O ódio nas crianças

· 27 de maio de 2018
Apesar de não saber ao certo qual é o significado desse sentimento, ao observar os adultos, as crianças podem criar uma referência do que o ódio representa. Razão pela qual ela pode supor que o que sente se define como "ódio".

São muitas as perguntas em relação ao ódio nas crianças. As mães não conseguem acreditar quando o filho diz: “Eu odeio você!”. Então, surge a seguinte dúvida: As crianças realmente sentem ódio?

Num momento de raiva, as crianças não medem as palavras. A sinceridade é característico delas e em episódios de emoções fortes agem dessa maneira.

Pode ser que em algum momento você ouça a frase “eu te odeio”. Mas com certeza a criança não sabe realmente o que o ódio significa. Essa palavra carrega uma conotação negativa muito forte, que não se aplica necessariamente sempre que se sente frustração, raiva, aversão por alguma coisa ou alguém. Evidentemente, ao sentir com intensidade a emoção, a criança se expressa verbalmente com “ódio”. Por conseguinte, isso leva a uma confusão do termo.

O que é o ódio?

Dar uma definição à palavra ódio não é uma tarefa simples. Levando em consideração as definições dos dicionários, pode-se dizer que o ódio é um sentimento intenso de aversão por alguma coisa ou alguém.

Proteger-se é natural. Consequentemente, quando os seres humanos sentem que sua segurança está comprometida, tentam protegê-la por meio de vários mecanismos de defesa. Isso significa que as necessidades básicas nos levam a deixar livre nossos instintos mais primitivos, independentemente da fase da vida. O fato de que as crianças tentem se proteger não significa, portanto, que estão com ódio em seus corações.

Uma criança pode aprender a odiar?

Sim, as crianças podem aprender a odiar. A verdade é que as crianças podem experimentar esse sentimento em várias fases da vida.

Na primeira fase, a infância, a criança desenvolve a inteligência e a capacidade de reconhecer as coisas das quais gostam e as das quais não gostam.

ódio nas crianças

Uma explosão de sentimentos assume o controle das emoções, o que as leva a manifestar aversão por alguma coisa e não por alguém. Em geral, em relação a algum alimento ou atividade.

Os meios de comunicação e as redes sociais, hoje em dia, contribuem para que cenas de violência, rejeição e agressividade estejam ao alcance de todos e influenciem as crianças de forma significativa.

A sociedade, como se mostra atualmente, é o cenário perfeito para cultivar nas crianças sentimentos como o ódio, o que implica que no futuro se tornem adultos violentos e destrutivos.

É possível evitar o ódio nas crianças?

No mundo atual, vemos acontecimentos cheios de violência e ódio, e as crianças lamentavelmente também são testemunhas disso. Tiroteios nas escolas, ataques terroristas, manifestações de racismo ou xenofobia são apenas alguns exemplos.

Como é um pouco difícil – além de pouco saudável – esconder a realidade das crianças, é importante que os pais reforcem alguns costumes e ações para ajudar as crianças a lidar com esse tipo de sentimento.

Atenção às mudanças de humor

Os pais devem ficar muito atentos às mudanças de humor das crianças em qualquer situação. Pois se algo lhes influencia de forma negativa, é muito positivo sentir o apoio dos pais. A ideia, portanto, é cuidar das crianças também nos âmbitos psíquico e emocional. Além de ensiná-las a entender melhor a si mesmas, canalizar suas emoções de forma correta e ajudar a manter uma atitude positiva.

Explicar o por que das coisas

Dependendo da idade, é preciso explicar a realidade para as crianças de maneira que elas consigam compreender. Você não deve mentir. Mas deve ter muita cautela ao falar sobre determinados acontecimentos e situações e as razões pelas quais acontecem.

Quando as crianças não entendem por que algumas coisas acontecem e ficam com esse tipo de dúvida, podem ser motivadas a sentir aversão por alguma coisa que acredita que é real, mas que é apenas produto da sua imaginação. Ou pode pensar que uma pessoa age de maneira incorreta quando, na verdade, não é isso que acontece.

ódio nas crianças

O ódio nas crianças pode impedir que se desenvolvam adequadamente na sociedade e tenham problemas no futuro. Em outras palavras, implica sofrimento, dificuldades e, frequentemente, solidão.

Identificar as emoções

Os pais devem aprender a identificar quais são as questões que incomodam muito seus filhos e que os levam a sentir “ódio” a fim de lidar com tais questões com empatia e firmeza. Tendo feito isso, é possível tomar ações concretas para que esses sentimentos sejam canalizados de maneira positiva.

Em outras palavras, o ódio nas crianças não deve ser ignorado nem deixado à deriva. É preciso dar atenção para que esse problema possa ser superado corretamente. E, assim, deixar espaço para sentimentos positivos que são benéficos, tanto para as próprias crianças quanto para as pessoas com quem convivem.

Demonstrar amor

Se existe algo eficiente para combater o ódio nas crianças, é o amor. Portanto, uma criança amada terá menos espaço para sentir ódio. Com a ajuda da compreensão, do tempo de qualidade e do carinho dos pais, a criança poderá absorver valores como o respeito e a tolerância.

Os valores que são transmitidos em casa como, por exemplo, a solidariedade, vão transformar as crianças em seres humanos cheios de alegria, bondade e, no futuro, adultos de bem.