Os medos das crianças

· 20 de fevereiro de 2018
Os medos das crianças geralmente desaparecem por conta própria. No entanto, é importante sempre ouvir e ajudar os pequenos.

As crianças parecem pequenas, frágeis e ingênuas porque estão começando a conhecer o mundo. É normal que elas tenham certos medos. Com o passar do tempo elas vão crescendo, amadurecendo e mudando de acordo com a idade.

Mas como lidar com os medos das crianças? Quais são os medos mais comuns? Em que idade os medos aparecem?

O medo é uma sensação universal. Não importa o sexo, as crenças ou a idade. O medo está sempre presente. O escuro, os ruídos, o perigo… O medo pode ser provocado por uma infinidade de coisas ou situações.

Nas crianças, o medo é ainda mais evidente por causa da dificuldade de separar o real do imaginário e da vulnerabilidade ao desconhecido. O caráter e a personalidade da criança, o ambiente e as experiências dela são fatores que afetam o medo que sentem.

Geralmente, os medos das crianças aparecem a partir dos 6 a 12 meses e se intensificam na fase entre os 3 e 6 anos de idade. Afinal, o que fazer para lidar com os medos das crianças? É preciso tratar os pequenos com amor, compreensão e paciência. Só assim eles vão conseguir aprender a enfrentar e a superar os medos.

Quais são os medos das crianças?

Um fator importante a considerar é que os medos não são eternos. À medida que a criança cresce (em idade e aprendizagem), ela vai superar os medos naturalmente. Embora alguns medos possam interferir no desenvolvimento, os mais comuns ajudam as crianças a serem mais cautelosas.

Os primeiros tipos de medos das crianças estão relacionados à separação dos pais e ao contato com estranhos. Existem muitos tipos de medo. Estes são os três mais comuns:

1. Medo de escuro

As histórias de fantasmas, monstros, e outras histórias de terror são inadequadas para as crianças pequenas. A imaginação das crianças é bastante fértil e elas podem recriar essas histórias em seus sonhos ou até mesmo ouvir sons e ver sombras que não existem. Por isso, é preciso ter cuidado com tudo o que disser.

Estar em um lugar desconhecido, como a sala de uma nova casa, pode gerar sensações semelhantes. O medo de escuro pode levar a outro bastante comum: o medo de dormir sozinha. Deixar uma luz acesa, como um abajur, conversar com a criança, reconfortar e dar bastante carinho vai fazer com que o medo desapareça.

2. Medo de animais

Os animais estão por toda parte. Cães, gatos, papagaios, iguanas, passarinhos, peixes, hamsters, às vezes são tratados como membros da família. No entanto, para as crianças esses animais de estimação podem ser considerados criaturas estranhas e potencialmente perigosas. Por isso, é importante familiarizar a criança com os bichinhos.

medos das crianças

Tente fazer com que a criança se acostume com os animais, mostrando fotos, vídeos, contanto histórias ou visitando amigos e parentes que tenham um animal de estimação. Dessa forma você vai conseguir diminuir a distância pouco a pouco. Deixe que a criança brinque com eles naturalmente, sem forçar. Mas lembre-se de manter a segurança do pequeno em primeiro lugar.

3. Medo de chuva, relâmpagos e trovões

Por serem fenômenos bastante recorrentes, as crianças reconhecem com facilidade. Deixar que elas apreciem a chuva e explicar a importância para o meio ambiente é essencial para que elas entendam e reconheçam como uma coisa natural.

Outros medos de acordo com a idade

Os medos podem crescer com as crianças. Variam à medida que crescem e as características emocionais, físicas e cognitivas também mudam.

Mesmo que as crianças tenham a mesma idade, o medo não se manifesta da mesma maneira em todas elas. Portanto, é dever dos pais aprender a reconhecer os medos para ajudar na superação dos pequenos.

Esses medos não devem ser reforçados nem ser usados para “proteger” ou punir as crianças. Controlar o comportamento com base no medo é contraproducente. A melhor coisa é informar-se e buscar conselhos no caso do comportamento ser além do normal.
Quais são os medos de cada idade?

  • De 6 a 12 meses. Os bebês dessa idade se assustam com a perda de equilíbrio, com pessoas fora do círculo social imediato, com o distanciamento de seus pais, com os ruídos, com as luzes muito fortes, com as quedas e com o médico.
  • A partir de 2 anos de idade. As crianças ficam perturbadas com a escuridão, animais, machucados, qualquer coisa desconhecida e ficar longe dos seus pais.
  • Entre 3 e 4 anos. É um estágio em que os medos se intensificam consideravelmente. A imaginação das crianças faz com que tenham medo de monstros, guarda roupas e do escuro. Elas ficam angustiadas por acreditar que as ameaças de seus pais se tornem realidade. Nessa idade começam a surgir as primeiras preocupações sobre a morte.
    De 5 a 7 anos de idade. Nessa fase, geralmente, as crianças têm medo da rejeição, do fracasso, das pessoas com características fora do comum, dos danos físicos e de seres sobrenaturais. Elas continuam a ter medo do abandono.
medos das crianças

Alguns conselhos

Se a criança já consegue falar, escute-a com atenção. Ela deve ser tratada com carinho e confiança e é preciso encorajar a enfrentar os medos. Da mesma forma, é preciso incentivar a sua autoestima, segurança e autonomia.

O que nunca deve ser feito é não dar importância. Os medos das crianças não podem ser ignorados. Em certas circunstâncias, podem ser um indício de algo maior. Não tire sarro nem compare com outras crianças.

Ensinar com o exemplo também funciona. E um remédio infalível contra o medo é o humor. Transformar os medos em piadas, desenhos e risos vai reduzir o nível de estresse.