As crianças podem aprender dois idiomas ao mesmo tempo?

· 28 de fevereiro de 2018
Você já se perguntou se as crianças podem aprender dois idiomas ao mesmo tempo? Então, descubra neste artigo algumas sugestões para enfrentar esse desafio.

Aprender dois idiomas ao mesmo tempo é possível. A verdade é que costumava haver muitos mitos sobre isso. Mas cada dia que passa existem menos.

Foi comprovado que as crianças não têm dificuldades para aprender dois idiomas ao mesmo tempo. E, ao contrário do que se costumava pensar, quanto mais cedo começarem, mais fácil vai ser o processo de aprendizagem.

Na verdade, considera-se que as crianças têm uma facilidade maior do que os adultos na hora de assimilar novas ideias e, é claro, novos idiomas. Por isso, até os 8 anos de idade, a aprendizagem é um processo muito intuitivo no qual o esforço que os pequenos precisam realizar é mínimo.

No entanto, ainda há pais que se mostram relutantes em acreditar que isso possa acontecer e se complicam desnecessariamente. Por outro lado, outros pensam que o ideal é incluir a aprendizagem de idiomas desde cedo na vida das crianças para garantir que elas tenham mais ferramentas na hora de se comunicar.

As crianças podem aprender dois idiomas ao mesmo tempo?

A resposta é sim. As crianças podem aprender dois idiomas ao mesmo tempo. Especialmente quando se trata de filhos com pais que têm línguas maternas diferentes.

Quanto mais cedo as crianças conviverem com ambas as línguas, muito mais espontâneo será o resultado e menos dificuldades as crianças terão no processo.

Devemos nos lembrar de que o cérebro das crianças funciona como uma esponja. O cérebro dela é capaz de entender e absorver com facilidade os conceitos, o que facilita o processo de aprendizagem, de um modo geral.

Por outro lado, seus ouvidos são capazes de captar todas as sutilezas (entonações, cadências, modos de articulação, etc.) das diferentes línguas, a nível fonológico, o que é excelente para desenvolver uma pronúncia correta. 

Na era da globalização, é cada vez mais necessário aprender dois idiomas ao mesmo tempo, desde a infância, para garantir o completo desenvolvimento social dos indivíduos.

As pesquisas realizadas no ano de 1977 por cientistas do Hospital Memorial Sloan Kettering, de Nova Iorque, concluíram que uma criança é capaz de memorizar de maneira simultânea dois ou mais idiomas na mesma região do córtex cerebral.

Para fazer isso, utilizam os mesmos neurônios. Ao contrário dos adultos que armazenam o conhecimento em diferentes áreas do cérebro.

As vantagens da diversidade linguística

As crianças monolíngues vão ter mais limitações em longo prazo. Principalmente porque terão que aprender, em algum momento da vida, outra língua para poder atuar em diversos âmbitos. Isso não se limita apenas ao âmbito educacional.

Hoje em dia, o ideal é não desperdiçar a oportunidade de oferecer conhecimento desde a infância para facilitar a vida dos pequenos em longo prazo. Afinal de contas, se é mais fácil aprender na infância do que na vida adulta, por que não incentivar isso agora mesmo?

Uma criança bilíngue ou poliglota terá muito mais facilidades no futuro para se desenvolver no âmbito social. Por outro lado, saber falar vários idiomas facilita o aceso a postos de trabalho. Apenas um exemplo dos benefícios em longo prazo.

Sugestões

“Um idioma te coloca em um único caminho a vida toda. Dois idiomas abrem mais portas ao longo do caminho.
-Frank Smith-

Para fazer com que uma criança seja bilíngue, é necessário que os pais se comuniquem em ambas as língua, tanto em casa como em relação a tudo o que está incluído na vida cotidiana.

Por exemplo, se o pai for italiano, deve procurar conversar com seus filhos em italiano desde cedo para favorecer o processo de aquisição. Ao mesmo tempo, se a mãe for inglesa, também deve conversar com seus filhos em inglês com a mesma naturalidade.

Há casos em que ambos os pais têm a mesma língua materna, mas aprenderam outras línguas em algum momento da vida. A recomendação ideal é praticar constantemente essas línguas, assim como no caso anterior. Dessa maneira, as crianças vão escutar e conquistar maior fluência nos idiomas ao longo do tempo.

Ainda, é necessário evitar a tradução.  Em outras palavras, é preciso evitar recorrer à tradução como método primário de aprendizagem. Por exemplo, “Janela é window em inglês” não proporciona uma informação completa que promova as habilidades intelectuais.

Pelo contrário, se explicarmos às crianças os conceitos na própria língua, o resultado será muito mais satisfatório, pois ela será capaz de entender e descrever em tal língua, e não vai se limitar apenas a saber o termo equivalente.