Gianni Rodari: humor, fantasia e jogos

25 Setembro, 2020
Humor, fantasia e jogos nas histórias de Gianni Rodari, mestre da invenção e da imaginação. Vamos falar sobre algumas delas neste artigo.

Criador de um autêntico gênero da literatura infantil, mestre da invenção e da imaginação. Estreitamente conectado ao mundo da educação e da infância. Destacam-se seus esforços para que a imaginação e a fantasia ocupassem o lugar que merecem no campo da educação. Estamos falando de Gianni Rodari, o grande mestre do humor, da fantasia e dos jogos de palavras.

Gianni Rodari: humor, fantasia e jogos

Estreitamente conectado ao mundo da educação e da infância, Rodari colaborou para a tarefa de transformar a escola e seus métodos. Ele tentou fazer com que a imaginação e a criatividade assumissem um papel especial nas escolas. A partir do seu trabalho nas escolas, escreveu a Gramática da Fantasia, sua grande contribuição para a pedagogia contemporânea, através da qual transmitiu sua ideia revolucionária e libertadora da literatura.

A seguir, vamos mostrar algumas das suas histórias. Em várias delas, é possível perceber que Rodari não hesita em criticar a sociedade que ele considera consumista e pouco solidária. Ao mesmo tempo, ele é capaz de promover o espírito crítico dos pequenos, porém sempre com criatividade e humor.

Primeiros leitores

Gianni Rodari: humor, fantasia e jogos

Um zoo cheio de histórias (+ de 3 anos)  

Uma antologia de contos curtos, cheios de humor e de fantásticos animais com vida e desejos próprios. Elefantes equilibristas, tartarugas ciclistas, raposas fotógrafas, ursos bandidos e cavalos adestrados. Um divertidíssimo desfile de personagens. Entretenimento garantido!

A compra da cidade de Estocolmo (+ de 3 anos)

No mercado de Gavirate, há certos homenzinhos que vendem de tudo. Não há lugar para encontrar profissionais com mais conhecimento do que eles.

Um dia, surge um homem vendendo coisas estranhas: o Mont Blanc, o Oceano Índico, os mares da lua… Ele tinha tanta lábia que, uma hora depois, não lhe restava nada além da cidade de Estocolmo, que é comprada por um barbeiro em troca de um corte de cabelo e uma massagem com colônia.

Baralhando Histórias (+ de 4 anos) 

O avô conta à neta a história de Chapeuzinho Vermelho, mas sempre cometendo erros. Talvez por desconhecimento?

“- Era uma vez uma garota chamada Chapeuzinho Amarelo. A menina atravessou a floresta e encontrou uma girafa… – De jeito nenhum, diz a neta.” O avô faz com que seja a menina quem realmente conta a história, pois confundindo as histórias o enredo se torna um ótimo recurso expressivo.

Jaime de Cristal (+ de 5 anos)

Há muito tempo, em uma cidade distante, veio ao mundo uma criança transparente. Era possível ver através do seu corpo, da mesma forma que através do ar e da água. Era possível ver o seu coração batendo e os seus pensamentos deslizando como peixes coloridos em um aquário.

Infelizmente, um terrível ditador começa a encher a cidade de injustiça, abusos e miséria e, se alguém protestasse, desapareceria sem deixar rastro. No entanto, Jaime não podia ficar calado. Embora não abrisse a boca, seus pensamentos falavam por ele: afinal, ele era transparente e todos podiam ler na sua testa os pensamentos sobre as injustiças e a violência do tirano. Uma história sobre a força da verdade.

Infantis e juvenis

Gianni Rodari: humor, fantasia e jogos

Fábulas por telefone (+ de 7 anos)

Livro composto de contos curtos cheios de fantasia e, ao mesmo tempo, conectados à realidade. Histórias redondas, criativas, provocantes e cheias de humor, fantasia e até mesmo jogos.

“Era uma vez o caixeiro Bianchi, de Varese. Sua profissão de caixeiro viajante o obrigava a viajar durante seis dias por semana, percorrendo toda a Itália, o Leste, o Oeste, o Sul, o Norte e o Centro, vendendo produtos medicinais.

No sábado regressava à sua casa e na segunda-feira pela manhã tornava a partir. Mas antes que ele se pusesse em movimento sua filha lhe recordava: -Você já sabe, papai: um conto por noite. E assim, todas as noites, onde quer que se encontrasse, o caixeiro Bianchi telefonava para Varese às nove em ponto e contava uma história à sua menina.”

De A a Z (+ de 8 anos) 

Irresistível e absurdo abecedário de poesias, histórias e contos curtos. Para refletir, rir e aprender. Gianni Rodari procura demonstrar que a palavra constrói mundos e que a ortografia não deixa de conter brincadeira e fantasia.

Por que a ponte em que colocaram concreto amado em vez de concreto caiu? E por que a Torre de Pisa está inclinada? Será que é por que os arquitetos a construíram se equilibrando?
“Que belos são os erros, às vezes!”

Os negócios do Senhor Gato (+ de 8 anos) 

Pode haver algo mais suculento do que um rato enlatado? É isso que o Senhor Gato pretende vender na sua loja de alimentos. Um excelente negócio, de acordo com o proprietário. Mas, é claro, os ratos não terão a mesma opinião.

O jogo dos quatro cantos (+ de 9 anos)

Histórias surreais, sem sentido, com humor e jogos, nas quais o autor questiona muitos dos hábitos da nossa sociedade. “A vaca de Vipiteno”, que comeu o arco-íris, “O jovem de Verona”, que queria se casar com uma galinha pintada, ou “O aposentado”, que, ao eliminar os diabólicos brinquedos modernos, livra o mundo de um grave perigo.

Gip na televisão (+ de 9 anos)

Conta uma história que transborda fantasia e humor sobre um garoto com uma forte atração pela televisão. A ‘televisionite’ que Gip sofre faz com que ele seja absorvido por uma força desconhecida e entre de cabeça na televisão. A partir de então, Gip aparecerá sucessivamente em diferentes programas e nas telas de diferentes países do mundo.

Gelsomino na terra dos mentirosos (+ de 10 anos) 

Um garoto chamado Gelsomino e seus amigos enfrentarão o rei Jaimon, o senhor da Terra dos Mentirosos. Esse rei estabeleceu a mentira no seu reino e impôs o terror. Dizer a verdade é crime e mentir é obrigatório por lei e, se você falar a verdade, vai receber multas. Gelsomino tem uma voz tão poderosa que ele pode destruir castelos inteiros com um grito.

Gianni Rodari: humor, fantasia e jogos

Histórias para Brincar (+ de 10 anos)

Através desse livro, Rodari quer ensinar a criança a pensar por conta própria sobre os problemas que a sociedade e as pessoas precisam enfrentar. Histórias para Brincar consiste em 20 histórias curtas, cada uma com três finais diferentes. O leitor lê, observa, pensa e, se não encontrar um final de que goste, pode inventar outro, escrevendo ou desenhando por conta própria. Divirta-se!

O livro dos erros (+ de 10 anos)

Através de poemas, relatos e histórias do Professor Grammaticus, Rodari mostra com humor que o mundo está cheio de erros ortográficos, gramaticais e outros muito mais graves.

Era uma vez um jovem que sonhava em se tornar um grande inventor. Ele estudava dia e noite, estudou por vários anos e, finalmente, escreveu em seu diário pessoal: “Eu já estudei o suficiente. Eu já sou um HIMVESTIGADOR e demonstrarei meu grande valor.”

Histórias escritas em uma máquina de escrever (+ de 12 anos)

Esse livro apresenta vinte e seis histórias variadas com argumentos malucos, transbordando fantasia e um senso de humor que entretém o jovem leitor através de uma crítica irônica da sociedade de consumo atual.

“Um crocodilo sábio” aparece nos estúdios de televisão para participar de um concurso, “Marco e Mirko”, os dois gêmeos, escrevem uma redação sobre o diabo, “O pescador na ponte Garibaldi” está zangado porque os peixes preferem outros anzóis em vez do seu. Uma crítica irônica da sociedade de consumo.

Gramática da fantasia: humor, fantasia e jogos

Para finalizar, apresentamos um dos seus livros mais emblemáticos: Gramática da Fantasia. Destinado a pais, educadores e qualquer pessoa que acredite na necessidade de um lugar para a imaginação na educação. Um livro que nos diz como inventar histórias infantis e como ajudar as crianças a criar suas próprias histórias por conta própria. Quarenta e cinco técnicas que nos ensinam a arte de contar histórias.

Neste link você pode descobrir e comprar mais livros cheios de humor, fantasia e jogos desse grande escritor infantil. Gianni, obrigado pelo presente que você nos deu por meio da sua obra!