A caixa da raiva: uma ferramenta para controlar as birras

· 19 de março de 2018
Como controlar situações de raiva ou tensão nas crianças? A caixa da raiva é uma das ferramentas mais eficazes da psicologia infantil.

Embora não pareça, a raiva pode se transformar em algo positivo. A caixa da raiva, uma ferramenta para controlar as birras nas crianças, pode nos ajudar nesse desafio. Um autocontrole e uma autoconsciência adequados serão os resultados.

A partir dos dois anos de idade a criança começa a se tornar consciente das suas emoções. Ela reconhece sua autonomia e quer aproveitá-la. Quando não consegue porque não tem capacidade ou porque os pais não permitem, ela se frustra e explode.

É nesses casos de falta de controle que a birra começa. Escândalos, choros e gritos se unem em um episódio cujos resultados variam dependendo de como a situação é enfrentada.

Como um vulcão em erupção

No início da vida, as crianças não têm controle das suas emoções. O córtex pré-frontal, que regula as emoções, ainda está imaturo e é normal que a criança reaja como um vulcão em erupção.

Os pais devem enfrentar essas birras. Pois a criança desde cedo é capaz de tirar conclusões. Se ela entender que com uma birra pode conseguir o que quer, não fará nada para evitar essa situação. O ideal é agir imediatamente e a caixa da raiva vai ajudar nessa missão.

a caixa da raiva

A raiva demanda mais autocontrole

A caixa da raiva é uma ferramenta para controlar a raiva que foi idealizada pela psicóloga Marina Martín. Ela ajuda as crianças a canalizar esse sentimento, um dos que demanda mais autocontrole.

A raiva pode ser considerada um mecanismo de defesa. Frente a uma ameaça física ou psicológica, surge como um furacão que destrói o que está no caminho. Analisar esse sentimento e entender por que ele chega e como é possível enfrentar faz parte dessa estratégia.

Vá embora birra!

 A caixa da raiva surgiu do conto “Vá embora birra” (tradução livre) de Mireille d’Allancé, que conta a história de um menino chamado Roberto.

Roberto teve um dia ruim por causa de algumas situações negativas que enfrentou na escola e em casa. Uma noite ele explodiu e um monstro se apoderou dele, destruindo tudo que estava no caminho.

O monstro desaparece

Mas Roberto refletiu e decidiu consertar tudo que tinha destruído, desde a cama bagunçada até os livros, o abajur e os brinquedos que estavam jogados no chão.

Enquanto fazia isso, ele sentia como se o monstro desaparecesse, a raiva diminuísse e sua compreensão sobre o dano causado aumentasse. A raiva agora podia ser guardada em uma caixa.

A raiva de Roberto se transformou em algo positivo. Ele compreendeu não apenas que podia enfrentá-la, mas também que se deixar envolver por esse monstro fazia muito mal para ele e para o ambiente em que vivia. A moral dessa história reside em entender a raiva e como enfrentá-la, mais do que evitar esse sentimento.

a caixa da raiva

A caixa da raiva como ferramenta

A caixa da raiva é uma técnica de relaxamento para ajudar as crianças a entenderem suas emoções através do desenho. E entender também o impacto que causam nela e na família.

Tantos rabiscos quanto quiser

Depois de ler o conto de Roberto, você deve entregar à criança um papel e vários lápis de cor.  Na folha, ela pode fazer rabiscos desordenados ou desenhos, de acordo com seus impulsos. Ela poderá desenhar o que quiser, até relaxar.

Posteriormente, e para acrescentar um pouco de diversão a essa estratégia, você deve pedir para que a criança desenhe nos rabiscos olhos, braços e pernas. Dessa forma, o monstro terá uma identidade e a criança será capaz de reconhecer a emoção.

Ao terminar, é preciso amassar o desenho e colocá-lo em uma caixa. Se estiver bem fechada, o monstro não vai conseguir sair.

 A vitória: a derrota do monstro

A caixa da raiva permite que a criança enfrente essa sensação incontrolável e prejudicial que se apodera dela. Quanto mais desenha, mais efeito tem no monstro, que é finalmente derrotado. Será uma vitória para a criança porque ela terá conseguido controlar sua irritação e derrotar o monstro, que foi trancado na caixa.

Sempre que ela se sentir incomodada ou com raiva pode desenhar e fechar o monstro na caixa. Pouco a pouco, ela vai aprender a recuperar o controle e vai transformar uma emoção negativa em algo positivo. 

Em cada desenho o monstro assume cores e formas distintas. Os pais podem ver os diferentes rabiscos com a criança e analisar o que ela sentiu em cada caso.

A caixa da raiva é uma ferramenta útil para controlar as birras. Não busca mudar comportamentos, mas resolver situações desagradáveis e acalmar a criança.