Como criar um vínculo saudável com o seu filho

Jamais perca o mais importante tanto da maternidade quanto da infância do seu filho. Sem dúvida, é fundamental criar um vínculo saudável com seu filho ao longo da sua infância. Já que é nessa fase, e não em qualquer outra, que se encontra o verdadeiro segredo para garantir um crescimento saudável, seguro, feliz e pleno para o seu filho. 

Uma boa criação durante as primeiras etapas da vida da criança – as mais permeáveis da sua vida – oferecem inúmeras ferramentas emocionais. Tudo isso é realmente vital para o seu desenvolvimento, com o intuito de fomentar o melhor futuro possível. 

Portanto, a pergunta que vale um milhão é: como criar um vínculo saudável com o seu filho? Você verá que é muito mais fácil do que você pensa. Você pode simplesmente passar um tempo de qualidade junto a essa pessoa que você tanto ama.

Você aprende muito com esse laço que começa a ser forjado durante a gravidez, mas que deve seguir sendo cultivado depois do nascimento. Não deixe de regar diariamente essa relação tão única e especial. Renda-se diante da magia desse maravilhoso amor que os une como seres incondicionais.

Como criar um vínculo saudável com o seu filho

Um vínculo saudável com o seu filho desde a gravidez

Fala-se muito do período dos mil dias. Esse período abrange a concepção, a gestação e os dois primeiros anos de vida do recém nascido. Esse tempo é crucial já que é quando se desenvolve o seu cérebro. Desde o princípio, a nutrição aqui é vital, mas também são igualmente vitais a neurologia e a psicologia.

Por isso, um vínculo saudável entre mãe e filho é um modo de aumentar as potencialidades da criança, além de evitar desde o começo certas feridas emocionais da infância que podem nos acompanhar pela vida inteira. Essas feridas têm efeitos na sua segurança, autoestima e independência. O futuro do seu filho, com certeza, está nas suas mãos.

“Passar mais tempo com seu filho será o maior investimento da sua vida”

Exatamente nesse vínculo saudável vai se instalar aquilo que se denomina “apego seguro”, também conhecido como “confiança básica”. Isso se traduz na tranquilizante sensação de que alguém se ocupará da sua sobrevivência, cuidados básicos e bem-estar.

Vínculo saudável com seu filho. Como criá-lo?

A partir do momento em que ficamos sabendo da sua existência, já amamos o nosso filho. Sonhamos em pegá-lo nos braços, enchê-lo de beijos e abraços. Todos os dias imaginamos o seu rosto e começamos a pensar no seu nome.

Por isso, não é errado demonstrar desde o momento da gravidez todo esse amor, ilusão e esperança. Converse com ele, conte historinhas, não deixe de cantar canções de ninar e de fazer carinho através da barriga. Você verá que quando ele nascer tudo valerá a pena e que a conexão se estabelece muito antes do que você imagina.

E depois do nascimento, não pare com essas atividades. Inclua essas ações na sua rotina, converse com ele e o ajude a crescer como pessoa. Demonstre com atitudes e ações tudo aquilo que você sente como mãe.

Mae e filho se divertindo ao ar livre

E não tem problema se o seu trabalho ou a casa não permitirem que você esteja junto ao seu filho durante o dia inteiro. Você apenas precisa de tempo de qualidade, a quantidade não importa. O estímulo deve ser de acordo com a idade: carinhos, brincadeiras, o banho diário ou um jantar em família serão momentos mágicos para o seu filho.

Vínculo seguro: fatores chaves

Geralmente, o tipo de apego que fomentamos entre pais e filhos tende a ser um vínculo seguro. No entanto, requer um esforço diário se quisermos mantê-lo ao longo do tempo. Esses laços não são inalteráveis, mas, ao contrário, precisam do seguintes cuidados:

  • Atenda suas necessidades de forma efetiva. Trata-se de saber o que está acontecendo com ele, o que sente e o que falta. Dessa maneira, atenderemos suas demandas e ofereceremos uma solução adequada. Para isso, uma análise aguda, assim como a empatia e uma escuta ativa são as ferramentas fundamentais.
  • Proteção, longe da superproteção. Não seja alarmista nem exagerada nas suas reações quando se trata de perigo. Se uma situação provoca certo temor, ansiedade ou intranquilidade, simplesmente transmita calma. Quando falamos de despedidas, é melhor que sejam curtas, mas que terminem sempre com um beijo ou um abraço.
  • Paciência diante de situações estressantes. Nada melhor do que responder à tensão com extrema calma e equilíbrio, sempre procurando o contato físico. Não tome o seu temperamento como algo pessoal, procure os modos de chegar ao seu filho e de fomentar sua inteligência emocional mediante o diálogo.

Apostar numa relação sólida com o seu filho desde a infância te transformará num dos pilares fundamentais da vida dele e você sempre poderá contar com a confiança estabelecida.

Recomendados para você