O celular deve ser usado na escola?

02 Junho, 2020
Alguns afirmam que o celular não deve ser usado na escola, enquanto outros indicam que são bons para a aprendizagem. Cada teoria tem os seus fundamentos e é importante conhecê-las em profundidade antes de tomar uma decisão.

As novas gerações nasceram junto com as telas e os celulares. Embora isso possa ser muito bom, também tem seu lado negativo. Muitos pais e professores se perguntam se o celular deve ser usado na escola. Há vozes a favor e outras contra. Vamos analisar essas posições no artigo a seguir.

O celular não deve ser usado na escola

Essa poderia ser a afirmação de uma das duas teorias em relação aos hábitos e o ensino. Os seus defensores enfatizam que o uso do celular nas aulas tem efeitos negativos para o aprendizado, pois aumenta a distração e, por consequência, reduz a concentração.

Algumas das consequências de levar o telefone para a escola são:

1. Falta de disciplina

Muitos professores afirmam que é cada vez mais difícil que crianças e jovens prestem atenção nas aulas. Isso ocorre porque eles estão compenetrados demais nos seus celulares. Alguns alunos usam até mesmo fones de ouvido e não ouvem os professores.

2. Menor concentração

Prestar atenção ao celular reduz a capacidade de aprender e de ouvir o que o professor tem a dizer. Muitos alunos ficam jogando, enviando mensagens ou interagindo nas mídias sociais quando deveriam estar concentrados nos estudos.

celular deve ser usado na escola

3. Sedentarismo

O celular é prejudicial não apenas nas aulas, mas também no recreio. Ao contrário do que acontecia nas gerações anteriores, atualmente, os pátios das escolas estão cheios de crianças ‘zumbis’ olhando para uma tela.

Nada de jogar bola, pular corda, brincar de esconde-esconde, amarelinha. Essa situação produz um estilo de vida sedentário que continua em casa e que pode causar problemas de saúde.

4. Problemas comportamentais

O ciúme e a inveja aparecem a partir do momento em que ter o modelo mais novo de celular se torna sinônimo de status entre os alunos.

Quem mostrar aos colegas um aparelho mais antigo, ou não tiver um, será deixado de lado ou até mesmo considerado ‘inferior’. Existem muitos casos de bullying contra crianças que não possuem os mesmos dispositivos tecnológicos que as outras.

“O celular é prejudicial não apenas nas aulas, mas também no recreio. Ao contrário do que acontecia nas gerações anteriores, atualmente, os pátios das escolas estão cheios de crianças ‘zumbis’.”

Sim, o celular deve ser usado na escola

No extremo oposto, encontramos os pais e professores que afirmam que levar o celular para a aula é benéfico para as crianças. Por quê? Porque elas devem estar preparadas para a vida adulta – onde tudo parece girar em torno das telas – e porque elas podem aproveitar a tecnologia para estudar melhor.

No entanto, para que essa teoria seja verdadeira, as crianças devem usar corretamente essa ferramenta que outras gerações não possuíam e que pode ser muito útil.

Sem dúvida, enviar mensagens ou conferir as redes sociais durante a aula não é a mesma coisa do que aproveitar a conexão com a Internet para buscar informações, imagens ou o que precisarem para participar da aula. 

Se o celular se tornar um material educativo, ele poderá ser bem-vindo nas escolas. De fato, ele se tornaria um apoio para alunos e professores. Se as crianças souberem como usá-lo de forma correta, por que não aproveitá-lo para melhorar a educação?

Aprender idiomas, usar a calculadora, pesquisar um termo que não conhecem, fazer as tarefas mais rapidamente, ler algum texto específico, pesquisar um assunto em particular… Enfim, existem muitas maneiras de tirar proveito do celular nas aulas.

celular deve ser usado na escola

Essa corrente que afirma que o celular deve ser usado na escola explica que as novas tecnologias devem ser integradas e não marginalizadas. Muitos dos alunos de hoje em dia são ‘nativos digitais’ e talvez seja por isso que eles tenham tanta dificuldade em prestar atenção a uma lousa ou ler um livro físico.

Se, em vez de demonizar as telas em geral ou o telefone em particular, estivéssemos procurando uma maneira de combiná-lo com a educação, as aulas seriam mais divertidas e eficazes. Aprender brincando e com as ferramentas que as crianças sabem usar é algo maravilhoso para os pequenos e os jovens de hoje em dia.

Essa alternativa é viável?

Para que esse recurso realmente funcione, é em casa que as crianças devem ser orientadas para que saibam como distinguir entre os momentos de lazer e de estudo, mesmo que usem o telefone em ambas as situações. Esse desafio é muito grande, já que os adultos e os celulares geralmente também são inseparáveis.

O exemplo que as crianças devem receber é exatamente o oposto: podemos nos divertir sem ter uma tela brilhante diante dos nossos olhos. Há momentos nos quais é melhor guardar o celular na bolsa e perceber o mundo ao nosso redor com os cinco sentidos.

Graner, C., Beranuy, M., Sánchez-Carbonell, X., Rosell, M. C., & Lusar, A. C. (2006). ¿Que uso hacen los jóvenes y adolescentes de internet y del móvil? Comunicación e Xuventude:

González, M. A., Fernández, M. V., Urturi, A. F., Bregón, B. H., Moreno, M. M., & Molinero, L. R. (2015). Uso y riesgos de las tecnologías de la información y comunicación en adolescentes de 13-18 años. Acta Pediátrica Española73(6), 126–135.