As células-tronco em dentes de leite

7 de maio de 2018
Você sabia que as células-tronco estão nos dentes do seu bebê? Pois sim! Recentemente a odontologia revolucionou a medicina com essa descoberta.

Poucas pessoas sabem que, além do cordão umbilical e da medula óssea, os dentes de leite das crianças também são ricos em células-tronco. Porém as células que são obtidas dos dentes de leite são diferentes das que são extraídas do cordão umbilical.

Toda essa revolução começou em 2003, quando um pesquisador do National Institute of Health (Instituto Nacional de Saúde) confirmou a existência dessas células na polpa dentária, que é revestida pela dentina em dentes de leite.

O benefício das células-tronco para tratar diferentes aspectos da saúde humana teve grande difusão durante os últimos anos. Todos nós queremos utilizar seus benefícios para regenerar os tecidos e nos ver mais jovens.

O grande sucesso dos tratamentos com células-tronco é que elas são multipotenciais. Isso significa que têm a capacidade de se multiplicar e se diferenciar para produzir outras células capazes de formar tecidos e órgãos de diferentes tipos.

Células surpreendentes

As células obtidas dos dentes de leite das crianças são chamadas de células mesenquimais porque têm a capacidade de regenerar tanto órgãos inteiros quanto outros aspectos importantes da nossa anatomia. Elas podem regenerar: ossos, músculos, gordura corporal, cartilagens, pâncreas, coração e inclusive as células nervosas localizadas no cérebro. Neste sentido, as células-tronco abrigam em si um potencial de regeneração incrível.

As células mesequimais podem ser extraídas dos dentes de leite das crianças (ou dos sisos dos adultos). Elas servem como tratamento para algumas doenças cardíacas, bem como para:

  • Parkinson.
  • Doença de Alzheimer.
  • Diabetes.
  • Paralisia por lesões na medula espinhal.
  • Reproduzir osso e cartilagem, entre outros tecidos

IMPORTANTE

As células-tronco dentárias podem ser utilizadas para tratar doenças em pacientes com primeiro ou segundo grau de consanguinidade; isto é, irmãos,pais, avós, tios, tias, etc…

Onde preservar as células-tronco?

Essas células (encontradas na parte macia do interior dos dentes de leite) servem para regenerar a parte viva do dente. Geralmente elas aparecem aos seis anos de idade e caem naturalmente entre 6 e 12 anos.

Estes dentes devem ser preservados em um laboratório especializado.

Se o dente cair em casa ou em qualquer outro lugar…

Se o dente cair em casa ou em qualquer lugar que não seja o consultório odontológico, coloque-o imediatamente em um copo com leite e deixe na geladeira. Se o fizer, é muito provável que as células-tronco possam ser cultivadas e preservadas com sucesso.

As primeiras 48 horas após o dente estar fora da boca são cruciais. O dente deve ser embalado, enviado e recebido no laboratório durante este tempo para conseguir o isolamento bem-sucedido das células.

Os dentistas dos EUA estão recomendando remover os dentes de leite das crianças antes de cair. Eles aconselham que os pais devam tomar a decisão de preservar os dentes de forma profissional e não depois que já tiverem caído.

Apesar das práticas nos EUA, muitos dentistas não recomendam a extração dos dentes de leite de seus filhos através de um procedimento não natural. Entre os motivos indicados, temos o seguinte:

Os dentes de leite são uma nova fonte de juventude, da qual todo mundo quer fazer uso o quanto antes e com a maior facilidade possível. A falta de paciência da sociedade atual leva a um processo de marketing tão agressivo ao ponto de recomendar a extração prematura dos dentes das crianças.

Guarde bem seus dentes de leite!

Se estiver interessada em guardar os dentes de leite do seu bebê para o futuro, a recomendação dos especialistas neste assunto é chegar a um acordo com o banco de células de sua preferência. Lá, eles fornecerão um biokit com tudo o que você precisa para armazenar corretamente o dente até que você entregue ao pessoal do laboratório.

De fato, os sisos ou “dentes do juízo” também contêm grande quantidade desse tipo de células, que mostraram capacidade para regenerar córneas danificadas.

Tradicionalmente, muitas mães ao redor do mundo guardaram os dentes de leite dos seus filhos. Alguma vez você já viu uma caixinha com dentes de leite dentro? Talvez você não os veja da mesma forma de agora em diante.

Certamente, a tradição vai começar a mudar. Em vez de manter os dentes de um bebê em uma caixa, as mães começarão a armazenar seus dentes em bancos de células, cujos laboratórios poderão preservá-los. Eles estarão disponíveis para quando forem solicitados, a fim curar alguma infecção ou regenerar algum órgão do corpo.