Cólicas no bebê durante a amamentação

1 de maio de 2017

As cólicas nos bebês lactentes são longas em sua duração, acompanhadas de choros repentinos e desesperados.  Elas são contrações fortes e dolorosas no abdômen do bebê durante as primeiras doze semanas de vida. São um desafio ao bom senso e à paciência dos pais.

As cólicas dos bebês durante a amamentação hoje em dia continuam sendo um mistério para os médicos. A causa exata delas ainda não foi determinada pela medicina.

Especialistas indicam que cerca de 15% das crianças apresentam durante os três primeiros meses de vida cãibras intermitentes nas paredes abdominais, conhecidas como cólicas do lactente. Durante as cólicas, os bebês apresentam um choro inconsolável, inexplicável e intermitente (regra dos três “I”).

Geralmente, as cólicas durante o período de amamentação tendem a aparecer no final da tarde. Elas têm uma duração aproximada de 3 horas por dia, a partir da terceira semana de vida, com uma incidência de 3 ou mais dias durante a semana, por um período de 3 meses.

O bebê sofre com espasmos intestinais intensos e rápidos que provocam uma forte dor. Durante esses episódios, ele costuma flexionar os braços, flexionar as pernas na direção do abdômen, apertar os punhos, apresentar alta irritabilidade e eliminar gases pelo ânus.

Quais fatores provocam as cólicas no meu bebê?

cólicas

De acordo com as pesquisas, as cólicas durante a amamentação são um transtorno frequente durante os três primeiros meses de vida. Mais de 40% dos bebês lactentes sofrem com elas. Mesmo que não tenham uma explicação exata, muitos fatores podem influenciar para que elas apareçam.

Falta de maturidade do SNC (sistema nervoso central)

Durante as primeiras semanas de vida, o bebê recebe uma estimulação excessiva. Isso faz com que sua relação com o mundo seja de uma sensibilidade extrema.

Falta de maturidade digestiva

O bebê sofre de refluxo estomacal ao ingerir o alimento. Isso provoca a regurgitação dos alimentos e, por consequência, uma dor aguda no trato intestinal.

Intolerância à lactose

As crianças podem nascer com a condição de ser intolerantes às proteínas que o leite de vaca possui. Por isso se recomenda a substituição do leite de vaca por leite de soja e outras proteínas, a fim de evitar que o pequeno sofra com as cólicas. Consulte seu médico pediatra para um diagnóstico adequado.

Prática incorreta da alimentação

O bebê passa muitas horas sem comer ou durante a amamentação ingere ar, ou mama de maneira acelerada.

A ansiedade dos pais

As cólicas do lactente tendem a produzir um estado de nervosismo e ansiedade elevados nos papais. Isso faz com que os níveis de ansiedade e de choro do bebê sejam maiores. Recomenda-se que os pais se consultem com um pediatra especialista em cólicas de bebês para esclarecer todas as dúvidas e se munir das ferramentas necessárias para aprender a acalmar seus níveis de tensão e, assim, poder ajudar os pequenos.

Como identifico se meu bebê está sofrendo de cólicas durante a amamentação?

coli3

Existem diversos fatores que nos permitem identificar quando nosso pequeno está sofrendo com as cólicas de lactente. A seguir indicaremos os principais sinais ou sintomas que vão permitir a você identificar quando seu bebê está sofrendo com as cólicas:

  • O bebê começa a manifestar irritabilidade, agitação e incômodos.
  • Em algumas horas do dia, a barriguinha dele fica endurecida.
  • A sensação de incômodo do bebê é tanta que ele passa a não responder às tentativas de tranquilizá-lo, quando se compara com outras situações.
  • O bebês apresenta dificuldade para evacuar e elimina gases com mais frequência.
  • Esses episódios se tornam rotineiros. Começam a acontecer nos mesmos horários e todos os dias, sempre a partir das 5 horas da tarde em diante.
  • Passa muito tempo chorando e se mostrando incomodado.
  • O bebê apresenta períodos curtos de sono e dificuldades para ficar dormindo.

Como posso ajudar o meu bebê?

A seguir apresentaremos algumas técnicas que poderão ser úteis para que você possa acalmar o choro do seu bebê e, por consequência, diminuir as cólicas.

Utilize o calor. Uma das técnicas que permitem diminuir a intensidade do choro do bebê é colocar um pouco de calor sobre a pele dele. Especialmente na área afetada. É possível fazer isso por meio de garrafas de água ou cobertores quentes.

Faça massagens na área afetada. Se seu bebê apresenta um episódio de cólica do lactente, faça nele uma massagem. Sempre em sentido horário, realize movimentos circulares sobre a barriguinha ou as costas dele para aliviar a pressão.

Posição. Constantemente mude a posição do bebê. Isso permitirá que ele tenha um melhor movimento intestinal, menos acidez estomacal, e maior facilidade para expelir os gases.

Coloque uma música. Uma excelente opção é estimular o bebê com música. Pode ser aquela que você costumava colocar durante a gravidez; enquanto você massageia os bracinhos ou perto do peito. Isso vai produzir uma sensação de segurança e aliviar os incômodos quase imediatamente.

Se você já tentou tudo que foi aconselhado anteriormente e nada funcionou, comece o plano B. Deixe o bebê se acalmar sozinho, até que ele durma. Apague a luz, faça silêncio e tire um tempo para você. Um tempo para relaxar, para se resguardar e acalmar sua ansiedade para que quando o bebê acordar você possa continuar dando esse amor tão puro e maravilhoso que toda mãe sabe dar.