4 causas para a raiva em crianças

12 Junho, 2020
Existem muitas causas para a raiva em crianças e é responsabilidade dos pais analisá-las. Embora seja normal que as crianças fiquem bravas com coisas aparentemente sem importância, uma atitude agressiva permanente exigirá ajuda psicológica.

O fato de as crianças pequenas terem birras ocasionais é completamente normal. O confronto com os limites é necessário para o seu desenvolvimento, embora para elas isso seja difícil de aceitar. No entanto, as causas para a raiva em crianças podem ser diversas.

Às vezes, o que parece ser uma atitude desafiadora, na verdade é outra coisa. É importante encontrar o motivo da raiva para ajudar as crianças no seu crescimento saudável.

Choro, raiva e até mesmo atitudes mais ousadas, tais como bater, morder, cuspir ou falar palavrões, estão dentro do que é esperado para a raiva em crianças. No entanto, além de conhecer as possíveis causas, é bom prestar atenção a outros sinais comportamentais para detectar situações que precisem de uma maior atenção.

Causas típicas para a raiva em crianças 

1. Dificuldade para detectar e expressar os próprios sentimentos

Se na idade adulta é difícil expressar os próprios sentimentos através de palavras sensatas, é perfeitamente esperado que isso também ocorra com os pequenos. A diferença é que as crianças esperam que os adultos as entendam. 

Acostumadas a terem todas as necessidades básicas atendidas pelos pais ou responsáveis, as crianças deduzem que os adultos também poderão lidar com a tristeza ou o tédio que elas sentem. Se aqueles que cuidam delas estiverem distraídos, ocupados ou simplesmente não as entenderem, a raiva vai aparecer.

A boa notícia é que atualmente existem muitos recursos para ajudar as crianças a expressar o que estão sentindo. Existe uma lista variada de histórias infantis, nas quais diferentes personagens passam por situações de raiva, alegria, tristeza etc.

causas para a raiva em crianças

2. Falta de atenção

As crianças precisam ser ouvidas. Alguns adultos parecem acreditar que a infância seja uma fase insignificante na vida das pessoas. Como se ser criança não implicasse dificuldades, necessidades e desejos específicos.

As crianças precisam se sentir amadas, e a maneira como elas sentem o afeto é quando recebem atenção. Brincar com os pais ou cuidadores ​​é essencial para os pequenos, assim como sentir apoio diante dos medos, dos ferimentos e das inseguranças é vital para o desenvolvimento.

Não ter essa necessidade atendida é uma das causas mais frequentes para a raiva em crianças. Se os pequenos não recebem atenção pelo simples fato de estarem presentes, eles vão procurar outras maneiras de obtê-la.

3. Frustração

Outra causa para a raiva em crianças é a frustração diante de um acontecimento que lhes causa angústia ou decepção. Isso está relacionado à formação do ego e aos estágios evolutivos do ser humano.

Desde os dois até os seis ou sete anos, as crianças podem ser egocêntricas e querer tudo para si mesmas: vencer nos jogos, ser o centro das atenções, ficar em primeiro lugar, etc. No entanto, de uma forma amável, devemos mostrar a elas a presença dos outros e suas necessidades, que são iguais às delas.

Esse processo de aprendizagem é mais difícil para algumas crianças, principalmente se elas não receberem a atenção necessária ou se tiverem dificuldade para expressar seus sentimentos. Todas as causas para a raiva estão relacionadas entre si, e todas elas merecem o diálogo familiar para que a criança aprenda a administrar o seu próprio descontentamento.

“As crianças precisam se sentir amadas, e a maneira como elas sentem o afeto é quando recebem atenção.”

4. Simples cansaço

Especialmente em crianças menores, a falta de descanso é uma das causas mais comuns para a raiva. Uma rotina saudável, que respeita as horas de sono necessárias para cada idade, é essencial para uma boa qualidade de vida.

Diante dessa falta de sono, as ferramentas da criança para lidar com a frustração, a falta de atenção e a dificuldade para expressar os seus sentimentos serão ainda mais limitadas.

Não é apenas o corpo que precisa recuperar as energias com o descanso. O cérebro das crianças também requer uma certa quantidade de horas de descanso para poder funcionar, aprender e se desenvolver plenamente.

causas para a raiva em crianças

Causas para a raiva em crianças que merecem maior atenção

Conforme vai crescendo, a criança aprende a controlar a sua raiva com maior eficiência. Porém, também pode acontecer que a raiva aumente com o tempo. A seguir, veja uma lista de casos nos quais é conveniente investigar, conversar e talvez procurar ajuda profissional para os pequenos.

  • Comportamento agressivo com riscos para a própria integridade física ou de outras pessoas.
  • Dificuldade de integração em ambientes escolares ou sociais.
  • Impossibilidade de brincar e se divertir com os colegas.
  • Raiva ‘exagerada’ em relação à idade.
  • Desafio permanente à autoridade dos pais.

Nesses casos, o que as crianças estão expressando é um sintoma de um sofrimento que elas não conseguem enfrentar. Mas isso não necessariamente representa um distúrbio ou a necessidade de mediação. A princípio, é responsabilidade dos pais redobrar a compreensão, a escuta e o apoio.