7 dicas para parar de discutir com o seu parceiro

2 de abril de 2019
Parar de discutir com o seu parceiro não é algo que acontece da noite para o dia. Ambos devem se comprometer a melhorar e eliminar os típicos atritos. Certamente, a boa comunicação é um dos elementos principais.

Se as brigas fazem parte do seu dia a dia, o relacionamento pode começar a se deteriorar se vocês não fizerem nada a respeito. Por isso, neste artigo, vamos te dar algumas chaves para parar de discutir com o seu parceiro.

Dicas para parar de discutir com o seu parceiro

Estar em um relacionamento geralmente não é fácil. A convivência pode ser difícil, e as brigas e ideias conflitantes estão na ordem do dia. Pode ser que vocês passem o dia todo gritando ou jogando na cara do outro algo que aconteceu há vários meses atrás.

1. Controlar as expectativas

Casais ideais e perfeitos só existem nos filmes. Mesmo assim, eles tiveram que passar por altos e baixos para poder ser esse “exemplo a ser seguido” pelos outros. Controlar as expectativas não significa se conformar, mas sim estar preparado para as discussões e entender que nem tudo é cor-de-rosa.

2. Ter uma frase para ‘acabar com a briga’

Quando as discussões ficam acaloradas, é como se algo na relação fosse quebrado ou danificado. Uma boa ideia para acabar com a briga é dizer uma frase especial, uma espécie de “pedido de intervalo”.

 Dicas para parar de discutir com o seu parceiro

Procure uma frase ou palavra que sirva de controle e que permita que vocês se acalmem, respirem profundamente ou saiam para dar um passeio.

3. Conversar

A comunicação é uma das chaves para parar de discutir com o seu parceiro. Isso acontece porque, se vocês tiverem a possibilidade de expressar o que sentem ou pensam, não chegarão ao ponto de brigar.

Os relacionamentos se baseiam em acordos e compreensão, mas o outro não é um adivinho e não tem como saber o que está acontecendo com você se você não se manifestar.

Portanto, é essencial manter o diálogo em todos os momentos. Aproveite um passeio ou um momento do fim de semana para conversar, até mesmo de assuntos que não sejam totalmente agradáveis. Você verá como as brigas vão diminuir ou, pelo menos, vocês vão tentar chegar a um acordo mais rapidamente.

4. Aprender

O que podemos tirar de bom de uma briga? Muitas coisas! Em primeiro lugar, as discussões são ideais para conhecer o ponto de vista do outro (e também o seu). Além disso, você poderá canalizar os seus pensamentos ou sentimentos sobre determinado assunto.

Embora você possa não acreditar, discutir também tem seu lado positivo. Pelo menos para saber como não agir da próxima vez, a fim de evitar os gritos ou as palavras ofensivas.

5. Atitude construtiva

Ter uma atitude voltada para ajudar em vez de ficar na defensiva ou “jogar coisas na cara” é uma boa técnica para parar de discutir com o seu parceiro. Ninguém gosta de ouvir que cometeu um erro, muito menos de ser humilhado ou ser chamado de inútil.

 Atitude construtiva

6. Sem gritos

Manter a calma parece algo impossível de ser feito na hora da discussão, mas é essencial que vocês trabalhem nisso se quiserem evitar brigas e gritarias. Falar em voz baixa vai reduzir a tensão, assim como os silêncios. Naturalmente, você não deve ficar em silêncio o tempo todo, mas sim saber quando dizer alguma coisa e quando não.

7. Fazer pactos

Vocês dois são responsáveis pelo rumo que a discussão tomar, por isso vocês sempre podem estabelecer “pactos de diplomacia” nos quais vocês parem de gritar um com o outro por alguns minutos. Dê espaço para o outro falar sem interrupções e esclareçam as ideias com um pouco de silêncio.

  • Beck, A. T. (2009). Con el amor no basta: cómo superar malentendidos, resolver conflictos y enfrentarse a los problemas de pareja. Barcelona [etc]: Paidós, 2003 Barcelona [etc.]: Paidós, 2003.
  • Morfa, J. D. (2003). Prevención de los conflictos de pareja. Desclée de Brouwer.
  • Vargas, J., & Ibáñez, J. (2007). Solucionando los problemas de pareja y familia: fundamentos teóricos y alternativas de solución a los conflictos desde la perspectiva del vínculo. Editorial Pax México.
  • Willi, J. (1985). La pareja humana: relación y conflicto. Ediciones Morata.