Filhos e divórcio: como lidar com essa situação?

O divórcio pode ser doloroso e difícil de explicar para os pequenos. Neste artigo, vamos apresentar orientações para lidar com essa situação da melhor maneira possível.
Filhos e divórcio: como lidar com essa situação?

Última atualização: 01 Setembro, 2021

Existem muitas questões a respeito do comportamento adequado em situações que envolvem filhos e divórcio. Certamente é um momento difícil para os pequenos e para você e, como mãe, você deseja que o processo seja o menos drástico possível para eles. O tom e as palavras a serem usados nessa situação variam dependendo da idade das crianças.

No início, as reações serão difíceis de controlar. O choque inicial, depois a tristeza, a frustração e a preocupação são sentimentos comuns para crianças cujos pais estão se divorciando. A vantagem é que, em uma idade precoce, a flexibilidade, o controle do estresse e a tolerância são maiores do que na idade adulta.

Também é importante considerar que não são apenas os pequenos que precisam de apoio. O casal que enfrenta um divórcio que envolve filhos também precisa de aconselhamento profissional e do apoio de familiares e amigos. Para transmitir uma sensação tranquilizadora aos seus filhos, você deve primeiro ser forte e encarar as situações com calma.

 

Amargas são as lágrimas das crianças. Adoce-os. Intensos são os pensamentos da criança. Acalme-os. Lancinante é o sofrimento da criança. Entenda-o. Suave é o coração da criança. Não o endureça.

-Autor desconhecido-

Filhos e divórcio: sinais e recomendações de acordo com a idade das crianças

Comportamentos de crianças de 0 a 5 anos

Os sinais de estresse e conflito nessa idade são medo, raiva, instabilidade emocional, irritabilidade ou ansiedade. Essas crianças também podem apresentar algumas anomalias no desenvolvimento normal de suas atividades escolares e na rotina doméstica.

O que os pais devem fazer:

  • Oferecer cuidados constantes para que as crianças se sintam estáveis e seguras. Certifique-se de que as rotinas de brincadeiras, alimentação, banhos e sono não sofram alterações, apesar das circunstâncias.
  • As explicações sobre o divórcio nessa idade são simples e concretas. As crianças devem ser informadas apenas onde irão morar, com quem irão morar, quem será responsável por seus cuidados e com qual frequência elas verão o outro progenitor. Se houver perguntas, elas devem ser respondidas da mesma forma.

Comportamentos comuns em crianças de 6 a 11 anos

Crianças em idade escolar também refletem ansiedade, medo, raiva e tristeza, mas os sinais de falta de um pai ausente são mais claros. Em muitos casos, elas pensarão sobre a reconciliação e perguntarão o que podem fazer para que isso aconteça.

Em outros casos, os pequenos podem se culpar pela separação e têm mais dificuldade em aceitar a mudança. Se isso acontecer, a prioridade é esclarecer que os filhos e o divórcio não estão relacionados, pois é uma decisão que cabe aos adultos.

O que os pais devem fazer:

  • A consistência nos cuidados e nas rotinas ainda é muito importante. As crianças começarão a verbalizar seus sentimentos e você deve estar atenta para ouvir e intervir.
  • Com crianças dessa idade, as conversas devem ser mais sutis para evitar magoá-las com comentários excessivamente diretos. Resolva as preocupações dos pequenos de forma cuidadosa.

De 12 a 14 anos

Nessa idade, é muito comum as crianças se sentirem irritadas e com raiva. Você deve prestar muita atenção às mudanças de comportamento que ocorrem ao se separar após a separação dos pais. Por mais imperceptíveis que possam parecer, elas têm significado e devem ser tratadas para evitar consequências negativas.

O que os pais devem fazer:

  • Manter uma comunicação eficaz diminui as chances de as crianças desenvolverem problemas emocionais.
  • Embora na adolescência o objetivo seja buscar a independência, é fundamental que você estabeleça uma conexão com seus filhos e se comunique com eles de forma assertiva.
  • Pode parecer que eles querem evitar conversas com você, mas apesar disso você deve dar as explicações pertinentes e fazer perguntas para sanar todas as suas preocupações.

Filhos e divórcio: dicas para um acompanhamento eficaz

Incentive seus filhos a serem honestos. As crianças precisam aprender a reconhecer seus sentimentos e saber que eles são importantes para ambos os pais. Você sempre deve ajudá-las perceber que o que elas pensam tem importância e que é fundamental na situação.

 

Filhos e divórcio: como lidar com essa situação?

Ajude-as a verbalizar o que sentem. O comportamento das crianças fala por si mesmo. É possível perceber quando uma criança está triste ou zangada por causa da maneira como ela reage, especialmente se você notar mudanças perceptíveis. Reserve um tempo para conversar com seus filhos e fazer perguntas que orientem suas palavras e os ajudem a se expressar. Embora afete ouvir o que eles pensam, é algo essencial nesse momento.

E especialmente:

  • Discussões, confrontos e conflitos devem ocorrer fora da vista das crianças.
  • Minimize as mudanças nas rotinas familiares.
  • Deixe os comentários negativos e as culpas para as sessões de adultos com um terapeuta familiar.
  • Evite ao máximo separar os filhos do pai se ele sair de casa. Isso pode causar uma terrível fratura emocional para as crianças.
Pode interessar a você...
A separação do casal: como cada um dos seus estágios nos afeta?
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
A separação do casal: como cada um dos seus estágios nos afeta?

A separação do casal é traumática e, por esse motivo, é bom aceitá-la e passar por cada estágio para poder superá-la. Você está passando por uma?