Ameaça de um parto prematuro: o que devemos fazer?

· 30 de novembro de 2017

Um parto prematuro é o parto que acontece antes da 37ª semana de gestação. Segundo as estatísticas, pode acontecer com uma significativa porcentagem das mulheres grávidas: entre 10 e 15%. Visto que um parto prematuro pode provocar algumas complicações, mostraremos neste artigo como detectar uma ameaça de parto prematuro e o que você pode fazer para se prevenir.

Dependendo da semana em que o parto prematuro ocorre, ele pode ser classificado como:

  • Prematuridade extrema: antes da 28ª semana.
  • Parto prematuro grave: entre a 28ª e a 31ª semana.
  • Prematuridade moderada: entre a 32ª e a 33ª semana.
  • Parto prematuro leve: entre a 34ª e a 36ª semana.

Causas da ameaça de parto prematuro

O parto prematuro ocorre por causa de uma complexa combinação de fatores tanto genéticos quanto ambientais. No entanto, na maioria dos casos, não é possível determinar com exatidão qual é o motivo do parto prematuro.

Mesmo que as causas não possam ser determinadas de maneira definitiva, suspeita-se que em alguns casos não depende dos hábitos da mãe nem dos cuidados que o bebê recebe durante a gestação. Entre essas causas estão a perda de tônus muscular do útero, as infecções urinárias ou as hemorragias.

Risco de parto prematuro

Os fatores de risco se referem às condições da mulher, algumas delas evitáveis, enquanto outras derivadas do estilo de vida e, portanto, controláveis.

Fatores de risco da mãe:

  • Infecções.
  • Hipertensão.
  • Um ou vários partos prematuros anteriores.
  • Cirurgias anteriores no colo do útero.
ameaça de parto prematuro

  • Estresse em excesso.
  • Obesidade.
  • Cigarros ou drogas ilícitas.

Fatores de risco associados à gestação:

  • Existência de vários fetos de uma vez (gravidez múltipla).
  • Excesso de líquido amniótico.
  • Rompimento da bolsa de líquido amniótico.
  • Defeitos congênitos do bebê.
  • Incompetência istmo-cervical (o colo do útero não se fecha).
  • Placenta prévia.
  • Descolamento de placenta.

Sintomas

É importante que se reconheça a ameaça de parto prematuro o mais rápido possível. Dessa maneira, é possível reduzir as complicações. Na presença de qualquer um dos sintomas a seguir, é preciso consultar imediatamente o especialista:

  1. Dor na região pélvica ou abdominal.
  2. Dor intensa nas costas.
  3. Pressão na região pélvica.
  4. Cólicas.
  5. Contrações regulares.
  6. Hemorragia.
  7. Fluxo vaginal de qualquer tipo.

Como saber se a ameaça de parto prematuro é real?

Na presença de qualquer um dos sintomas mencionados, a mãe deve entrar em contato com o obstetra e procurar o hospital mais próximo. No hospital serão realizados os procedimentos adequados:

Verificação da dilatação do colo do útero. Se o colo do útero estiver aberto, a mãe pode estar em processo de parto prematuro. O tamanho do canal uterino pode ser medido através de uma ecografia.

Teste de fibronectina. A fibronectina fetal é uma proteína cujos níveis elevados podem indicar a ameaça de parto prematuro. Sua função é fazer as membranas fetais se manterem aderidas às paredes do útero.

Tratamento

Alguns tratamentos podem evitar o parto antes da hora:

  • Administração de progesterona. O médico deve determinar se a mãe precisa desse hormônio.
  • Repouso absoluto. É necessário diminuir a pressão sobre o útero, de maneira que a mãe deve permanecer deitada.
  • Hidratação. Em casos leves, a hidratação para manter a concentração de sangue no organismo pode ser realizada em casa por via oral. Em casos mais extremos, pode ser necessário ir a um hospital para realizar a hidratação por via intravenosa.
ameaça de parto prematuro

  • Amadurecimento dos pulmões do bebê. A complicação mais comum e também mais grave para um bebê prematuro está associada à falta de amadurecimento dos pulmões. Isso o impede de realizar as funções respiratórias adequadamente. Para evitar isso, geralmente se administra corticoides nas mães.

Muitos dos tratamentos voltados para as mães têm como finalidade prolongar o tempo de gestação até que o bebê esteja pronto para nascer. No entanto, em alguns casos isso é inevitável e o parto prematuro é a única opção para o bebê sobreviver.

É possível prevenir a ameaça de parto prematuro?

Alguns partos prematuros são inevitáveis, independentemente dos cuidados que a mãe vier a receber. Mas existem medidas que podem reduzir a porcentagem de risco e contribuir para que o parto ocorra no tempo adequado:

  • Cuidados pré-natais. Quando a mãe fica sabendo que está grávida, deve procurar um profissional para seguir suas indicações. Entre elas, receber as vitaminas indicadas, respeitar os calendários de vacinação e realizar os exames periódicos.
  • Cuidar do estado de saúde: é fundamental que a mãe siga uma dieta específica e se abstenha de determinados hábitos e substâncias nocivas à saúde, tanto dela quanto do bebê, é claro.