Como a ausência da mãe afeta as crianças

24 de fevereiro de 2018
Descubra por que a figura materna é importante no desenvolvimento psicológico e emocional das crianças.

A ausência da mãe não é um assunto simples. Neste artigo, vamos falar sobre a complexidade desse tipo de situação.

Desde o início da vida de uma criança, a mãe é a figura mais importante. Então, é claro que sua ausência pode gerar consequências negativas na criança.

O desenvolvimento de uma criança é composto por vários aspectos, que vão desde as necessidades físicas até as emocionais. A relação com mãe e/ou o pai é um requisito para que a criança se desenvolva adequadamente a nível psíquico e emocional.

Por diferentes motivos, rumos tomados pela vida ou circunstâncias trágicas, nem todas as crianças têm a sorte de ter a mãe presente durante seu crescimento. Mesmo assim, ainda que outras a tenham ao seu lado, podem não conviver muito por razões de trabalho, separação do casal ou outro motivo de força maior.

A ausência da mãe pode influenciar no desenvolvimento de uma criança. Também depende do ambiente em que a criança vai crescer e de como os responsáveis vão lidar com essa situação.

O que uma mãe proporciona ao filho

A primeira coisa que vem à cabeça ao discutir esse assunto é a palavra proteção. E é assim em quase todas as áreas da vida. Em primeiro lugar, é nossa mãe quem nos concebe, nos traz ao mundo e nos alimenta desde pequenos. Isso evidencia a importância desta união, indispensável para a existência de qualquer pessoa.

Por outro lado, à medida que crescemos, é a mãe quem está presente para melhorar qualquer estado de ânimo negativo. Ela alivia, acalma, sossega e afasta o mal. Quando o filho está nervoso, assustado, raivoso ou dolorido, ela ajuda incondicionalmente.

Mãe fazendo cavalinho com sua filha

O fato de se sentir querido e valorizado pela mãe ajuda a criança a desenvolver sua autoestima e construir confiança em si mesma.

A ausência da mãe pode causar uma grande insegurança para as crianças. Especialmente se não for tratada adequadamente. Se essa situação acontecer, é importante contar com apoio profissional.

Consequências da ausência da mãe

Desde o início da vida de uma criança, a mãe é a figura mais importante. Por isso, a ausência dela pode trazer consequências importantes. A seguir, vamos listar as principais:

  • Sentimentos negativos. A criança se sente menosprezada ou solitária, já que não recebe as doses de afeto e carinho necessárias. Ela pode se sentir rejeitada, frustrada ou injustiçada.
  • Mau comportamento. Não escutar ordens, pedir coisas com más intenções, ferir a si mesma ou aos demais. Em linhas gerais, a criança está constantemente de mau humor. Isso é algo comum em crianças que precisam lidar com a ausência de algum de seus progenitores. É necessário ajudá-las a superar essa fase com afeto e paciência.
  • Baixo desenvolvimento das relações sociais. Semelhante aos motivos anteriores, as relações sociais também são prejudicadas. As crianças, talvez por desconfiança ou por não terem aprendido as habilidades sociais necessárias, têm dificuldade para criar vínculos com os demais. Por outro lado, desenvolvem dependência de quem está sempre por perto.
  • Desequilíbrio emocional. Isso se traduz em: irritabilidade, baixa autoestima, depressão, ansiedade, falta de motivação, etc.
  • Problemas de saúde. Algumas crianças, diante da ausência da mãe, perdem também o apetite. Isso, junto com os desequilíbrios emocionais, provoca problemas de saúde. O que também exige atenção profissional imediata.
Mamãe preocupada falando com seu filho no parque

Como ajudar a superar a ausência da mãe

Apesar do que foi explicado anteriormente, há maneiras de ajudar a criança a superar a ausência da mãe e suas consequências. Estas são algumas dicas para pais ou tutores que são responsáveis por elas:

  1. Desempenhe o papel de figura materna. Ainda que não seja fácil, um pai ou qualquer outro tutor pode reunir em sua pessoa o papel de mãe e pai. É necessário ter muito tato, compreensão e carinho para tal missão, mas é a melhor solução para ambas as partes. Dessa maneira será possível preencher o vazio interior da criança, pelo menos um pouco.
  2. Encontre um substituto. Com a ajuda de tias, avós ou qualquer outra figura feminina que pertença ao núcleo familiar da criança, pode-se encontrar uma “substituta” para a mãe. O vínculo não deve ser forçado e tem que ser construído paulatinamente, com base na confiança e no amor.
  3. Explique a situação. Como se costuma dizer, a verdade liberta. Então é imprescindível que você conte para a criança o motivo pelo qual a mãe não faz parte da vida dela. Cedo ou tarde ela vai crescer e vai querer saber.

Nos casos em que a ausência da mãe é parcial (por razões de trabalho, por exemplo), a solução pode ser mais simples. Muitos estudos concluíram que é mais importante a qualidade do que a duração do tempo compartilhado.

É necessário dedicar aos seus filhos sua total atenção em determinados momentos. Lembre-se de que a somatória desses momentos os ajudará muito.

Não é necessário forçar. Você pode brincar, passear ou ajudar nas tarefas. Assim, seu filho se sentirá valorizado e verá que sua mãe se interessa por ele, o ama e o apoia. Em outras palavras, a criança pode contar com uma presença real diariamente.