As contrações após o parto

· 28 de maio de 2018
Ainda que não seja possível prevenir as contrações após o parto, há uma série de conselhos para enfrentar seus possíveis incômodos da melhor maneira.

Na recuperação pós-parto, o corpo da mulher experimenta novas mudanças anatômicas, fisiológicas e hormonais. Entre elas, encontramos o processo de involução do útero, que pode provocar as contrações após o parto.

A seguir, analisaremos o que é a involução uterina, como se produz e que função desempenha no corpo da mulher.

Como se produzem as contrações após o parto?

Nos nove meses de gestação, o útero da mulher deve ser expandido para permitir o crescimento do feto. Quando o bebê nasce, o útero da mamãe começa a experimentar um processo involutivo.

Pouco a pouco e de forma progressiva, o útero irá contraindo progressivamente até voltar mais ou menos ao tamanho que possuía antes da gravidez.

Durante este período, muitas mulheres voltam a sentir contrações similares àquelas experimentadas 24 ou 48 horas antes de dar à luz. Geralmente, as contrações acontecem na parte baixa do estômago, mas podem se estender até as costas.

Como o processo involutivo do útero dura entre quatro e seis semanas, a mulher poderá sentir as contrações durante todo este período. Entretanto, a intensidade será maior nos primeiros dias e diminuirá gradualmente.

As contrações são motivo de preocupação?

Em princípio, não. As contrações após o parto são um fenômeno natural e fazem parte do processo de recuperação do corpo da mulher. As contrações facilitam a involução do útero, ajudam a liberar os restos de placenta e fechar os vasos sanguíneos que ficam abertos após o parto.

As contrações são motivo de preocupação?

Se não existissem estas contrações, o útero seria incapaz de voltar ao seu tamanho e a seu lugar ideal após dar à luz. Além disso, as artérias expostas depois do rompimento da placenta representam um grave risco de hemorragia; também, os restos de placenta poderiam facilitar o desenvolvimento de infecções no organismo da mulher.

Não obstante, se as contrações produzirem muita dor, é importante consultar o médico e não se automedicar. O profissional analisará o avanço da recuperação pós-parto e poderá indicar algum tratamento paliativo para aliviar as dores.

Os banhos de água morna também costumam ajudar a aliviar a dor das contrações após o parto. Por outro lado, o hábito de reter a urina aumenta a bexiga e pressiona o útero, provocando contrações mais intensas.

Todas as mulheres têm contrações após o parto?

Sim, mas as contrações costumam ser menos frequentes ou menos intensas para as mães de primeira viagem. Estima-se que só 5% delas sofrem contrações dolorosas. Por outro lado, 50% das mulheres sentem fortes contrações após dar à luz ao seu segundo filho, e 80%, depois de dar à luz ao terceiro.

O processo de involução uterina é mais doloroso quando já houve parto anteriormente, pois requer contrações mais fortes para fazer com que o útero volte ao seu tamanho original. Em comparação, as mamães de primeira viagem têm uma fibra uterina rígida, por isso sua involução é mais simples e menos dolorosa.

“5% das mães de primeira viagem têm contrações após o parto. Por outro lado, 50% das mulheres sentem fortes contrações após dar à luz ao seu segundo filho, e 80%, depois de dar à luz ao terceiro”

Com que frequência acontecem as contrações?

As contrações são automáticas e derivam dos movimentos involuntários da musculatura uterina. Por isso, é bom saber exatamente quando e com que frequência aparecerão.

A sucção dos mamilos pelo bebê acentua as contrações após o parto. Quando a mamãe dá de mamar, seu corpo libera um hormônio chamado oxitocina, que estimula as fibras musculares do útero. Como consequência, as contrações costumam ser mais fortes e regulares cada vez que a mãe amamenta.

Segundo especialistas, a estimulação mamária durante a amamentação é altamente benéfica para a recuperação pós-parto. A liberação de oxitocina acelera a involução uterina e o fechamento dos vasos sanguíneos que ficam abertos depois do rompimento da placenta; isto diminui consideravelmente o risco de hemorragias internas no corpo da mulher.

Não podemos prevenir as contrações após o parto

As contrações pós-parto podem ser prevenidas?

Não podemos prevenir as contrações após o parto, pois se trata de um processo natural do nosso corpo. No entanto, podemos fazer exercícios estratégicos durante a gravidez para ter contrações pós-parto menos dolorosas; principalmente se não somos mães pela primeira vez.

Os exercícios ideais para as grávidas são os aeróbicos de baixo impacto e aqueles que permitem fortalecer a musculatura. As caminhadas costumam ser muito benéficas para controlar o peso, melhorar a resistência física e o tônus muscular.

Além disso, o pilates e a ioga podem ajudar muito a fortalecer a musculatura uterina, melhorar a flexibilidade e regular o ritmo cardiorrespiratório. Não obstante, é importante consultar o médico antes de começar qualquer atividade.