A cerclagem e sua proteção em gestações múltiplas

· 21 de junho de 2018
Se sua gravidez é múltipla e está nas primeiras semanas, você deve conversar com seu médico sobre os benefícios que oferece a realização de uma cerclagem, a fim de buscar maior proteção para os seus bebês.

Dar a vida é uma das tarefas mais maravilhosas de qualquer mulher. Saber que por nove meses nosso corpo será o ninho em que nossos filhos irão se desenvolver é um compromisso muito grande. Assim, devemos tomar as precauções necessárias para evitar complicações.

Em comparação com uma gestação simples, uma gravidez múltipla não se difere muito em relação aos cuidados. Em ambas as situações os riscos estão latentes. Portanto, não encare com superficialidade as indicações médicas. Elas sempre vão buscar o nosso bem-estar e o de nossos filhos.

Uma das principais preocupações de uma mãe de bebês múltiplos é que a gravidez não chegue à sua fase final e os pequenos nasçam prematuramente. Felizmente, existem alternativas médicas aplicáveis para reforçar a estabilidade de nossos bebês.

Cerclagem: aumentar a resistência do colo do útero

De acordo com Patxi Ariztoy, ginecologista e perinatologista venezuelana, a cerclagem consiste em uma sutura realizada no colo do útero para evitar sua dilatação quando se suspeita de que há risco de perder o bebê ou de ocorrer um parto prematuro. O principal objetivo desse método é fortalecer o colo do útero para que possa suportar o peso dos fetos.

a cerclagem

Caso seja necessária, essa intervenção cirúrgica deve ser realizada entre a 14ª e 15ª semana de gravidez. A mãe se submete à anestesia geral para o procedimento e dentro de poucas horas recebe alta médica. No entanto, deve manter repouso em prol da eficácia da cerclagem, que continuará a ser acompanhada de perto pelo médico.

Se optarmos por esse método para garantir a permanência dos bebês no útero, é importante saber que a cerclagem deve ser removida antes do término da gravidez. Isso é essencial mesmo quando houver sinais de parto prematuro. O risco de não remover a sutura é sua consequente ruptura e hemorragia. Por isso, devemos estar atentas.

As mães de bebês múltiplos devem tomar cuidados especiais durante a 26ª e 32ª semana de gestação. Essa é a fase mais delicada devido ao aumento de peso tanto dos bebês quanto do útero, que vai aumentando de tamanho. Então, seguir rigorosamente a recomendação de repouso vai minimizar as chances de ocorrer qualquer inconveniente.

Levando em consideração que o tempo de gestação é de 40 semanas, uma gravidez que passa de 36 semanas é considerada a termo. No caso de concepção múltipla, quando passar de 31 semanas, a probabilidade de que todos os bebês sobrevivam é de 100%.

A aplicação do anel

Graças à efetividade da realização da cerclagem na redução de partos prematuros, um grupo de pesquisadores desenvolveu uma nova técnica que envolve o fechamento do colo do útero com um anel de silicone.

Essa estratégia é menos invasiva do que a cerclagem tradicional porque o anel é inserido pelo canal vaginal. O tamanho do anel, que tem sete centímetros de diâmetro, facilita sua instalação e remoção.

a cerclagem

As indicações para a colocação do anel são exatamente as mesmas da cerclagem tradicional. E essa técnica representa um risco menor porque a mãe não precisa ser submetida à intervenção cirúrgica. Estudos recentes dizem que o anel de silicone tem evitado o parto prematuro em 75% das mulheres que optaram por esta alternativa.

É recomendada apenas para gestações múltiplas?

Atenção mamães! A cerclagem pode ser uma excelente alternativa não apenas para uma gravidez múltipla. Também é recomendada para mulheres que possuem o colo uterino muito curto ou apresentam insuficiência cervical, ou seja, a força do colo uterino não é suficiente para se manter fechado conforme o bebê se desenvolve.

A insuficiência cervical é uma das principais causas de perdas ou de nascimentos prematuros. E não é um problema relacionado com a idade da mãe. Uma mulher de 35 anos pode ter força cervical para levar a gravidez até o final, enquanto uma jovem de 23 anos poderia apresentar o diagnóstico.

Desde o primeiro momento da concepção de nossos filhos, devemos manter uma comunicação aberta com o nosso ginecologista-obstetra. Assim, poderemos conhecer as ferramentas que nos ajudarão a ter uma gravidez bem sucedida.

Não devemos ter medo de perguntar o que quisermos para nosso médico. Ele que saberá entender como podemos estar nervosas e ansiosas perante a chegada dos amores de nossas vidas.