Os problemas de saúde dos bebês prematuros

5 de junho de 2018
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 15 milhões de bebês nascem prematuramente por ano no mundo. Esse dado implica que um em cada dez bebês pode ter problemas de saúde ligados à condição de imaturidade.

Nascer antes de 37 semanas de gestação pode trazer algumas complicações para a saúde da criança. Os problemas de saúde dos bebês prematuros são mais comuns em crianças que permanecem no útero durante todo o ciclo de gestação.

Os bebês prematuros requerem cuidados especiais porque seus órgãos ainda não estão maduros o suficiente. Por esse motivo, podem apresentar alguns problemas que afetam sua saúde em curto, médio e longo prazo.

O nascimento prematuro pode ser desencadeado por várias causas: infecção, estresse, um acidente, um impacto ou o consumo de álcool, entre outros. A seguir vamos listar quais são os problemas mais comuns enfrentados pelos bebês prematuros.

Os problemas de saúde dos bebês prematuros

As principais complicações geralmente afetam o cérebro e os pulmões dos bebês. Esses são os mais frequentes:

1.- Complicações respiratórias

  • Doença da membrana hialina

A doença da membrana hialina é uma condição que afeta recém-nascidos, especialmente bebês prematuros. Ela se manifesta principalmente por insuficiência respiratória (dispneia) e coloração azulada da pele e das membranas mucosas (cianose).

A doença da membrana hialina pode avançar para uma displasia broncopulmonar, que é uma doença pulmonar crônica. Além disso, causa o aparecimento de fibrose no pulmão da criança, que causa insuficiência respiratória.

  • A persistência do canal arterial

É uma anomalia cardíaca que causa dificuldades respiratórias no bebê prematuro. O canal arterial está localizado entre a artéria pulmonar e a aorta. Está presente em todos os recém-nascidos, mas costuma desaparecer rapidamente.

Geralmente, este canal se fecha espontaneamente durante as primeiras horas de vida. Em alguns bebês prematuros, esse canal pode persistir por mais tempo, causando dificuldade para respirar.

  • Apneia central

É um termo que define uma parada respiratória de pelo menos 20 segundos em bebês. Todos os bebês podem passar por este problema, mas é mais comum em bebês que nascem de forma prematura.

É possível que o bebê apresente diminuição na frequência cardíaca após a apneia. Quando a respiração fica mais lenta, a frequência cardíaca também diminui.

“Os bebês são os botões da vida prontos para florescer como uma flor para refrescar a humanidade”
-Debasish Mridha-

2.- Complicações digestivas

Bebês prematuros têm dificuldade para sugar e engolir, e às vezes, são completamente incapazes. Nestes casos, o sistema digestivo não consegue absorver os nutrientes essenciais para o corpo do bebê.

A nutrição adequada do pequeno é essencial e suficiente para ajudá-lo a fortalecer seu organismo e crescer de maneira saudável.

O recém-nascido prematuro pode ter problemas digestivos. O problema mais frequente em recém-nascidos é a enterocolite necrosante, que é uma doença relacionada à imaturidade e fragilidade do sistema digestivo.

3.- Complicações neurológicas

É durante o último trimestre da gravidez que o cérebro se desenvolve mais. Se um bebê nascer antes do tempo, pode ser que apresente complicações como hemorragia intraventricular e a leucomalácia periventricular.

A hemorragia intraventricular (LPV) é um dos problemas de saúde dos bebês prematuros mais preocupantes. Esse sangramento ocorre porque o cérebro ainda é muito imaturo e, consequentemente, os vasos sanguíneos rompem com facilidade por serem muito frágeis.

Se a hemorragia for intensa pode causar problemas graves e até a morte, que ocorre em um terço dos bebês prematuros que sofrem dessa complicação.

A leucomalácia periventricular é um tipo predominante de lesão cerebral. Nesse caso, a área do tecido cerebral é danificada e pode afetar as células nervosas que controlam os movimentos do bebê. Isso pode levar a deficiências motoras, como a paralisia cerebral.

4.- Complicações relacionadas ao fígado

Quando o bebê nasce, o fígado destrói os glóbulos vermelhos e libera um pigmento amarelo chamado bilirrubina. O problema é que o fígado de um bebê prematuro não pode transformá-lo facilmente, causando acúmulo. Isso é chamado de icterícia fisiológica.

Lembre-se de que a intensidade varia de um bebê para outro. Os resíduos de bilirrubina são eliminados através da pele e das fezes do bebê, muitas vezes dando uma cor amarelada.

Devido a essas possíveis complicações, as mães de bebês prematuros costumam ser mais preocupadas e estressadas. Em qualquer caso, elas devem ter em mente que, graças ao progresso da medicina, os problemas de saúde dos bebês prematuros estão cada vez menores e a grande maioria das crianças tem uma saúde perfeita.