência é uma resposta adaptativa. Essas mudanças podem melhorar o desenvolvimento conseguindo alcançar processos cognitivos superiores de forma permanente. Em suas palavras: “o ser humano está dotado de uma mente plástica, flexível, aberta a mudanças. Está dotado de um potencial e de uma propensão natural para a aprendizagem.”

menino-feliz-com-quadro-com-letras-muitos-idiomas

Feuerstein introduz o conceito de aprendizagem mediada (EAM), o qual se produz quando uma pessoa faz a intermediação entre o mundo e um ser humano. O mediador pode ser algum dos pais ou os professores.

Para que a mediação seja efetiva devem ser cumpridos certos parâmetros:

  • Intencionalidade: a criança deve estar consciente das mudanças que dependem de suas emoções e operações cognitivas. Ela tem que se dar conta quando sua motivação aumenta ou diminui.
  • Mediação do significado: dar a ele um significado ao que ele está aprendendo melhora notavelmente a experiência de aprendizagem.
  • Princípio da transcendência: o conhecimento adquirido deve ser aplicado. Transferir o conhecimento a outras áreas ou experiências resulta muito enriquecedor.

O que significa isso?

Significa que podemos orientar nossos filhos no caminho da aprendizagem. Tanto os pais como os professores têm esta árdua e importante tarefa. Devemos fazer a mediação entre o mundo e as crianças, compartilhar com eles o nosso conhecimento, ampliar sua visão, mostrar a eles o caminho.

Como podemos enriquecer a sua experiência?

Como já vimos cada aprendizagem de nossos filhos pode gerar uma mudança em sua estrutura cognitiva. Como seres humanos, são flexíveis, estão abertos à mudanças e são propensos à aprendizagem. E nós temos a capacidade de orientá-los. Se agirmos como mediadores diante de todas as situações que nos são apresentadas podemos aproveitá-las ao máximo.

Uma situação, seja ela positiva ou negativa, pode resultar em um aprendizado.

Recomendo que você leia o artigo: “Como melhorar a memória e aumentar a capacidade intelectual”.

Alguns conselhos:

filho-sorrindo-com-pai-e-avo

  • Busque saber se há algum problema
  • Ajude ele a identificar os problemas
  • Busque junto com ele a causa do problema
  • Permita que ele veja a responsabilidade dele na situação gerada
  • Busque soluções para os problemas que se apresentem
  • Transforme as situações negativas em aprendizados
  • Ajude-o a aprender com os seus erros

E, sobretudo, sempre permita que ele se desenvolva e cresça, além disso, que seja flexível e se adapte ao meio. Lembre-se que no futuro esta será uma habilidade muito importante para ele!