Anafilaxia em crianças: causas, tratamento e como evitar

05 Abril, 2019
A anafilaxia em crianças é muito alarmante e pode acontecer a qualquer momento. Como é uma reação alérgica abrupta e intensa, é necessário tratar com urgência.

A anafilaxia é uma doença alérgica que afeta vários órgãos. Suas causas variam dependendo da idade. Assim, pode ser difícil identificar a anafilaxia em crianças, pois não se sabe quais são os sintomas ou eles são confusos. Visto que se trata de uma condição séria, é muito importante que você saiba reconhecer rapidamente.

O que é anafilaxia?

É uma reação alérgica muito perigosa que afeta todo o corpo e atinge mais de dois sistemas ou órgãos ao mesmo tempo. O termo foi inventado por Charles R. Richet, Prêmio Nobel de Medicina. A anafilaxia também é conhecida como choque anafilático, reação alérgica ou reação anafilática.

Depois de ser exposto a certas substâncias, o sistema imunológico da criança se torna sensível a ela. No momento em que a criança é exposta novamente a esse elemento que causa alergia, pode ocorrer uma reação anafilática.

Como identificar se a criança tem um choque anafilático?

Normalmente, acontece de forma repentina e os seguintes sintomas podem ocorrer:

  • Aparecimento de urticária ou lesão cutânea avermelhada com muita coceira
  • Problemas respiratórios graves
  • Congestão nasal ou tosse
  • Pressão da garganta
  • Lábios e língua bastante inchados
  • Distúrbios gastrointestinais como: dor abdominal, cãibras, diarreia, náusea ou vômito
  • Alterações ou perda de consciência
  • Pressão baixa
  • Rouquidão ou dificuldade para falar
  • Frequência cardíaca acelerada

Possíveis desencadeadores de anafilaxia em crianças

Os principais gatilhos dessa condição são:

Medicamentos

Entre os medicamentos que podem causar uma reação anafilática estão os anti-inflamatórios não-esteroides e os antibióticos, como a amoxicilina. Por sua vez, as vacinas e as imunoterapias específicas raramente causam reações alérgicas graves.

A anafilaxia em crianças pode ter reações muito graves.

Alimentos

Os alimentos variam de acordo com o país e seus hábitos alimentares, o nível de exposição e como são preparados. Os alimentos que muitas vezes causam anafilaxia em crianças são ovos, peixes, leite, cereais, legumes e castanhas.

Outros fatores que podem desencadear a anafilaxia em crianças

Entre as situações que favorecem essa reação, podemos destacar o esforço físico associado a uma alteração genética. Além disso, pode ocorrer com picada de insetos himenópteros, como vespas, formigas ou abelhas.

Por outro lado, também pode ser provocado pela exposição a ambientes frios, úmidos ou quentes, bem como algumas situações específicas, como o período menstrual e aparelhos odontológicos.

Anafilaxia idiopática

Esse tipo de anafilaxia é aquele que não é possível identificar o agente ou fator causador, mesmo após a realização de estudos completos de alergia. Os casos em que não se encontra a causa conhecida não ocorrem apenas em crianças, mas também em lactentes.

4 maneiras de prevenir anafilaxia em crianças

É possível prevenir as reações anafiláticas em crianças. Para isso, considere estes quatro pontos:

  • Se o seu filho for alérgico a certos alimentos, ofereça pequenas quantidades na hora de experimentar um novo alimento. Assim, você pode identificar se ele tem uma alergia em particular.
  • Evite os desencadeadores que já causaram essa reação antes. Examine cuidadosamente os rótulos dos ingredientes ou componentes dos alimentos ou medicamentos. Se for comer fora de casa, verifique os ingredientes contidos na comida que você vai consumir.
  • De acordo com a indicação do seu médico, procure sempre levar medicamentos de emergência para onde for. Também é útil ter à mão um remédio para picadas de abelha.
  • Indique na identidade ou ficha médica do seu filho os problemas alérgicos que ele apresenta.

“Os alimentos que costumam causar anafilaxia em crianças são ovos, peixes, leite, cereais, legumes e castanhas.”

Tratamento imediato

A anafilaxia pode piorar rapidamente, portanto exige tratamento imediato. Se o seu filho sofre desse tipo de alergia, tenha sempre consigo epinefrina, mais conhecida como adrenalina.

Os médicos prescrevem uma administração autoinjetável, que tem mais ou menos o tamanho de uma caneta. Dessa forma, é fácil de aplicar e não assusta a criança. A adrenalina por via intramuscular é a forma mais eficaz de tratar a anafilaxia, uma vez que previne o colapso cardiovascular e o broncoespasmo.

É preciso estar preparado em caso de anafilaxia em crianças.

É possível que o pediatra sugira que você administre anti-histamínicos como substitutos da adrenalina. Geralmente, é preciso administrar esse tipo com outros medicamentos.

Depois de administrar adrenalina ao seu filho que teve uma reação alérgica extrema, leve a criança ao serviço de emergências, mesmo que o problema pareça ter passado. Às vezes, a anafilaxia em crianças apresenta uma segunda onda de sintomas ou têm uma reação bifásica.

No hospital, a criança será observada por cerca de quatro horas ou até que esteja fora de perigo. Se necessário, ela receberá um tratamento adicional.

A anafilaxia em crianças sem o tratamento adequado é potencialmente fatal. Portanto, é preciso agir imediatamente nesses casos. No entanto, não fique obcecado com esse problema, apenas aprenda a agir rapidamente caso seu filho precise, e continue com a vida normal.