10 perguntas frequentes sobre as vacinas em bebês prematuros

O seu bebê nasceu prematuro e você não sabe quando ele deve receber as vacinas? Neste artigo, vamos responder a essa e a outras perguntas frequentes sobre a vacinação em bebês prematuros.
10 perguntas frequentes sobre as vacinas em bebês prematuros

Última atualização: 26 Julho, 2021

As vacinas são uma excelente estratégia de prevenção contra doenças potencialmente graves. E não estamos nos referindo apenas às condições que costumam se manifestar durante a infância, e sim às patologias que afetam humanos de qualquer idade.

Os bebês prematuros são um grupo especialmente vulnerável a infecções, portanto, garantir sua correta vacinação é essencial para protegê-los.

Se o seu bebê nasceu mais cedo do que o esperado, você provavelmente terá muitas dúvidas sobre como cuidar da sua saúde e prevenir possíveis doenças. Neste artigo, vamos tentar responder às perguntas mais frequentes sobre as vacinas em bebês prematuros.

1. Por que a vacinação dos bebês prematuros é importante?

Os bebês prematuros são suscetíveis a infecções, pois seu sistema imunológico é mais imaturo do que o normal.

Isso acontece não apenas porque eles nasceram prematuramente, mas também tem uma estreita ligação com as complicações da prematuridade. Entre elas, podemos citar a desnutrição, a displasia broncopulmonar ou o uso de medicamentos que atenuam o sistema imunológico, como os corticosteroides.

Apesar do fato de que o sistema imunológico amadurece com o tempo e de que produzimos anticorpos à medida que somos expostos a diferentes germes no ambiente, com bebês prematuros as coisas são um pouco diferentes.

Os bebês prematuros nascem com baixa quantidade de anticorpos naturais (fornecidos pela mãe durante a gravidez). Contudo, essa quantidade ainda sofre uma diminuição acentuada durante os primeiros meses de vida. Além disso, eles não são capazes de gerar defesas contra algumas bactérias chamadas capsuladas, que podem causar doenças graves.

Por isso, as vacinas são uma forma eficaz de fortalecer o sistema de defesa contra um grande número de microrganismos perigosos para a saúde.

Ao completar o esquema de vacinação recomendado, os bebês prematuros serão capazes de atingir concentrações de anticorpos suficientes para se protegerem dos germes contidos nas respectivas vacinas.

2. As vacinas são seguras para eles?

As vacinas são consideradas medicamentos seguros o suficiente para uso em crianças de todas as idades, independentemente de seu peso ao nascer ou da idade gestacional.

Embora uma maior porcentagem de eventos adversos graves tenham sido observados em bebês prematuros após a vacinação, provavelmente esses casos têm a ver com condições relacionadas à prematuridade e não especificamente às vacinas.

3. Quais vacinas os bebês prematuros devem receber?

Os bebês prematuros podem receber todas as vacinas do calendário de vacinação.

Em alguns casos, como na vacina contra a hepatite B, será necessário levar em consideração o peso de nascimento para administrar a primeira dose.

Em outros casos, também deverá ser considerada a idade gestacional ou o quadro clínico em que o bebê se encontra para a escolha do momento mais propício para vaciná-lo.

4. Existe uma vacina adicional para os bebês prematuros?

Além das vacinas incluídas no calendário comum de vacinação, os bebês prematuros têm indicação para receber vacinas adicionais, mencionadas abaixo:

  • Antigripal: é recomendada a partir dos 6 meses de idade e com reforço anual.
  • Antituberculose (BCG): no caso de áreas com alta circulação de tuberculose, a vacina BCG será indicada para todos os prematuros com mais de 32 semanas. Nos bebês prematuros mais jovens ela será aplicada mais tarde, entre os 3 e os 6 meses de vida, sempre que o adiamento seja possível.
  • Antivírus Sincicial Respiratório (Palivizumab): é indicada para os bebês nascidos com 35 semanas ou menos e com menos de 6 meses de idade no início da estação de risco de infecção por VRS.

5. Quando os bebês prematuros devem receber as vacinas?

Os bebês prematuros devem ser vacinados a partir dos 2 meses de idade, levando em consideração a idade cronológica. Ou seja, o tempo de vida decorrido desde o nascimento.

Exceto em situações excepcionais, a idade de vacinação não deve ser adiada em bebês prematuros.

6. O bebê terá que esperar ser vacinado se estiver internado na UTI neonatal?

No caso dos bebês que estiverem internados em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal, existem algumas questões a serem consideradas:

Vacina contra rotavírus

Embora há alguns anos o uso da vacina contra o rotavírus fosse desencorajado durante a internação, houve algumas mudanças.

As recomendações atuais sugerem a administração dessa vacina a todos os nascidos prematuros a partir das 6 semanas de idade, mesmo que sejam internados na UTI neonatal, tomando os cuidados necessários para evitar a disseminação do vírus para outros bebês.

Estabilidade clínica

Todas as crianças prematuras podem receber as vacinas a partir dos 2 meses de idade, desde que o seu estado clínico permita.

É importante que a criança esteja em estabilidade clínica, que se define pelos seguintes parâmetros:

  • Manter uma taxa de crescimento constante.
  • Respirar sozinho (sem respirador artificial).
  • Não estar sob tratamento para infecções graves ou com corticosteroides.
  • Ausência de problemas cardíacos, respiratórios ou metabólicos significativos.

7. Em qual parte do corpo os bebês prematuros recebem as vacinas?

As vacinas são principalmente de administração intramuscular, ou seja, devem ser aplicadas dentro do músculo. Para isso, é escolhida uma área do corpo que possui uma espessa camada muscular, como o quadríceps, e o local de escolha será a face anterolateral da coxa.

8. Quais são as vantagens das vacinas combinadas?

As vacinas combinadas, como a hexavalente, têm a vantagem de poder administrar vários componentes ao mesmo tempo em uma única picada.

A eficácia em termos de geração de anticorpos protetores é comparável à administração de cada vacina separadamente, com a vantagem de limitar qualquer desconforto subsequente.

No caso dos bebês prematuros, não há evidências suficientes para apoiar que as vacinas combinadas são tão eficazes quanto aquelas que oferecem coberturas individuais. Portanto, esse assunto deve ser discutido com o pediatra para a avaliação da adequação em cada caso.

9. Os bebês prematuros correm maior risco de efeitos adversos causados pelas vacinas do que os bebês nascidos a termo?

Em geral, as vacinas são seguras para todas as idades. Contudo, o risco de desenvolver efeitos adversos pode ser maior em bebês prematuros do que naqueles nascidos a termo.

Segundo relatório do Comitê de Vacinas da Associação Espanhola de Pediatria, estima-se que, após a vacinação, o risco de apresentar episódios de apneia, dessaturação ou bradicardia varia entre 10 e 47%.

10. As pessoas que convivem com a criança prematura devem receber vacinas especiais?

 

As vacinas em bebês prematuros.

Sim, as pessoas que convivem com um bebê prematuro devem verificar se estão em dia com seus calendários de vacinação.

  • Os irmãos e outras crianças da casa devem receber todas as doses recomendadas.
  • Os pais ou cuidadores idosos devem receber um reforço anual contra a gripe e uma vacina de reforço contra difteria, tétano e coqueluche (dTpa) a cada 10 anos.

Dessa forma, será oferecida uma proteção indireta ao bebê prematuro, garantindo que determinados germes não possam entrar em casa.

Pode interessar a você...
Efeitos secundários das vacinas nos bebês
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Efeitos secundários das vacinas nos bebês

O tema das vacinas nos bebês sempre foi motivo de discussão. Ainda que a maioria dos especialistas recomende seu uso, existem grupos sociais que as...