Trabalhar no verão é bom para os adolescentes?

30 de maio de 2018
Há muitos benefícios no fato de os adolescentes trabalharem no verão. Não é só uma questão econômica, o fundamental é que os jovens aprendam valores e responsabilidades úteis para sua vida futura.

O fato de os adolescentes trabalharem no verão não é uma ação repreensível. Se tiverem menos de 16 anos, não poderão fazê-lo formalmente, porque as leis não permitem. Mas há tarefas simples que lhes permitirão conseguir algum dinheiro ao mesmo tempo em que adquirem independência e senso de responsabilidade.

As férias representam um longo período de lazer que pode ser usado para amadurecer e crescer. Fora da sala de aula e das paredes da casa, há uma ampla gama de oportunidades para aqueles que desejam começar a trabalhar.

Se os pais concordarem, a primeira coisa a fazer é focar nas opções, colocando os interesses da criança e suas afinidades em primeiro lugar. Se ela gosta do que vai fazer, a experiência será agradável e a encaminhará para o sucesso.

Em relação ao emprego indicado, cada país tem leis ou normas que regulam o trabalho dos adolescentes. É conveniente verificá-los, bem como o horário e os pagamentos estabelecidos para cada idade; devemos ter em mente que os jovens merecem receber a melhor recompensa pelo seu esforço.

Conselhos para os adolescentes trabalharem no verão

Não há nada de errado com os adolescentes trabalharem no verão. No entanto, se esta for a primeira vez, devem estar preparados para enfrentar a fase de seleção.

Quando o empregador perguntar: “Por que você quer o emprego?”, talvez a primeira coisa que venha à mente seja o dinheiro. No entanto, existem outras razões para argumentar que lhes darão uma vantagem sobre o restante. Antes de se submeterem a qualquer oferta, é importante que eles entendam que, com o trabalho, conseguirão múltiplas vantagens. Estas são algumas delas:

Crescimento pessoal

Em um emprego de verão, o jovem aprenderá a socializar, além de fortalecer sua segurança e sua autoestima; em suma, ele vai entender que pode ser livre e independente de seus pais. Começará a valorizar o próprio esforço e também o dos outros, e substituirá o tempo ocioso por atividades produtivas.

Experiência laboral

Experiência laboral

Os empregos de verão ajudam a esclarecer o que se quer para o futuro; além disso, trabalhar no verão permite que os adolescentes tenham sua primeira visão sobre o campo de trabalho. Eles podem ter horários mais flexíveis ou menos responsabilidades do que as assumidas pelos adultos, mas vão adquirir compromisso e disciplina.

Curriculum vitae

O adolescente aprenderá novas habilidades e exercerá um ofício que pode ser útil para seu desenvolvimento profissional. Muitos empregos têm uma fase de treinamento e certificação. E mesmo que seja uma tarefa temporária, uma vez terminada, pode-se solicitar uma carta de referência, que será anexada ao currículo.

Recompensa monetária

Além de evitar o tédio e as atividades banais, os empregos de verão oferecem benefícios econômicos e ensinam a organizar as finanças. Os jovens serão conscientes do quanto custa ganhar o dinheiro e se certificarão de não desperdiçá-lo. Alguns adolescentes se candidatam a empregos para sustentar seus caprichos e também para contribuir com seus estudos.

Em um emprego de verão, o jovem aprenderá a socializar, além de fortalecer sua segurança e sua autoestima; em suma, entenderá que pode ser livre e independente de seus pais”

Como procurar trabalho para os meses de férias?

Ainda que se diga que o verão serve para descansar dos deveres escolares ou se divertir, nada disso é incompatível com o trabalho. É uma questão de saber procurar e se organizar; a decisão de trabalhar deve ser voluntária e as tarefas a serem executadas devem estar de acordo com a vocação do adolescente.

Os trabalhos mais comuns e mais recomendados passam por cuidar de crianças, passear com cães, ensinar inglês ou matemática, lavar carros, limpar jardins, etc. Geralmente, eles são oferecidos no entorno imediato do lar e para pessoas conhecidas; também pode-se ocupar uma posição de recepcionista ou de arquivista em um escritório.

Outras opções, como salva-vidas de piscinas ou monitores em acampamentos, exigem maiores responsabilidades. Mas sempre que exista uma disposição do adolescente e dos pais, os desafios podem ser enfrentados.

Talvez seja preciso fazer um curso especializado, mas valerá a pena. Entregar folhetos ou fazer compras por encomenda, são outras alternativas viáveis.

Os trabalhos mais recomendados passam por cuidar de crianças

Os trabalhos de verão interferem no desenvolvimento?

À medida que o adolescente for adquirindo um critério próprio de trabalho e dos benefícios que ele traz, ele vai aspirar sempre mais: mais trabalho, mais renda. É aqui onde reside o principal medo dos pais ao dar permissão para trabalhar; no entanto, são eles que devem lembrar o filho de sua obrigação de estudar.

Um medo recorrente dos pais é que o filho se torne tão independente que considere sair de casa e abandonar os estudos. No entanto, as estatísticas nos garantem que, certamente, isso não acontecerá.

Nesta fase, o jovem mal começou a ver o quanto custa a vida e ainda não pode enfrentá-la sozinho. Considerando tudo isso, vale a pena dar a ele a chance de viver uma experiência tão gratificante.