5 dicas para acalmar o choro descontrolado do bebê

· 21 de agosto de 2018
A primeira maneira que os bebês têm para se comunicar quando chegam ao mundo é chorando. Mas, às vezes, o choro parece descontrolado. Veja algumas dicas para acalmar o choro do seu bebê.

Os bebês choram por muitas e variadas razões. Inclusive, podem chegar a chorar de 1 a 3 horas por dia. Neste artigo iremos te dar algumas dicas para acalmar esse choro descontrolado do bebê que tanto aflige os pais.

Compreender o choro do bebê

Você deve saber que o choro do bebê é um dos primeiros problemas dos pais. Um bebê recém-nascido pode chorar porque está com fome ou cólicas, porque precisa que sua fralda seja trocada, porque está com frio, etc.

Muitas vezes, não sabemos o que acontece nos primeiros dias. Mas rapidamente os pais vão conhecendo seus filhos e a causa de suas lágrimas. Não se esqueça de que às vezes o choro também pode ser um sinal de que o bebê está como uma dor, uma doença, uma infecção ou que os primeiros dentes estão chegando.

Às vezes, o choro do bebê somado a não saber o que está acontecendo com ele pode nos preocupar muito e acabamos ficando desesperados. Nós até pensamos que nosso filho tem algo mais sério quando se trata apenas de fome, sono ou um problema emocional. A seguir, vamos te dar cinco dicas úteis para acalmar o choro do bebê.

choro descontrolado

Abraçar seu bebê

Muitas vezes, se os bebês têm chorado muito, eles acabam entrando numa espiral de raiva e choram inconsolavelmente. O melhor a fazer, nesses casos, é abraçar o bebê para que ele descarregue toda sua raiva contra o nosso corpo.

Quando ele tiver relaxado um pouco, poderemos analisar qual é o problema. Se ele está com fome, sono ou até mesmo uma dor. Para saber se está com fome, o melhor é oferecer comida quando o bebê estiver mais calmo. Pois, se ainda estiver chorando, quase com certeza irá rejeitar a comida. Se for sono, aos poucos ele irá relaxando até dormir.

Muitas vezes, quando as crianças estão com muito sono, elas ficam hiperativas e não param de se movimentar. O importante é que se acalmem, pouco a pouco, até dormirem. Se olharmos com afeto para elas, falarmos calmamente e cantarmos uma bonita canção, certamente vamos conseguir mudar essa situação.

Dedicar tempo ao bebê

Se nosso filho chega em casa, da creche, do berçário, da casa dos avós chorando inconsolavelmente,  ele pode estar preocupado com alguma coisa. Temos que descobrir se aconteceu alguma coisa ou se ele que chamar nossa atenção, porque tem se sentido sozinho e sentiu nossa falta.

O melhor é tentar passar a maior parte do tempo do dia que pudermos com nosso bebê, e fazê-lo sentir todo o nosso amor e atenção.

Estabelecer rotinas

As crianças precisam de rotinas em sua vida para que se sintam seguras. Se elas sabem que após o banho, vem o jantar e depois vamos ler histórias para elas na cama, e nós por alguma razão alteramos essa ordem, elas com certeza vão perceber. É por isso que muitas vezes choram. Se a criança estiver desorientada, então pode ser que esteja precisando de ordem e uma série de rotinas diárias.

Estimular seu filho

Muitas vezes nosso filho está entediado. Chega um momento em que ele quer engatinhar por toda a casa, abrir armários, tirar todas as coisas de dentro, subir nos sofás, etc. E nós, como pais, vamos atrás delas tentando frear algumas dessas atividades em prol da segurança, e só as deixamos tranquilas no parque. Mas as crianças sentem a necessidade de explorar. Elas se frustram se não as deixamos explorar e exercer sua curiosidade.

Muitas vezes, quando as crianças sentem que não podem se movimentar livremente, entram em uma espiral de choro descontrolado. É por isso que o melhor é deixá-las passar algum tempo explorando sem um controle extremo. Deixe-as, por exemplo, abrir algum móvel onde tenha colocado alguns copos e pratos de plástico. Tente fazer com que elas sintam a liberdade para explorar. Pesquise brincadeiras para sua idade ou pense em ideias criativas que as estimulem.

choro descontrolado

Mudar a atitude

Se nada do que fizermos acalmar o choro do bebê e ele não tiver nenhum sinal de dor, então podemos tentar uma mudança de atitude. Nós podemos tentar fazer caras engraçadas, brincar, começar um jogo para que ele nos acompanhe nesse momento divertido. Ou, também, podemos sair para dar um passeio de carro, por exemplo.