6 conselhos para seu filho ser mais independente

· 20 de dezembro de 2016

É possível que, com o passar do tempo, você perceba que seu filho é muito dependente de você. Ele precisa da sua aprovação para tudo e inclusive pode apresentar ansiedade de separação quando tem que ficar muito tempo longe de você. Mas, uma criança, à medida que cresce, precisa fazer coisas por conta própria e ser mais independente. Por isso, como mães e pais é seu dever ajudar os pequenos no que quer que seja.

Normalmente as crianças têm dificuldades para se tornar independentes. Pois têm medo de cometer erros, de receber críticas ou talvez somente queiram chamar atenção. Só você pode ajudar seu filho a ser mais independente, não importa qual seja a razão dessa necessidade. Se você não sabe por onde começar, não perca estas ideias a seguir.

Nossos conselhos são:

1. Permita que ele tenha iniciativa

Mesmo que seja verdade que os pais devem estabelecer limites aos seus filhos, às vezes é bom deixar os pequenos tomar as próprias decisões. Mesmo que elas sejam um pouco extravagantes. Por exemplo, se você tem um filho de 2 anos e ele quer usar uma jaqueta que não combina com a roupa que está vestindo, permita que ele use! Se ele quer colocar uma jaqueta, mas está muito calor, logo ele vai perceber por si mesmo que talvez seja melhor não usar. Assim seu filho vai poder tirar conclusões por experiência própria de acordo com os pensamentos dele. Dessa forma, você oferece oportunidades para ele aprender e crescer.

2. Deixe seu filho tomar as próprias decisões

Tão importante quanto ter iniciativa é tomar as próprias decisões. Permita que, desde pequeno, seu filho seja capaz de tomar decisões por si mesmo. Vocês podem começar com coisas pequenas para que ele possa fazer as próprias escolhas e se sentir bem consigo mesmo. Por exemplo, você pode permitir que ele escolha entre duas opções de sobremesa. Ou que escolha entre duas opções previamente escolhidas por você a roupa que ele vai vestir pela manhã, etc… Isso fará com que seu filho compreenda que é capaz de tomar as próprias decisões e que elas são aceitas pelos demais, sem críticas.

próprias decisões

3. Fazer uma lista de tarefas

Vocês podem fazer uma lista de coisas que seu filho poderia fazer sozinho, como uma lista de tarefas (varrer a casa, escovar os dentes, etc…). Essa lista de tarefas deverá estar de acordo com a idade do seu filho ou filha. Após vocês estabelecerem a lista é preciso dar algumas chances para ver se seu filho vai se sentir suficientemente confortável para realizar as tarefas sozinho. Se ele conseguir realizar as tarefas e aproveitar essa experiência de aprendizado e crescimento, sem dúvidas você deverá elogiá-lo.

4. Esqueça as perfeições

Talvez você seja uma pessoa perfeccionista e transpareça isso aos seus filhos, mesmo sem perceber. Não é necessário buscar a perfeição nos seus filhos e muito menos em você mesma. Você deve aceitar que seus filhos não vão fazer as coisas tão bem quanto você e não há nenhum problema nisso. Se seu filho derrubar a xícara de leite, por exemplo, ao invés de ficar brava ensine-o a limpar sem criticar. Diga que não tem problema porque isso é uma coisa que pode acontecer com qualquer pessoa.

próprias decisões

5. Não critique. Elogie!

Algumas vezes os pais focam somente nas coisas que os filhos fazem errado e acabam exagerando nas críticas. Mas para que as crianças se sintam bem com o que fazem os pais devem se esquecer das críticas para sempre e se focar naquilo que as crianças fazem corretamente. Se os pequenos são elogiados e o caminho para fazer as coisas da maneira correta é explicado é muito provável que as crianças fiquem motivadas e se esforcem para conseguir. Por outro lado, se nos focamos na crítica daquilo que fizeram errado, o mais provável é que a autoestima dos pequenos seja gravemente prejudicada.

6. Confie nele

Para que uma criança possa confiar em si mesma, primeiro deverá sentir como os outros (sobretudo os pais) confiam nela. Para que a criança saiba que você confia nela é preciso oferecer oportunidades para que ela faça as coisas por si mesma. E, inclusive, possa praticar a ausência aos poucos nas atividades dela, para que se acostume a fazer as coisas sozinha. Por exemplo, você pode dizer ao seu filho que precisa ficar durante uns 5 minutos em outro cômodo e que depois voltará. Assim, poderá ir aumentando os intervalos até que seu filho perceba que pode fazer as coisas por si mesmo durante mais tempo. Pouco a pouco ele será mais independente.